sábado, 6 de janeiro de 2018

Broas de Mel da Madeira (freguesia de São Jorge)




Bom Dia de Reis e feliz ano novo para todos! Hoje é dia de partilhar, dar presentes, dar algo feito por nós, fazer uma refeição em família... Tudo coisas boas! Não é preciso ser muito complicado ou ter muito valor material, o importante é fazer algo que se possa partilhar e fazer os outros felizes. Conversar, por exemplo, ouvir um amigo, dar uma palavrinha a alguém de quem gostamos e com quem já não falamos há uns tempos... Ser generoso. Connosco e com os outros.
No início de cada ano costumamos fazer balanços e traçar objetivos. Claro que não é necessário o dia 1 de janeiro de cada ano para o fazermos, mas os períodos de tempo servem para nos recordar que o devemos fazer de vez em quando e servem para relativizar a dimensão das obras que temos a realizar. O tempo está dividido, precisamente, para podermos voltar a ganhar energias e traçar novos objetivos. Para relativizar a enormidade de tudo e do próprio tempo. Imaginem que o nosso objetivo seria lutar pela nossa saúde, ter uma vida boa, trabalhar, cuidar de nós e dos outros, etc... durante 70 ou 80 anos seguidos! É imenso. Posto assim pareceria uma tarefa tão dantesca, que poderíamos ter a tentação de desistir. Como o tempo é dividido em parcelas, tudo se torna mais relativo e mais fácil. Encaramos as tarefas como degraus de uma escada grande a subir, mas que não precisa de ser trepada toda de uma só vez. Vamos seguindo por degraus, por patamares.  
Este patamar de janeiro de 2018 parece-me importante para organizar ideias e assuntos e traçar os tais objetivos, mesmo que não sejam enormes, mas pequenas tarefas para ir realizando neste primeiro mês do ano. No meu caso, um dos objetivos que traço quase sempre é descobrir novas receitas e sabores. Neste início de ano voltei a ler vários livros de receitas, alguns antigos. Com alguma regularidade gosto de voltar aos sabores tradicionais e relembrar (ou descobrir) que certos procedimentos que usamos na cozinha não são mais do que preceitos bastante antigos de fazer as coisas com tempo, calma e carinho. Neste ano de 2018 espero inovar, pois também gosto muito de o fazer, mas quero reservar espaço e tempo para receitas e sabores tradicionais nossos e poder aprender e partilhar receitas das várias regiões do nosso país, que é tão fantástico e tão rico em sabores.  
Ora, não podia ter vindo mais a calhar, ainda no fim de 2017, uma mensagem muito simpática e carinhosa que uma das seguidoras do blog me enviou. A Mericia Jarimba é natural da Madeira e teve a enorme generosidade de me dar a receita antiga das Broas de Mel da mãe, uma receita da freguesia de São Jorge, Santana, ilha da Madeira. Esta receita merece ser a primeira do ano de 2018 aqui no blog. Merece por todos os motivos: porque a Mericia foi um doce em dar-me a receita (enviou foto do papelinho antigo escrito à mão pela mãe e tudo, imaginem o valor que isto tem!) e porque as broas são realmente doces e muito boas... são mel, mesmo! E o que eu desejo é que o vosso ano de 2018 seja feito de muito mel! Beijinhos para todos!

Ingredientes:
1 kg de açúcar
1 kg de farinha
5 ovos inteiros tamanho M/L
2 dl de mel de cana (usei mel de flores bastante escuro e biológico)
250 gr de manteiga (usei sem sal)
2 colheres de sopa de banha
1 colher de chá rasa de noz moscada em pó
1 colher de chá (bem cheia) de canela em pó
1 colher de chá de fermento em pó

Preparação:
Misture tudo e amasse até obter uma massa homogénea. O preparado vai ficar um pouco mais mole do que massa de bolachas. Com as mãos ligeiramente enfarinhadas, faça bolinhas pequenas (do tamanho de um bombom - ver foto). Disponha-as separadas num tabuleiro forrado com papel vegetal. As bolinhas devem ficar bem espaçadas porque vão expandir-se bastante com o calor e vão ficar quase tipo bolachas, é mesmo assim. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC. Coza cada fornada entre 10 a 12 minutos. Se cozer por 10 minutos, as broas vão ficar mais moles por dentro, ficam meladas, deliciosas! Se cozer mais um ou dois minutos, vão ficar menos meladas, mas igualmente deliciosas. Em qualquer dos casos, ficam crocantes por fora. São absolutamente deliciosas e dificéis de parar de comer!!
Quanto ao chá, este é de hibisco com gengibre, curcuma (ambos em raíz) e pau de canela. É um chá bastante anti-inflamatório, bom para prevenir gripes e as maleitas típicas desta época do ano.

Bom apetite e votos de bom ano para todos!


ANTES DE IREM AO FORNO:




4 comentários:

  1. Para fazer meia receita ponho 3 ovos ou 2? Porque 2 e meio não posso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá :) Eu já fiz meia receita e fiz assim: usei 3 ovos pequenos e no terceiro não usei a clara toda para não ter muito líquido. Ou então use 2 ovos XL bem grandes :) Vai ver que fica bem.
      Beijinho
      Susana

      Excluir
  2. Que bom aspeto.

    Beijinhos e uma boa semana,
    Clarinha
    https://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2018/01/dia-de-reis-e-um-bolo-rei-de-nutella.html

    ResponderExcluir
  3. São ótimas!!! Têm apenas o inconveniente de ser difícil parar de as comer!...

    ResponderExcluir