sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Salsichas frescas com marmelos estufados




Primeiro dia de outono... pronto, já sabem que eu gosto é do verão, mas não deixo de fazer receitas por ele me virar as costas ;) O outono também traz frutas boas, como os marmelos, os dióspiros e, mais tarde, as castanhas, que eu adoro! Por isso há que tirar partido do que cada epóca do ano tem de melhor, mais bonito e mais saboroso e seguir em frente de colher de pau na mão! Foi o que fiz com estes marmelos, espero que gostem da receita.

Ingredientes para 4 pessoas:
12 salsichas frescas de aves
2 marmelos grandes
1 cebola
1 dl de azeite
1 colher de sopa de manteiga
1,5 dl de vinho licoroso (usei D. Elvira da Adega de Arruda)
Sal qb
2 colheres de sopa de mel
2 colheres de sopa de mostarda
1 raminho de alecrim e outro de tomilho
1 chávena almoçadeira de arroz carolino
Caldo de carne qb
2 colheres de sopa de passas sultanas
1 colher de sopa de amêndoa laminada

Preparação:
Deite a manteiga num tacho anti aderente. Corte os marmelos em meias luas e retire apenas o caroço, deixando a casca. Coloque os marmelos no tacho para caramelizarem. Vá virando, quando estiverem dourados, junte o vinho licoroso e reduza o lume. Deixe estufar até estarem macios. Quando estiverem prontos, retire e reserve. Ao molho de estufar os marmelos, junte o mel e a mostarda e reserve.
No mesmo tacho deite metade do azeite e meia cebola picada. Deixe a cebola amolecer cerca de 2 minutos e depois junte as salsichas e as ervas aromáticas. Deixe estufar com o tacho tapado. Quando as salsichas estiverem prontas, junte todo o suco ao outro molho de vinho, mel e mostarda e reserve.
Entretanto vá fazendo o arroz. Refogue ligeiramente a outra metade da cebola com o azeite. Junte caldo de carne (duas vezes e meia a quantidade do arroz) e deixe ferver. Junte o arroz e as passas e deixe cozer durante cerca de 12 minutos. No fim junte a amêndoa laminada. Sirva as salsichas com este arroz cremoso e os marmelos. Regue os marmelos e a carne com o molho de vinho, mel e mostarda e delicie-se!

Bom apetite e bom fim-de-semana!

domingo, 17 de setembro de 2017

Marmelada




Apanhei as gamboas da árvore dos meus pais e fiz marmelada. Umas semanas depois a minha amiga Rosa ofereceu-me vários quilos de gamboas, igualmente grandes e bonitas, e voltei a fazer marmelada. As gamboas são como os marmelos, mas maiores e provenientes de árvores, enquanto os marmelos nascem de arbustos mais baixos. A gamboa tem um pouco menos de acidez e também é muito aromática, faz uma compota excelente! Não sou muito experiente a fazer este doce, por isso pedi umas dicas a uma colega do grupo do pilates, uma amiga que cozinha bastante bem. Segui os conselhos a preceito, não descasquei a fruta e usei uma proporção de açúcar que resultou na perfeição. Agradeço à minha amiga Manuela pelas dicas! 
Depois de feita a marmelada, cobri cada taça com papel vegetal embebido em rum (aguardente ou alcool também serve o propósito). A minha avó paterna fazia sempre marmelada e doce de tomate por esta altura do ano. O doce de tomate era muitoooo doce e delicioso, era o meu preferido e ela guardava-o em frascos de Tofina, uma recordação dos tempos de infância que tenho muito presente. Ainda consigo sentir o sabor do doce de tomate da minha avó... Quanto à marmelada, era colocada em taças e coberta com o papel vegetal embebido em aguardente para ajudar a conservar. Eu adoro recuperar estes sabores "antigos"...
Como fiz a marmelada por duas vezes e com fruta de diferentes proveniências, o resultado final não foi exatamente o mesmo. As fotos que vos mostro foram tiradas da primeira vez que fiz, das gamboas da árvore dos meus pais. A marmelada ficou muito vermelha (adoro quando fica assim, acho muito bonito) e rija, de cortar à faca, mas sem estar seca. Quando fiz com as gamboas que a Rosa me deu, ficou mais clara e um pouco mais cremosa, mas igualmente saborosa. De ambas as vezes não descasquei os frutos. Quanto mais apurarem o doce, mais escuro fica e (potencialmente) mais rijo depois de arrefecido. Há quem faça na panela de pressão (a Rosa faz assim), mas eu não uso, por isso fiz num tacho e deixei apurar bastante até o açúcar estar em ponto bastante espesso e os marmelos mesmo a desfazerem-se. Espero que gostem e que se deliciem com este doce tão típico da época! O outono está a chegar... eu sou mulher do verão, mas há que aproveitar o que de bom cada estação nos oferece.

Ingredientes:
1 kg de marmelos ou gamboas (pesados depois de retirados os caroços)
850 gr kg de açúcar branco
1 pau de canela

Preparação:
Lave muito bem as gamboas. Corte cada uma ao meio, em quartos e, depois, cada quarto ao meio novamente. Retire os caroços, que podem ser aproveitados para fazer geleia. Não é necessário descascar as gamboas ou marmelos. Coloquem a fruta dentro de um tacho grande e juntem o açúcar e um pau de canela. Levem a lume baixo até o açúcar ficar em calda. Depois podem aumentar um pouco o lume e deixar os marmelos cozerem no açúcar durante 60 a 80 minutos. Por fim, retirem do lume e triturem tudo com a varinha mágica. Resta distribuir o preparado por taças e cobrir com o papel vegetal embebido em bebida alcoolica bastante forte. Se a marmelada ficar "no ponto" vai solidificar, ficar rija e conservar-se por muitos meses. 
Comam assim, simplesmente, ou com queijo, tostas, pão ou usem em bolos e outros pratos. Eu adoro comer com queijo, qualquer tipo de queijo, porque sou louca por este alimento :)

Bom apetite e bom fim-de-semana!







quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Pudim de caramelo




Esta é daquelas receitas tão fáceis, que nunca falham. Também é rápida de preparar, mas convém ser feita de véspera porque o pudim precisa de arrefecer para ser desenformado. Ainda assim, se estiverem com pressa, há truques que podem usar para desenformar o pudim poucas horas depois de o fazer... Assim que o retirarem do forno, coloquem a forma dentro de água fria (só por fora, claro, sem que a água entre para dentro do pudim). Vão substituindo a água fria (também podem usar fresca do frigorífico) até que a forma esteja completamente arrefecida. Isto vai fazer com que a temperatura baixe muito mais rapidamente. Podem colocar a forma dentro de um alguidar com água ou mesmo dentro do lava loiças. Assim que o pudim esteja arrefecido, coloquem-no no frigorífico e deixem repousar 2 a 3 horas. Resta desenformar e servir ;)

Ingredientes:
1 lata de leite condensado cozido
2 medidas de leite iguais à lata (usei leite magro)
6 ovos inteiros
Caramelo líquido para barrar a forma
Fruta fresca a gosto para guarnecer

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 200º.
Bata o leite condensado cozido com a batedeira elétrica até se desfazer totalmente. Aos poucos vá juntando o leite branco e continue a bater até estar tudo bem misturado. Parta os ovos para uma tigela à parte e bata-os manualmente, só para misturar. Junte os ovos ao preparado de leite e bata até a mistura estar homogénea. Deite o preparado numa forma de pudim untada com caramelo líquido. Coloque a forma dentro de um tabuleiro com uma altura de 2 dedos de água e leve ao forno a 200º em banho maria até estar cozido (cerca de uma hora).
Arrefeça, leve ao frio e desenforme. No momento de servir, guarneça com fruta fresca com alguma acidez (usei fisális) e folhas de hortelã.

Bom apetite e bom fim-de-semana!


sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Bolo de pêras e figos com mel




Depois das férias, chegou a hora de regressar ao pilates. E se eu tinha saudades das aulas e dos colegas e da professora! Por isso resolvi fazer um bolo para levar logo na primeira aula e arruinar qualquer tentativa da Dina nos fazer perder as calorias ganhas nas férias... Mas ela apreciou muito e não estou a brincar, porque ela aprecia sempre muito quando levamos qualquer tipo de doce :)
Outra colega de turma também levou uns deliciosos cheesecakes de morango, que desapareceram em minutos, juntamente com o bolo... Tínhamos motivos para comemorar, não apenas o nosso reencontro depois das férias, mas também os sucessos alcançados. Sabe muito bem comemorar as vitórias, nossas e daqueles de quem gostamos e de que nos orgulhamos. E eu gosto muito do pessoal do meu grupo do pilates!

Ingredientes:
2 ovos XL
100 gr de manteiga sem sal amolecida
150 gr de açúcar amarelo
100 gr de mel
1,8 dl de leite
2 peras grandes
4 figos frescos
280 gr de farinha de trigo
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de café de bicarbonato de sódio
Papel vegetal para forrar a forma

Preparação:
Pré aqueça o forno a 180º. Eu fiz no modo ventilado a 175º.
Bata a manteiga amolecida com o açúcar e o mel. Junte os ovos inteiros e o leite morno, bata novamente. Adicione o bicarbonato e a canela à farinha e junte uma parte à mistura, continuando a bater apenas por um minuto. Junte o resto da farinha e envolva apenas.
Numa tarteira forrada com papel vegetal, disponha 2 peras cortadas em fatias. Por cima disponha a massa e alise. Corte os figos em metades e disponha por cima da massa. Coza em forno a 180º durante cerca de 40 minutos ou até a massa estar firme. Eu optei por deixar o bolo um pouco cremoso no meio, mas podem cozer mais, conforme o fosso gosto. A fruta vai sempre dar alguma humidade a este bolo. Fica uma delícia!

Bom apetite e bom fim-de-semana!

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Massada de tamboril com gengibre e curcuma



Quando a comida é saborosa (gulosa mesmo) e saudável, isso é algo que adoro! Porque adoro comer e tento escolher ingredientes saudáveis e formas diferentes de os confecionar, para prejudicar o menos possível a saúde e agradar o mais possível ao palato ;) Não é difícil, é só uma questão de imaginação e ir experimentando conjugações de sabores. Os aromas, temperos, ervas aromáticas, são muitas vezes o segredo de um prato aromático e diferente. Poupa-se no sal e adiciona-se sabor de outras formas, com alimentos que, muitas vezes, são super saudáveis, mas ficam esquecidos na prateleira. Espero que gostem desta massada um pouco diferente, tem todos os sabores tradicionais e ainda o gengibre e o açafrão, que são altamente anti-inflamatórios e benéficos para o organismo. Ficou uma delícia e o "segredo" aqui foi o caldo do peixe muito aromático e a quantidade qb de gengibre e açafrão. Experimentem!

Ingredientes para 4 pessoas:
1 tamboril inteiro com os fígados (1 a 1,2 kg de peixe)
2 chávenas grandes (tipo almoçadeira) de massa cotovelo
2 tomates bem maduros
1 molho de coentros
1 pedaço de gengibre fresco com 6 a 7 cm
1 cebola grande
3 dentes de alho
1 fio de azeite
2 colheres de chá de curcuma em pó (açafrão das Índias)
Sal qb


Preparação:

Arranje o tamboril e corte-o em pedaços, tal e qual como se fosse fazer arroz. Preserve os fígados. Coloque todos os pedaços, incluindo a cabeça e todas as partes menos nobres do peixe num tacho, bem como os fígados. Junte um dente de alho, o pedaço de gengibre fresco descascado e alguns pés de coentros. Junte sal a gosto e água a cobrir. Deixe cozer. Ao fim de 15 a 20 minutos, verifique se as postas de peixe estão cozidas e retire-as assim que estejam cozidas, não deixando ficar tempo demais para não "emborrachar". As partes menos nobres do peixe, as partes com osso e os fígados devem continuar a cozer no caldo por mais uns 20 minutos. Quando estiver pronto, coe o caldo e reserve.
Refogue ligeiramente a cebola e 2 dentes de alho picados com o azeite. Junte os restantes pés de coentros muito bem picados (reserve as folhas) e deixe refogar uns minutos, sem que a cebola ganhe cor (só deve ficar transparente). Numa picadora ou processador de alimentos coloque os fígados do tamboril já cozinhados e os tomates pelados. Triture tudo e junte ao refogado, deixe cozinhar 2 minutos. Junte cerca de 4 dl de caldo do peixe e retifique o sal. Quando o caldo ferver, junte a massa, mexa e deixe cozer cerca de 10 minutos ou até estar na consistência desejada. No fim da cozedura, junte as postas do tamboril e as folhas de coentros picadas.

Nota: com o caldo que sobrar e o peixe das zonas com osso do tamboril, pode preparar uma deliciosa sopa.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!