sexta-feira, 29 de abril de 2016

Ravioli de espinafres e requeijão com presunto crocante

 


Continuo em "modo italiano". La bella Itália, pasta fresca, gelados enormes e cremosos, história, cultura, verde nas serras e águas turquesa nas praias e isto tudo acompanhado da musicalidade de uma língua linda, uma banda sonora permanente de "ciau", "prego", "belissimo" que dá gosto ouvir . Tudo é belo em Itália! Pelo menos quando somos turistas... e como eu vou lá sempre em turismo, gosto de tudo naquele país :)
Para matar saudades, faço pasta fresca em casa com alguma regularidade. Tenho uma máquina de esticar a massa, que o meu marido teve a brilhante ideia de me oferecer. É um bom equipamento e eu uso-a bastante. Gosto principalmente de fazer ravioli ou tortellini, pois posso confecionar os recheios que quero, sem corantes nem nada artificial. Ficam muito mais saborosos e saudáveis que os de compra. Este prato é simples, tem poucos ingredientes, daqueles que combinam bem entre si e ficam uma delícia. Os italianos usam ricota nesta receita, mas eu substitui por um requeijão cremoso, de Seia, bem português e que casou na perfeição com os espinafres. Espero que gostem e que arrisquem a fazer pasta fresca em casa!
Ingredientes para 4 pessoas:
Massa: 400 gr de farinha tipo 00 ou 55 sem fermento, 4 ovos M ou L, 1 colher de chá de sal fino 

Recheio e guarnição: 1 molho de espinafres frescos, 1 requeijão cremoso, azeite, sal e pimenta qb, 2 dentes de alho, 150 gr de presunto, salsa fresca qb
Molho bechamel: 1 litro de leite magro, 5 colheres de sopa de manteiga, 5 colheres de sopa de farinha, sal, pimenta e noz moscada qb
Preparação:
Comece por preparar o recheio para este ter tempo de arrefecer. Salteie os espinafres com azeite e alho picado finamente. Deixe os espinafres cozinharem até estarem murchos. Junte o requeijão, esmagando-o com um garfo. Tempere com sal e pimenta, envolva tudo bem para obter uma pasta homogénea e deixe arrefecer.
Faça a massa. Coloque a farinha na bancada da cozinha. Junte uma colher de chá de sal fino à farinha e misture bem. Abra uma cova no meio da farinha e junte os ovos. Amasse a farinha com os ovos até ficar elástica e não se colar às mãos. Se estiver muito húmida, devemos ir acrescentando farinha aos poucos enquanto amassamos. Se estiver muito seca, juntamos mais uma gema ou uns salpicos de água (salpicos, não muita!). Depois de pronta, envolva a pasta fresca em película aderente e deixe-a repousar uns 20 minutos. Se não a utilizar logo pode reservá-la até 3 dias no frigorífico, bem envolvida em película.
Entretanto corte o presunto em cubinhos e deixe frigir numa frigideira anti-aderente com um pequeno fio de azeite até o presunto estar crocante.

Estique a massa. Vá cortando pedaços e comece por passar 3 a 4 vezes na máquina na posição em que os rolos estão mais afastados (na minha máquina é o 0). Depois comece a reduzir a distância entre rolos, 1 a 1 na graduação da máquina, vá passando a massa e estique-a tão fina quanto conseguir, sem que se rasgue. Para massas recheadas aconselho ir até ao 6 ou 7, enquanto as placas para lasanha ou canellonis podem ficar boas na posição 5 ou 6 (graduação da máquina da marca Marcato).
Vá colocando as placas de massa num pano de cozinha enfarinhado. Para montar os raviolli, tem duas formas para o fazer:
1 – Tenha uma placa de massa num pano enfarinhado, vá colocando montinhos de recheio separados por algum espaço. Passe nos rebordos da massa com o dedo humedecido ou um pincel com água para colar a massa. Depois coloque outra placa de massa por cima, ajeite em torno de cada montinho para os raviollis ficarem sem ar dentro e depois feche, pressionando com um cortante redondo ou um utensílio próprio.
2 - Corte quadrados todos do mesmo tamanho e coloque um montinho de recheio em cada um, depois humedeça ligeiramente as pontas da massa e coloque outro quadrado por cima. Corte com o cortante.





Se quiser pode cozer os ravioli 3 minutos em água abundante com sal. Estes foram a gratinar ao forno, por isso não foi necessária cozedura prévia. Coloque-os num tabuleiro de forma a que não fiquem muito acamados em cima uns dos outros, regue com molho bechamel de forma a ficarem totalmente cobertos e leve ao forno pré-aquecido a 200º até gratinar.
Sirva com o presunto crocante e a salsa fresca picada.





quarta-feira, 27 de abril de 2016

Tiramisú D. Elvira




Gosto de tudo o que é prato italiano. Gosto de tudo o que leva queijo. Qualquer queijo (e façam o favor de ler isto com ar de loucos, que é o mesmo ar que eu ponho quando como queijo!!). Ora, pois claro que gosto de tiramisú! Ainda por cima não é uma sobremesa demasiado doce, serve-se fresca e tem o aroma do café, que eu também aprecio bastante, tem tudo para ser "a minha cara".
Esta receita, conta-se, teve a sua origem na região italiana da Toscana, algures entre Florença e Siena, duas cidades maravilhosas, diga-se na verdade. Chamar-se-ia "Sopa do Duque" (Zuppa del Duca) e terá sido criada para homenagear o Granduque de Florença, da poderosa família Médici, que "reinou" na Toscana entre os séculos XIV e XVIII. Com o tempo, a receita saiu fora dos limites de Florença e "viajou" um pouco por toda a Itália. Posteriormente, por todo o mundo... Algumas cidades disputam a paternidade da iguaria e parece que Siena é uma delas. Esta localidade pode não ser tão conhecida, não é uma cidade tão grande como Florença, mas vale mesmo a pena a visita. Deixo-vos uma foto da magnífica praça em forma de "leque aberto" para que se inspirem e, quem sabe, fiquem com vontade de conhecer Siena. É nesta praça que acontece, desde o século XVII, O Palio, uma corrida de cavalos que ainda hoje é atração turística.
Com tanta conversa, eu já ia para Itália... mas vou voltar à receita. Na sua versão original é confecionada com vinho Marsala, um vinho doce italiano. Não sei porque é que tantas receitas que se veem por cá usam rum, que nada tem a ver com vinho doce, mas é uma opção, muito diferente, mas uma opção. Eu utilizei um vinho licoroso da minha região, o D. Elvira, da Adega de Arruda. Ficou delicioso e o vinho deu nome à receita que, assim, fica batizada "à portuguesa". Já experimentei várias receitas de tiramisú e esta é a que mais me agrada, sem dúvida. Espero que gostem, é a minha sugestão de sobremesa para o dia da Mãe :)


Ingredientes para 6 porções:
3 ovos
250 gr de queijo mascarpone
90 gr de açúcar
150 gr de savoiardi ou palitos la reine
2 cafés expresso
2 cálices de vinho licoroso D. Elvira
Café, chocolate ou frutos secos para decorar

Preparação: Bata as gemas com metade do açúcar. De preferência faça-o com a batedeira elétrica para a mistura ficar mais fofa e arejada. Numa outra tigela, com uma colher, bata o mascarpone com meio café expresso e meio cálice de vinho licoroso, misture tudo bem. Quando o queijo mascarpone estiver sem grumos e bem batido, junte-o ao preparado de ovos. Misture tudo bem. À parte bata as claras em castelo bem firme. Quando já estiverem firmes, junte o restante açúcar e continue a bater até obter um merengue espesso. Depois, delicadamente, envolva as claras no preparado de queijo e ovos. O creme está pronto.
Num prato fundo deite o restante café e vinho licoroso. Molhe os biscoitos nesta mistura e esprema-os cuidadosamente para não ficarem encharcados e não largarem líquido para o creme. Num recipiente grande ou em taças individuais vá deitando creme de mascarpone e biscoitos, intercalando até finalizar com uma camada de creme. Polvilhe com café, chocolate em pó ou em raspas e amêndoas laminadas a gosto (eu usei as três coisas). Leve ao frigorífico pelo menos durante 4 horas antes de servir.

Notas:

# Mascarpone é um queijo italiano, da região da Lombardia, elaborado apenas com as natas do leite, pelo que é bastante gordo e muito cremoso. Já experimentei substituir este produto por queijo creme magro, o tiramisú fica razoável, mas mais líquido, pois o queijo creme light não tem tanta cremosidade.

# Savoiardi são biscoitos italianos fofos e achatados, idênticos aos palitos la reine. 

# Confeção: algumas receitas italianas indicam que os ovos devem ser batidos com o açúcar em banho-maria, fazendo uma espécie de zabaione ou sabaione, uma receita também italiana (podem ver AQUI), mas eu prefiro fazer em cru, pois acho que fica mais cremoso e mais espesso. Por esse facto, é aconselhável que usem ovos muito frescos.




domingo, 24 de abril de 2016

Folhado de alheira e espinafres

 



Este é daqueles petiscos que é mesmo o meu estilo. Prático, rápido, fica bonito e delicioso. Tem um enchido de que gosto muito, mas também tem algo verde, talvez a verdura que eu mais gosto: espinafres. É bom para levar para lanches ou jantaradas de amigos, serve de entrada ou prato principal, ficando muito bem com uma salada a acompanhar. Até é bom para levar para um piquenique e agora, que parece que o bom tempo finalmente chegou, fica a sugestão para levar para a praia ou para o campo.

Ingredientes:
1 placa de massa folhada retangular
1 alheira (também pode ser confecionado com farinheira)
1 cebola não muito grande
1 dente de alho
1 fio de azeite
Sal e pimenta qb
150 gr de folhas de espinafres
1 gema de ovo para pincelar

Preparação:
Deite um fio de azeite numa frigideira anti-aderente. Junte a cebola e alho picados e cozinhe até amolecerem. Depois retire a pele à alheira e junte o recheio à frigideira, desfazendo com um garfo. Tempere com sal e pimenta e envolva tudo, deixando cozinhar mais uns 2 minutos. Desligue o lume e deixe o preparado arrefecer.
Desenrole a placa de massa folhada e cubra-a com as folhas de espinafres em cru, polvilhe-as com um pouco de sal fino. Depois de arrefecido, coloque o recheio de alheira por cima dos espinafres, deixando espaço para fechar o rolo folhado. Coloque mais folhas de espinafres por cima da alheira e enrole bem de forma a que toda a alheira fique envolta nos espinafres e na massa folhada. Feche o folhado, começando por dobrar as extremidades da massa e depois a superfície maior, como mostrado nas fotos. Pincele com gema de ovo batida e leve ao forno pré-aquecido a 185º até a massa ter crescido e estar dourada.

Bom apetite!



 

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Fricassé de polvo




Digo várias vezes que gosto de fricassé de tudo e é verdade! De frango, galinha, peixe, cogumelos... e de polvo! Para quem nunca provou é fácil: se gostam de polvo e de fricassé, gostam deste prato. É simplesmente delicioso! O molho deve ficar grosso e suculento e ser abundante, pelo menos para mim, que sou gulosa e adoro fricassé! Para tal há que ter alguma paciência, ir juntando a água da cozedura do polvo e deixando reduzir lentamente e, só por fim, juntar as gemas e sumo de limão. Muita salsa picada, como pede qualquer fricassé e está feito! Há muito que andava para experimentar o prato, foi este fim-de-semana e não desiludiu. Servi como prato principal, com batatas fritas e salada de alface, mas pode ser servido como entrada ou petisco, em alternativa, por exemplo, à tradicional salada de polvo. Espero que gostem da sugestão.

Ingrediente para 4 pessoas:
1500 gr de polvo
6 gemas
Sumo de 1 a 2 limões
1 molho de salsa fresca
Sal e pimenta qb
1 dl de azeite
1 cebola bem grande
2 dentes de alho
Água de cozer o polvo

Preparação:
Coza o polvo em água sem sal até estar tenro. Reserve a água. Corte o polvo em pedaços e reserve.
Num tacho deite o azeite, bem como a cebola e alhos, tudo picado finamente. Deixe a cebola amolecer, em lume médio, sem deixar ganhar cor. Quando estiver transparente, vá juntando colheres da água de cozer o polvo. Vá mexendo sempre, deixando reduzir e juntando mais água sempre que o preparado estiver a secar. Este processo vai permitir que o prato ganhe muito sabor, ao mesmo tempo que fazemos o molho e o tornamos grosso e suculento. Numa tigela à parte bata 6 gemas de ovos com o sumo de 1 a 2 limões, conforme queira o molho mais ou menos ácido. Junte um pouco da água de cozer o polvo (3 a 4 colheres de sopa) e a salsa muito picadinha. Bata com um garfo. Junte este preparado ao tacho com a cebola. Reduza o lume para que os ovos cozinhem lentamente e não fiquem tipo omeleta. Vá mexendo durante 3 a 4 minutos até obter um molho grosso. Mesmo no fim junte os pedaços do polvo previamente cozido. Sirva com arroz, batata frita, salada ou legumes.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



sexta-feira, 15 de abril de 2016

Bolo de aniversário de chocolate e leite condensado



O meu sobrinho fez 13 anos! Adoro o meu sobrinho. Provavelmente já falei dele aqui outras vezes, perdoem-me, mas sou uma tia muito babada... Já amava o meu sobrinho ainda antes dele nascer, como as mães amam os filhos. Ele estava na barriga da mãe e eu fazia-lhe cócegas no pé... o pezinho fugia e eu tenho a certeza que o Miguel soltava uma gargalhadinha lá dentro! Depois nasceu e o amor de todos nós por ele cresceu. Muito! Tem estado sempre presente nos momentos mais importantes da minha vida e já foi uma ajuda preciosa em momentos difíceis. Ele nem entendeu porquê, era muito pequeno para tal, mas foi precioso, um amor sagrado, uma ajuda grande, um incentivo de sorriso pleno de alegria e luz em momentos mais escuros.
Nem sequer tenho um laço de sangue como o meu sobrinho Miguel, tenho um laço, um nó apertado no coração, na alma, um nó que tenho a certeza que nunca se vai quebrar porque os amores que não se explicam são assim: simplesmente existem porque sim e ainda bem.
Ontem fiz-lhe este bolo de chocolate porque ele adora chocolate. Ele está grande e muitoooo adolescente, com todas as caraterísticas de um adolescente, o que desespera um pouco os pais. Mas, a mim, tudo nele me encanta! Acho que é esta a  magia de ser tia :) Obrigada por existires, Miguel, e por me permitires este amor tão grande!

Ingredientes:
160 gr de chocolate (usei chocolate de leite de boa qualidade para o bolo ficar mais doce)
200 gr de açúcar mascavado
100 gr de farinha
4 ovos
125 gr de manteiga sem sal
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de fermento em pó
Para a cobertura e recheio: 1 lata de leite condensado + 60 gr de chocolate em pó + 60 gr de cacau em pó. Gomas e drageias para decorar, a gosto.

Preparação:
Bata o açúcar com a manteiga bastante bem. Depois vá juntando os ovos inteiros um a um, enquanto derrete o chocolate em banho-maria. Junte o chocolate derretido ao preparado anterior e misture bem. Depois misture a farinha, fermento e bicarbonato e envolva delicadamente. Coloque o preparado numa forma redonda untada e leve ao forno pré aquecido a 180º por cerca de 30 minutos.
Faça o creme misturando o leite condensado com o cacau e chocolate em pó até obter um creme liso e consistente.
Depois de cozido o bolo, desenforme-o e deixei-o arrefecer. Corte ao meio depois de frio e recheie com metade do creme. Junte as duas partes e deite o restante creme de chocolate para cobrir o bolo. Decore a gosto.

Bom apetite e bom fim-de-semana!


sábado, 9 de abril de 2016

Tarte rápida de feijão


Se há sobremesas fáceis, esta é uma delas. Inspirei-me na receita de Tarte de Grão do livro da Clara de Sousa, receita que eu já publiquei aqui no blog, mas em formato de queijadas (podem ver AQUI), mas desta vez fiz uma espécie de bolo. Juntei alguma farinha e, em vez de grão, usei feijão branco, pois era o que tinha em casa e queria fazer um bolo rápido, mas que fosse delicioso para levar para um encontro de amigos. Algo emocionalmente muito especial... estamos a tentar dar nova vida ao clube recreativo onde passámos décadas da nossa vida, nós, os amigos, onde nos conhecemos, onde fortalecemos relações, onde alguns começaram namoros, casamentos, vidas...
Além destas aventuras, os últimos dias têm sido de muito trabalho, o que tem sido bom e gratificante, mas tem-me sobrado pouco tempo para os cozinhados. O fim-de-semana é a altura em que tenho um pouco mais de tempo para me dedicar às paparocas e fazer uns mimos para os amigos. Esta tarte de feijão vai para uns amigos e, ainda hoje, vou fazer outra sobremesa que vai para outros, a casa de quem eu o o meu marido vamos jantar. Ter tempo para os amigos é bom e ter amigos é extraordinário. Muito importante, mesmo. E, para isso, nunca posso deixar que me falte tempo.

Ingredientes:
300 gr de açúcar mascavado
7 ovos inteiros
400 gr de feijão branco cozido (pesado depois de escorrido, usei um frasco de feijão já cozido)
80 gr de farinha tipo 55
Raspa da casca de 2 laranjas

Preparação:
Coloque no liquidificador ou processador de alimentos o feijão cozido, os ovos ligeiramente batidos, o açúcar e a raspa das laranjas ou mesmo as cascas (só o vidrado, a parte laranja), pois o processador vai desfazer tudo. Bata/triture até obter uma mistura homogénea. Depois junte a farinha e triture mais 30 a 60 segundos, só para misturar. Deite o preparado numa forma redonda untada e com o fundo forrado com papel vegetal e leve ao forno pré-aquecido a 180º durante 30 minutos.
Desenforme e polvilhe com açúcar em pó.

Bom apetite e bom fim-de-semana!


sexta-feira, 1 de abril de 2016

Tagliatelle com pesto de chocolate e salada de morangos





Hoje é Dia das Mentiras e o desafio do grupo "Dia Um... Na Cozinha" deste mês era precisamente fazer uma "receita mentirosa". Achei muita piada ao tema e imaginei logo uma receita que, neste caso, pode parecer um prato principal, mas não é... é mesmo uma sobremesa e isso não é mentira! E é deliciosa e isso também não é mentira ;) Só o aspeto pode enganar.
Um tagliatelle com molho pesto de chocolate, que fez as delícias de quem provou. Já fiz esta receita com pasta fresca e com massa seca. Em relação ao pesto de chocolate também pode ser servido como acompanhamento de um prato de frutas. Fica original e muito saboroso, além de ser uma solução rápida quando não temos sobremesa e queremos surpreender alguém. Espero que se divirtam com a receita e tenham um bom fim de semana.

Ingredientes para 4 pessoas:
Tagliattele seco qb ou pasta fresca
Para a pasta fresca, para uma sobremesa para 4 doses: 150 gr de farinha, 1 ovo inteiro + 1 gema
Para o pesto: 50 gr de chocolate com 70% de cacau, 1 colher de sopa de mel, meia colher de sopa de óleo de girassol, 1 colher de sopa cheia de cajus, 25 gr de queijo emmental, 2 a 3 ramos de hortelã (só folhas) e 2 ramos de manjericão (folhas e caules).
200 gr de morangos + 2 colheres de sopa de mel
2 quadrados de chocolate branco em raspas
Pimenta rosa (opcional)

Preparação:
Coza a massa seca em água sem sal até ficar al dente. Se optar por pasta fresca, amasse a farinha com os ovos, sem sal. Depois passe na máquina até a massa ficar bem fina e corte-a em tagliatelle. Coza em água sem sal por 3 minutos, escorra, envolva com um fio de óleo de girassol e reserve.
Faça o pesto. Coloque num processador de alimentos os ingredientes indicados para o pesto e triture tudo. Se estiver muito seco junte um pouquinho mais de óleo até conseguir uma consistência de pesto.
Depois envolva a massa com o molho pesto de chocolate. No fim junte uma salada feita com os morangos cortados e envolvidos apenas num pouco de mel. Decore com folhas de manjericão e chocolate branco ralado. Se gostar, junte também uns grãos de pimenta rosa. 

Bom apetite!