quarta-feira, 23 de março de 2016

Pão-de-ló de Alfeizerão




Provei Pão-de-Ló de Alfeizerão pela primeira vez quando era muito pequena, pois passava as férias de verão em São Martinho do Porto. Por isso, para mim, este pão-de-ló, além de magnífico e de ser uma enorme gulodice, faz-me recordar os agostos passados em São Martinho, quando andava na escola primária e esperava ansiosamente pelas férias grande, principalmente pelo mês de agosto, para reencontrar amigos de verão e passar os dias dentro de água até estar toda engelhada!
Do pão-de-ló de Alfeizerão lembro-me, pois, desde que sou gente. Uns anos (valentes) mais tarde, nos primeiros anos de casada, fui de propósito a Alfeizerão com o meu marido para ele provar a iguaria, que era desconhecida para ele. Quase que o rapaz se divorciava de mim para casar com... o pão-de-ló... ou com a senhora que os faz, sei lá! Tudo era possível, ficou louco com aquilo! Ele adora "doces amarelos", à base de ovos claro, e que sejam muito suculentos, por isso este doce é mesmo a carinha dele. Quando agora descobri a receita no blog da Mafalda Agante "Há alguém mais gulosa do que eu?", fui logo experimentar. Segundo a autora do blog refere, esta é a receita de Amílcar Beato, chef do Real Abadia Hotel. 
Este meu pão-de-ló cozeu um pouquinho mais do que eu queria, porque eu andava desatinada com as funções do forno e deixei-o lá dentro uns minutos a mais, mas partilharei novas fotos assim que faça outro mais cremoso. Partilho convosco a receita com os tempos originais indicados, depois adaptem conforme o comportamento do vosso forno e conforme o vosso gosto.
Para quem prefere um pão de ló seco, mas muito fofo, tipo nuvem, aqui fica a receita que fiz o ano passado pela Páscoa: Pão-de-Ló Fofo
  
Ingredientes:
6 gemas
2 ovos inteiros
120 g de açúcar
50 g de farinha com fermento


Preparação: 
Bater as gemas, os ovos inteiros e o açúcar na batedeira elétrica com a pinha (varas) até crescer e ficar um creme fofo e esbranquiçado (10 a 12 minutos a bater). Depois envolver delicadamente a farinha no creme, em movimentos circulares, sem bater. Verter a massa numa forma forrada a papel vegetal. Levar ao forno a 200º C durante 7 a 10 minutos, consoante quiser o bolo mais ou menos líquido no interior. Retirar imediatamente no fim do tempo, pois cada minuto a mais faz com que o bolo fique menos cremoso.

Bom apetite! Boa Páscoa!

4 comentários:

  1. Esse interior húmido é de bradar aos céus! Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma perdição, é verdade!!!
      Beijos, boa Páscoa. Susana

      Excluir
  2. A história é absolutamente verdadeira - exceto a parte do divórcio... - e o bolo é absolutamente, inacreditavelmente, estupidamente delicioso! Com a agravante de ser viciante! É mesmo difícil parar de o comer!....

    ResponderExcluir
  3. Adoro, e a parte húmida é só maravilhosa! :D

    ResponderExcluir