sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Tarte de Amêndoa e Mirtilos



Esta tarte é daquelas sobremesas maravilhosas, tipo doce conventual, que é impossível não gostar, pelo menos para mim, que adoro doces com ovos e amêndoa! É um bocadinho bombástica, é verdade, com muita manteiga e açúcar, mas é tão boa, que se perdoa mesmo todo o mal que possa fazer :)
A receita é do Chef Avillez. Este verão o Expresso publicou uns livros de receitas dos restaurantes dele e da sua equipa de chefs. Do livro "Sobremesas em grande" retirei esta receita e só posso dizer que é mesmo "em grande" e faz sucesso em qualquer festa ou jantarada. Desta vez segui exatamente a receita e o único "defeito" que lhe encontrei foi um pouco de doce a mais, da próxima vez vou cortar 50 gr no açúcar, penso que ficará igualmente boa e menos pesada. Os mirtilos dão uma suave acidez a este doce e a massa é tão tenra e deliciosa, que nem sei dizer se gosto mais da massa ou do recheio. O meu marido e os amigos que provaram também gostaram muito. Além de saborosa, fica muito bonita e ficou ainda mais apresentável neste prato de bolo, com pé de madeira e prato em mármore, uma gentileza da decoradora Teresa Porém.

Ingredientes: 
Para a massa: 150 gr de manteiga sem sal, 70 gr de açúcar, 250 gr de farinha sem fermento, 2 gemas de ovo
Para o recheio: 300 gr de manteiga, 300 gr de açúcar (recomendo usar apenas 250gr), 300 gr de farinha de amêndoa, 4 ovos médios, 125 gr de mirtilos

Preparação:
Para fazer a massa, envolva a farinha com o açúcar e a manteiga até formar uma espécie de "farofa". Junte as gemas e misture, amassando com as mãos, até obter uma massa homogénea. Envolva em película aderente e deixe repousar no frigorífico por 20 minutos. Depois estique a massa com a ajuda de um rolo e forre uma tarteira, leve ao frio mais uns minutos e depois coloque papel vegetal por cima da massa e algum peso (feijões secos, por exemplo). Leve a cozer 10 minutos no forno pré-aquecido a 150º.
Para fazer o creme coloque o açúcar e manteiga numa taça e derreta-os em banho-maria. Misture bem, retire do calor e junte a farinha de amêndoa, envolva, junte os ovos ligeiramente batidos. Envolva novamente e deite o preparado por cima da massa pré-cozida. Depois acrescente os mirtilos, espalhando-os uniformemente pela superfície da tarte. Leve novamente ao forno até a tarte estar cozida. A receita indicava 20 minutos à mesma temperatura de 150º mas, no fim do tempo, estava tudo cru (o meu forno não é assim tão potente...). Acabou por ficar 40 minutos e elevei um pouco a temperatura. Recomendo que experimentem a 170º durante 30 minutos e depois vejam se está pronta, se o recheio ainda estiver líquido, deixem cozer mais um pouco.

Bom apetite e bom fim-de-semana!

  

3 comentários:

  1. Está uma tarte sem dúvida deliciosa Susana. Como adoro doces conventuais, este vai para a minha lista,

    beijinho e obrigada por teres partilhado!

    ResponderExcluir
  2. Sou como tu, adoro doces conventuais com frutos secos e carregadinhos de ovos e gemas! Escusado será dizer que fiquei a babar com essa tarte :D

    ResponderExcluir