domingo, 17 de setembro de 2017

Marmelada




Apanhei as gamboas da árvore dos meus pais e fiz marmelada. Umas semanas depois a minha amiga Rosa ofereceu-me vários quilos de gamboas, igualmente grandes e bonitas, e voltei a fazer marmelada. As gamboas são como os marmelos, mas maiores e provenientes de árvores, enquanto os marmelos nascem de arbustos mais baixos. A gamboa tem um pouco menos de acidez e também é muito aromática, faz uma compota excelente! Não sou muito experiente a fazer este doce, por isso pedi umas dicas a uma colega do grupo do pilates, uma amiga que cozinha bastante bem. Segui os conselhos a preceito, não descasquei a fruta e usei uma proporção de açúcar que resultou na perfeição. Agradeço à minha amiga Manuela pelas dicas! 
Depois de feita a marmelada, cobri cada taça com papel vegetal embebido em rum (aguardente ou alcool também serve o propósito). A minha avó paterna fazia sempre marmelada e doce de tomate por esta altura do ano. O doce de tomate era muitoooo doce e delicioso, era o meu preferido e ela guardava-o em frascos de Tofina, uma recordação dos tempos de infância que tenho muito presente. Ainda consigo sentir o sabor do doce de tomate da minha avó... Quanto à marmelada, era colocada em taças e coberta com o papel vegetal embebido em aguardente para ajudar a conservar. Eu adoro recuperar estes sabores "antigos"...
Como fiz a marmelada por duas vezes e com fruta de diferentes proveniências, o resultado final não foi exatamente o mesmo. As fotos que vos mostro foram tiradas da primeira vez que fiz, das gamboas da árvore dos meus pais. A marmelada ficou muito vermelha (adoro quando fica assim, acho muito bonito) e rija, de cortar à faca, mas sem estar seca. Quando fiz com as gamboas que a Rosa me deu, ficou mais clara e um pouco mais cremosa, mas igualmente saborosa. De ambas as vezes não descasquei os frutos. Quanto mais apurarem o doce, mais escuro fica e (potencialmente) mais rijo depois de arrefecido. Há quem faça na panela de pressão (a Rosa faz assim), mas eu não uso, por isso fiz num tacho e deixei apurar bastante até o açúcar estar em ponto bastante espesso e os marmelos mesmo a desfazerem-se. Espero que gostem e que se deliciem com este doce tão típico da época! O outono está a chegar... eu sou mulher do verão, mas há que aproveitar o que de bom cada estação nos oferece.

Ingredientes:
1 kg de marmelos ou gamboas (pesados depois de retirados os caroços)
850 gr kg de açúcar branco
1 pau de canela

Preparação:
Lave muito bem as gamboas. Corte cada uma ao meio, em quartos e, depois, cada quarto ao meio novamente. Retire os caroços, que podem ser aproveitados para fazer geleia. Não é necessário descascar as gamboas ou marmelos. Coloquem a fruta dentro de um tacho grande e juntem o açúcar e um pau de canela. Levem a lume baixo até o açúcar ficar em calda. Depois podem aumentar um pouco o lume e deixar os marmelos cozerem no açúcar durante 60 a 80 minutos. Por fim, retirem do lume e triturem tudo com a varinha mágica. Resta distribuir o preparado por taças e cobrir com o papel vegetal embebido em bebida alcoolica bastante forte. Se a marmelada ficar "no ponto" vai solidificar, ficar rija e conservar-se por muitos meses. 
Comam assim, simplesmente, ou com queijo, tostas, pão ou usem em bolos e outros pratos. Eu adoro comer com queijo, qualquer tipo de queijo, porque sou louca por este alimento :)

Bom apetite e bom fim-de-semana!







4 comentários:

  1. Que bela fornada! :) Ficou com uma cor tão linda! Que maravilha :)
    Beijinhos*
    www.petiscana.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ana :) ficou realmente muito boa, eu gosto de fazer doces e compotas.
      Beijinhos!!
      Susana

      Excluir
  2. Deixa lá virem os marmelos da sogrinha que ja te digo hehehe. Receitinha anotada e adorei as fotos!!

    Beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariana, depois partilha como fizeste :)
      Beijinhos
      Susana

      Excluir