segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Pato assado com mostarda, laranja e arroz de miúdos # Sugestões de Natal




Gosto bastante de pato, seja em arroz, em empadas ou assado no forno. O pato dá-se bem com vários tipos de acompanhamentos. Batatas ou legumes assados, couve estufada ou cozida ao vapor, puré de batata doce, de nabo ou de abóbora com laranja... ou então um belo arrozinho. Feito com os miúdos do pato, pois claro! Desta vez fiz o arroz com os miúdos e também lhe juntei cogumelos, ficou um arroz absolutamente maravilhoso porque ficou muito "no ponto", solto e suculento. Para os doidinhos deste cereal, como eu, é de comer e chorar por mais! Para ser sincera, neste jantar, tenho a certeza de que comi mais arroz do que pato. Como fazer arroz bem feito, confecionado no ponto, não será fácil para todas as pessoas. Mesmo os cozinheiros mais experientes, de vez em quando deixam passar mais um minuto e lá se vai a textura do arroz... Temos que estar muito atentos. Eu tenho uma placa vitrocerâmica com temporizador e faço usso dele. A partir do momento em que o caldo ferve e que junto o arroz, programo apenas 5 minutos, se for arroz carolino. Depois a placa apaga-se, mas deixo o tacho mais uns 5 minutos no calor para acabar de cozer o arroz. Isto só resulta numa vitrocerâmica (poupa-se imensa energia!). Se for uma placa de indução (poupa ainda mais), que só está quente, se estiver ligada, não resultará desligá-la tão cedo eventualmente. E se for uma placa a gás, também arrefece quando a desligamos. Nesses casos, deixem o arroz cozer 10 minutos e provem. Mais 2 minutos de descanso e será o suficiente para obter um arroz bem soltinho. A menos que gostem de arroz muito cozido... mas não façam isso ao arrozinho, que é pecado e não se deve pecar em época natalícia! Boa? ;)
Voltando ao pato, como é uma ave com bastante gorduta, o segredo para ficar saboroso está na temperatura a que o cozinhamos e nos temperos. Desta vez barrei-o de forma simples, apenas com laranja, mostarda e sal e ficou ótimo. Usem a mostarda que preferirem, eu gosto da de Dijon, mesmo bastante forte. Esta sugestão de pato com o respetivo arroz, pode ser uma ideia para o almoço de natal, por exemplo. Espero que gostem e se possam inspirar!

Ingredientes:
1 pato de tamanho médio (1,5 kg sensivelmente)
Sumo de meia laranja
1 laranja inteira
3 colheres de sopa de mostarda de Dijon
1 colher de sobremesa de ervas de Provença
Sal grosso qb

Para o arroz: 1 chávena de chá de arroz carolino, miúdos do pato, 1 dente de alho, 1 cebola média, 200 gr de cogumelos marrom dos pequenos. Sal e pimenta qb. Um fio de azeite.
Servi ainda acompanhado de couve coração cortada em juliana e salteada com azeite e alho.

Preparação:
Numa tigela junte o sumo de meia laranja, a mostarda, as ervas e o sal, faça uma pasta e barre todo o pato com ela. Coloque também uma larranja inteira dentro do pato. Leve ao forno a 220º e, de vez em quando, pincele a pele do pato com um pouco de azeite (mesmo pouca quantidade) para a pele ficar mais crocante. Faça isto umas 3 vezes. Ao fim de uns 40 minutos e se a pele já estiver tostada, vire o pato para que cozinhe do outro lado: cerca de 40 minutos mais. Quando estiver pronto, deixe repousar 5 a 10 minutos para a proteína da carne estabilizar, só depois o deve cortar. Sirva com o molho que ficou no tabuleiro. Como o pato é bastante gordo, vai largar sucos que, misturados com o sabor da mostarda e da larana, fazem um molho saboroso.

Retire um pouco desse molho e cubra o fundo de um tacho com ele (ou com um fio de azeite). Junte a cebola e o alho picados e uma haste de tomilho deixe refogar até a cebola amolecer sem ganhar côr. Junte os miúdos do pato cortados em pedacinhos pequenos e deixe refogar juntamente com a cebola. Depois junte os cogumelos partidos em quartos. Cerca de 5 minutos depois junte 2 chávenas e meia de caldo de carne ou de aves. Tempere de sal e espere que o caldo ferva. Junte o arroz, mexa e deixe cozer até estar no ponto. Sirva com o pato e com couve salteada ou outro legume.

Bom apetite e Boas Festas!





Nenhum comentário:

Postar um comentário