quarta-feira, 30 de março de 2016

Lombos de pescada com manjericão



Há uns tempos que não publicava uma receitinha saudável. Tenho andado de volta dos doces, a "culpa" foi da Páscoa e também ando numa fase uma bocado gulosa, confesso. Mas esta semana estou muito empenhada em compensar os excessos da época festiva. Ainda por cima, no domingo de Páscoa, trouxe vegetais maravilhosos, frescos e orgânicos, da horta dos primos Carlos e Lurdes. Fiquei com um autêntico jardim de verdes e ervas aromáticas aqui em casa, uma maravilha! Eu adoro vegetais e saladas em particular e gosto de juntar ervas aromáticas praticamente a tudo. Hoje partilho convosco uma receita muito rápida de confecionar, uma espécie de pescada à Bulhão Pato que, em vez de coentros, leva manjericão. A pescada é cozinhada no azeite, alhos e ervas aromáticas e fica deliciosa. Espero que gostem.

Ingredientes para 4 pessoas:
8 a 12 lombos ou medalhões de pescada
1 molho grande de espinafres
6 dentes de alho
1,5 dl de azeite
Sal e pimenta qb
100 gr de salmão fumado
200 gr de tomate cereja
1 colher de sopa de sementes de papoila (ou sésamo, se preferir)
Sumo de uma lima

Preparação:
Depois de arranjados e lavados os espinafres, saltei-os numa frigideira anti-aderente com alhos picados muito finamente e metade do azeite. Tempere de sal e deixe cozinhar até os espinafres terem perdido o volume. 
Também numa frigideira anti-aderente, coloque o restante azeite, deixe aquecer e junte os lombos de pescada. Tempere com sal, pimenta e alhos laminados. Junte manjericão fresco e deixe cozinhar cerca de 10 minutos. Baixe ligeiramente o lume, se necessário, para não queimar e pode refrescar com um pequeno cálice de vinho branco para criar molho. No fim, tempere com sumo de lima e mais manjericão fresco.
Lave os tomates cereja e corte-os ao meio, tempere-os com azeite, sal e vinagre a gosto. Tempere o salmão fumado com o sumo de lima e pimenta e sirva a pescada com os espinafres, o salmão, tomatinhos cereja e manjericão a gosto. Polvilhe tudo com sementes de papoila.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

 


sábado, 26 de março de 2016

Folar enrolado algarvio # Páscoa




Sou sincera: folar doce não é das minhas preferências. Gosto (adoro!) a versão salgada, tipo folar transmontano, bola de carnes e petiscos do género, mas aos folares doces, sempre os achei muito secos, pouco doces e sem grande graça. É bom torrado, é bom com manteiga... são coisas deste género que oiço as pessoas dizerem para defenderem os folares da sua terra ou da sua própria cozinha. Para mim... ou é bom ou não é bom! E, se é seco e pouco suculento, para mim não é muito bom... perdoem-me a franqueza. Estava convicta desta opinião em relação aos folares, até que descobri (sim, confesso que nunca tinha provado) estas receitas de Folar Algarvio ou Folar de Olhão. Bem haja as gentes de Olhão, ou do Algarve em geral, que imaginaram esta maravilha!
Para fazer os folares inspirei-me nas receitas dos blogs Petiscana e Mesa Corrida, juntei aspetos das duas, até porque têm muito poucas diferenças e respeitam a receita original, e o resultado foi fantástico.
Desejo um Páscoa feliz a todos vocês. Sejam doces, carinhosos e sonhadores nesta Páscoa e sempre. Páscoa é sinónimo de renovação e passagem. Devemos renovar-nos sempre. Ou, pelo menos, tentar, abrir os nossos corações à mudança, para que ela possa acontecer da forma mais feliz possível.

Ingredientes:
530 gr de farinha tipo 55
10 gr de fermento de padeiro seco (ou 25 gr do fresco)
1 dl de leite morno
Sumo de 2 laranjas
2 colheres de sopa de aguardente
120g de manteiga
60g de banha
1 pitada de sal
1 colher de chá de erva doce moída

Para o recheio
 
200 gr de açúcar amarelo
100 gr de manteiga cortada em pedaços
3 colheres de sopa de canela
Preparação:
Dissolver o fermento no leite morno.
Numa taça, misturar a farinha, margarina, banha, sal e erva doce até obter uma massa esfarelada. Abrir uma cavidade no meio e juntar a mistura de leite e fermento. Amassar na batedeira, com o gancho de amassar, 10 minutos. A meio do processo, juntar o sumo das laranjas e a aguardente.
Moldar uma bola e colocar numa taça de loiça ou vidro untada com um pouco de azeite, cobrir com um pano de cozinha ou película aderente e deixar levedar durante cerca de 2 horas, num local abrigado e quente, até que o volume da massa duplique.
Misturar o açúcar amarelo e a canela para o recheio. Untar duas formas altas, ou panelas de alumínio, com cerca de 15 cm de diâmetro com manteiga e polvilhar com a mistura de açúcar e canela. Também podem fazer um único folar maior (mais largo, numa forma única).
Transferir a massa para uma bancada polvilhada com farinha e amassar ligeiramente apenas para retirar o ar. Com a ajuda do rolo de cozinha, estender a massa num retângulo. Polvilhar com açúcar e canela e colocar pequenas nozes de manteiga sobre a massa. Dobrar os lados maiores do retângulo para dentro, em direção ao centro. Voltar a polvilhar com açúcar, canela e manteiga e voltar a dobrar e enrolar, agora a partir do lado mais pequeno, como se fosse uma torta. Ir fazendo sempre isto, polvilhando sempre com o açúcar e canela e juntando a manteiga, até terminar a massa. Se quiserem apenas um folar, está pronto. Eu optei por fazer dois folares com estas quantidades. Depois de feitos estes rolos, cortei em dois.
De seguida, coloquei as massas enroladas nas formas preparadas, polvilhei com açúcar, canela e manteiga, tapei com um pano ou película aderente e deixei levedar novamente durante uma hora.
Pré-aquecer o forno a 190ºC e cozer o folar durante aproximadamente 40 minutos.
Desenformar ainda quente para um prato.
 
Bom apetite e boa Páscoa!




quarta-feira, 23 de março de 2016

Pão-de-ló de Alfeizerão




Provei Pão-de-Ló de Alfeizerão pela primeira vez quando era muito pequena, pois passava as férias de verão em São Martinho do Porto. Por isso, para mim, este pão-de-ló, além de magnífico e de ser uma enorme gulodice, faz-me recordar os agostos passados em São Martinho, quando andava na escola primária e esperava ansiosamente pelas férias grande, principalmente pelo mês de agosto, para reencontrar amigos de verão e passar os dias dentro de água até estar toda engelhada!
Do pão-de-ló de Alfeizerão lembro-me, pois, desde que sou gente. Uns anos (valentes) mais tarde, nos primeiros anos de casada, fui de propósito a Alfeizerão com o meu marido para ele provar a iguaria, que era desconhecida para ele. Quase que o rapaz se divorciava de mim para casar com... o pão-de-ló... ou com a senhora que os faz, sei lá! Tudo era possível, ficou louco com aquilo! Ele adora "doces amarelos", à base de ovos claro, e que sejam muito suculentos, por isso este doce é mesmo a carinha dele. Quando agora descobri a receita no blog da Mafalda Agante "Há alguém mais gulosa do que eu?", fui logo experimentar. Segundo a autora do blog refere, esta é a receita de Amílcar Beato, chef do Real Abadia Hotel. 
Este meu pão-de-ló cozeu um pouquinho mais do que eu queria, porque eu andava desatinada com as funções do forno e deixei-o lá dentro uns minutos a mais, mas partilharei novas fotos assim que faça outro mais cremoso. Partilho convosco a receita com os tempos originais indicados, depois adaptem conforme o comportamento do vosso forno e conforme o vosso gosto.
Para quem prefere um pão de ló seco, mas muito fofo, tipo nuvem, aqui fica a receita que fiz o ano passado pela Páscoa: Pão-de-Ló Fofo
  
Ingredientes:
6 gemas
2 ovos inteiros
120 g de açúcar
50 g de farinha com fermento


Preparação: 
Bater as gemas, os ovos inteiros e o açúcar na batedeira elétrica com a pinha (varas) até crescer e ficar um creme fofo e esbranquiçado (10 a 12 minutos a bater). Depois envolver delicadamente a farinha no creme, em movimentos circulares, sem bater. Verter a massa numa forma forrada a papel vegetal. Levar ao forno a 200º C durante 7 a 10 minutos, consoante quiser o bolo mais ou menos líquido no interior. Retirar imediatamente no fim do tempo, pois cada minuto a mais faz com que o bolo fique menos cremoso.

Bom apetite! Boa Páscoa!

sexta-feira, 18 de março de 2016

Bolo de chocolate com merengue




Fiz este bolo para levar para um fim de semana em casa de uns grandes amigos. Foi em janeiro deste ano e o bolo fez sucesso junto dos amigos. Na altura publiquei uma foto no facebook e prometi a receita quando chegasse aos 4000 gostos. Como foi agora que aconteceu, cá vai :)
Obrigada a todos os que estão por aí e seguem as minhas paparocas, seja aqui, no facebook ou no instagram. Partilhem as receitas, comentem, experimentem, alterem e deem-me a vossa opinião. A partilha só faz sentido se for dirigida a alguém. E eu gosto de partilhar convosco. E gosto, cada vez mais, de fazer aquilo que me apetece sem ir em modas. Gosto de acompanhar algumas tendências, experimentar coisas novas e tirar ideias de várias fontes, mas gosto, acima de tudo, de fazer o que me apetece e me dá mais gozo. Os locais onde vou, sejam restaurantes, museus, cidades, praias ou jantaradas de amigos, são a minha principal fonte de inspiração. A internet e os livros de receitas (sim, tenho livros em papel ;) ) também são uma ajuda na pesquisa e uma excelente forma de aprender, mas pôr a imaginação a trabalhar é maravilhoso e diverte-me imenso. Acordar a pensar numa receita nova, num ingrediente, num sabor... Desejar que chegue o fim de semana para pôr a ideia em prática! É assim que vou continuar a cozinhar e a comer: por diversão e com paixão.
Bom fim de semana e beijinhos para todos.

Ingredientes e Preparação:

Bolo: 180 gr de chocolate com 60 a 70% de cacau, 100 gr de manteiga sem sal, 4 ovos inteiros, 125 gr de açúcar, 130 gr de farinha, 1 colher de chá de fermento em pó.
# Derreta o chocolate com a manteiga em banho maria. Bata as gemas com o açúcar até obter um preparado esbranquiçado e muito cremoso. Junte o chocolate derretido a este preparado até estar tudo bem misturado. Por fim, vá juntando a farinha peneirada com o fermento, alternando com as claras batidas em castelo. Envolva delicadamente. Coloque o preparado numa forma sem buraco untada e leve ao forno pré aquecido a 180º durante 30 minutos. Quando estiver pronto, desenforme, corte ao meio, depois de frio, e recheie com o creme.

Recheio: 1 lata de leite condensado cozido, 80 gr de chocolate branco derretido, 2 colheres de sopa de manteiga sem sal, 4 claras.
# Derreta o chocolate com a manteiga em banho maria. Depois junte o preparado ao leite condensado e misture muito bem, de forma a obter um creme liso. Quando estiver muito bem misturado e sem grumos, envolva 4 claras em castelo. Guarde o creme no frio até à hora de montar o bolo

Merengue: 3 claras, 130 gr açúcar refinado, 1 colher de sopa rasa de amido de milho, 1 colher de chá de sumo de limão, 1 quadrado de chocolate negro ralado.
# Pré-aqueça o forno a 140º. Bata as claras em castelo na velocidade máxima da batedeira. Quando começarem a ficar consistentes, mas não demasiado rijas, comece a adicionar o açúcar, colher a colher, sem nunca deixar de bater. Neste momento adicione o sumo de limão e reduza a velocidade para média/alta. Depois de adicionado todo o açúcar, junte o amido de milho. Bata um último minuto só para misturar. No total deve estar cerca de 10 a 12 minutos a bater o merengue.
Num tabuleiro coloque papel vegetal (marque previamente um círculo do diâmetro da forma) e disponha o merengue por cima com a ajuda de uma espátula para fazer os bicos de creme. Polvilhe com choclate negro ralado e leve ao forno a 140º por uma hora sem nunca abrir o forno. No fim dos 60 minutos, desligue o forno e deixe o merengue ficar lá dentro até que arrefeça um pouco (10 a 15 minutos). Depois abra a porta e deixe repousar mais uns 15 minutos antes de o retirar para não haver grandes diferenças de temperatura.
 
Monte o bolo, recheando-o com o creme, cobrindo com mais creme e terminando com o merengue. Pode levar um pouco ao frio antes de servir. Bom apetite!



terça-feira, 15 de março de 2016

Macarronete de azeitona com chouriça, espinafres e grão



Este prato foi mais uma boa experiência com as massas com sabores mediterrânicos da Milaneza. O gosto a azeitona deste macaronete não é muito intenso, mas a massa é saborosa e tem uma excelente textura. Resolvi envolvê-la num molho de grão, cremoso e nutritivo. Já que o inverno não se quer ir embora, lá tive que fazer mais um prato quentinho e aconchegante. É uma sugestão rápida, ideal para os almoços durante a semana.
Ingredientes para 4 pessoas:
1 chouriça de Bragança (ou outro chouriço de carne a gosto)
1 frasco de grão cozido
1 molho de espinafres frescos
3 dentes de alho
Sal e pimenta qb
2 iogurtes naturais sem açúcar
1 dl de azeite 
Oregãos qb

Preparação:
Comece por cozer a massa "al dente", conforme as instruções do pacote, em água temperada com sal. Escorra, envolva com um fio de azeite e reserve.
Corte a chouriça em rodelas e deixe-a fritar na própria gordura, numa frigideira anti aderente até ficar crocante. Retire, escorra em papel absorvente e reserve. Deite um fio de azeite na frigideira e salteie os espinafres com o alho. Depois junte o grão previamente cozido e deixe cozinhar tudo durante uns 5 minutos. Vá esmagando alguns grãos com um garfo para depois obter um molho cremoso. Junte 2 iogurtes naturais, tempere com sal e pimenta e envolva tudo, deixando o molho ferver mais 2 a 3 minutos. Volte a juntar as rodelas de chouriço crocante. Envolva a massa previamente cozida neste molho e sirva bem quente e polvilhado com oregãos secos.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

sexta-feira, 11 de março de 2016

Bolo de dois chocolates e manteiga de avelã

 

Desde que sigo o blog da Mafalda Agante, "Há alguém mais gulosa do que eu", que eu própria ando mais gulosa por doces, eu que sou mais de comida salgada... este blog é mesmo uma perdição. Numa destas segundas-feiras, ela sugeriu, na rubrica "Segundas-feiras Doces" da RFM, um bolo cremoso de dois chocolates com um aspeto, OMG!!
Logo nesse fim de semana fiz o bolo, mas introduzi-lhe uma alteração, juntando avelã. Resultado: ficou a saber a Ferrero Roché, ficou divino, como divino deve ser o da receita original, que podem ver aqui. Espero que gostem da sugestão. Tenham um bom e doce fim de semana.

Ingredientes:
5 ovos
130 gr de chocolate de leite
80 gr de chocolate negro 70% cacau
100 gr de manteiga sem sal
100 gr de manteiga de avelã (para isso usei cerca de 200 gr de avelã previamente torrada e descascada)
100 gr de açúcar branco fino
50 gr amido de milho
1 colher de chá de fermento em pó
Açúcar em pó e avelãs torradas para decorar

Preparação:
Unte uma forma com margarina e forre o fundo com papel vegetal também untado. Pré-aqueça o forno a 175º C (pus o meu a 190º C, o meu bolo não ficou tão húmido como o da receita original). Derreta o chocolate de leite e o chocolate negro juntamente com a manteiga sem sal, reserve.
Entretanto tenha as avelãs previamente torradas e com a pele retirada. Coloque 200 gr de avelãs na trituradora ou processador de alimentos e pique, moendo até ficar em pasta. Desta forma os frutos secos vão libertar a sua gordura, os seus óleos, e obtemos a manteiga de avelã. Misture esta manteiga de avelã com o preparado de chocolate derretido.
Bata os ovos com o açúcar, acrescente a mistura de chocolate, bata novamente. Adicione o amido de milho e o fermento em pó e misture muito bem, já sem bater. Vai ao forno durante 15 minutos. Deixe arrefecer, desenforme e retirar o papel vegetal. Decorar com açúcar em pó e avelãs torradas moídas ou inteiras.

Bom apetite! Bom fim de semana!

terça-feira, 8 de março de 2016

Feijoada de bacalhau



A ONU declarou 2016 como o ano das leguminosas com o objetivo de promover estes alimentos devido à sua importância nutricional, nomeadamente enquanto fonte de proteína de origem vegetal. Pessoalmente sempre gostei de leguminosas: favas, ervilhas, todo o tipo de feijão... Mas há mais. As lentilhas, a soja, o grão de bico ou os (tão tradicionalmente portugueses!) tremoços, também são da família das leguminosas. Bem sei que associamos quase sempre os tremoços à cerveja gelada no verão, o que é muito bom! No entanto, o valor nutricional e as possibilidades de utilização do tremoço na culinária vão muito além da "fresquinha" na esplanada da praia. Em breve vou explorar mais este alimento em novos pratos e partilharei os resultados convosco.
Por hoje, deixo-vos uma sugestão muito tradicional, que conjuga duas portuguesices deliciosas: bacalhau e feijoada! Estava bom, mas bom! Cá em casa foi uma refeição mesmo muito apreciada e partilhada em família. Espero que vocês também gostem e possam saborear este petisco com a vossa família e amigos.

Ingredientes para 4 pessoas:
3 postas grandes de bacalhau Riberalves pronto a cozinhar
Meio chouriço de carne (usei chouriça de Bragança)
700 gr de feijão branco cozido (pesado depois de cozido e escorrido)
4 tomates maduros chucha ou de cacho
1 cebola grande
2 dentes de alho
Meio alho francês
Meia couve coração
3 cenouras
1,5 dl de azeite
Sal e pimenta qb
1 ramo de cheiro com salsa e coentros + salsa picada qb
2 malaguetas

Preparação:
Num tacho anti aderente coloque a chouriça cortada em rodelas e deixe-a fritar na própria gordura. Depois junte o azeite e a cebola picada. Deixe refogar ligeiramente. Junte os alhos esmagados e o alho francês cortado em juliana e deixe continuar a refogar sem queimar. De seguida junte as cenouras cortadas em pequenos cubos e o ramo de coentros e salsa. Junte um pouco de água e tempere de sal. Deixe cozinhar 10 minutos com o tacho tapado. Corte a couve em juliana, os tomates em cubos pequenos e as malaguetas picadas. Junte tudo ao tacho, volte a adicionar um pouco de sal, mexa e deixe cozinhar até a cenoura e a couve estarem macias. Nos últimos 10 minutos adicione as postas de bacalhau, volte a tapar o tacho e deixe cozinhar os 10 minutos. 
Retire as postas de bacalhau e junte o feijão cozido, mexa e retifique temperos. Deixe apurar por mais 5 a 10 minutos, enquanto limpa o bacalhau de espinhas e peles, deixando-o em lascas. Por fim, junte o bacalhau ao tacho, envolva tudo bem e polvilhe com salsa fresca picada.
Sirva bem quente acompanhado com arroz branco, se gostar.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


quinta-feira, 3 de março de 2016

Couscous de camarão com tomate cereja e manjericão



Gostava de ter mais tempo para me dedicar aos cozinhados. Para aprender, pesquisar, experimentar as receitas da coleção de livros que aqui tenho. Às vezes até me lamento ao meu marido que não consigo dar uso a todos os livros e inspirações que coleciono. Eu consulto e uso-os, provavelmente mais do que a maioria das pessoas, mas gostava de ter mais tempo para explorar mais e tirar mais partido de tudo o que tenho por aqui. Dou valor a cada livro de cozinha, a cada utensílio, a cada coisa que me proponho a fazer. Se calhar sou eu que sou demasiado exigente... mas sou assim. 
Mas o meu marido ignora os lamentos e continua a oferecer-me livros de cozinha. E faz bem, porque eu adoro cada um deles! O último com que ele apareceu foi o "Jantaradas", do Kiko Martins. Já confecionei duas receitas de lá, de tanto que gostei do livro. As receitas são, de facto, todas muito simples, o que motiva a pôr mãos à obra, mesmo durante os dias de semana. Foi o caso quando experimentei este prato de couscous, que é simples e delicioso!

Ingredientes:
Para o caldo: meia cebola picada, meia cenoura picada, 2 dentes de alho, cascas e cabeças dos camarões, 1 fio de azeite, 1 colher de polpa de tomate, cerca de 0,5 l de água
400 gr de couscous
200 gr de tomate cereja
500 gr de camarão
2 dentes de alho picados
1 fio de azeite
Vinho branco qb
Sal e pimenta qb
Manjericão fresco a gosto

Preparação:
Faça o caldo, começando por refogar a cebola, alhos e cenoura, tudo picado em azeite. Junte as cascas e cabeças dos camarões, que entretanto descascou. Deixe refogar até ganhar cor. Depois junte a polpa de tomate (eu não usei) e junte também a água. Tape e deixe cozinhar por 25 minutos. Coloque o couscous numa travessa e cubra com o caldo bem quente, previamente passado por um coador (ou não, se quiser dar-lhe um toque mais rústico e encontrar os pedacinhos de legumes, eu não coei). O caldo deve ficar dois dedos acima do couscous. Tape com película aderente e deixe repousar durnate 10 a 15 minutos. No fim, solte o couscous com um garfo.
Coloque os tomates cereja num tabuleiro, tempere com sal e um fio de azeite e leve ao forno a 190º por 10 minutos. Salteie o camarão em azeite e alho laminado durante um minuto, junte umas 2 colheres de sopa de vinho banco para refrescar e deixe evaporar. Quando camarão e tomates estiverem cozinhados, misture tudo com o couscous, tempere com sal fino e pimenta a gosto. Polvilhe com manjericão fresco grosseiramente picado.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


terça-feira, 1 de março de 2016

Empada de frango, cogumelos e alho francês com aroma de farinheira




A mais tenra das massas... amanteigada, que se derrete na boca. De preferência morna, acabada de cozer... Um recheio suculento, saboroso, cremoso. É assim que gosto de uma empada, seja ela do que for. Quando vi que o desafio deste mês no grupo "Dia Um... Na Cozinha" era o de fazer empadas, pareceu-me muito bem. Gosto particularmente de fazer massas. Massa de rissol, de pizza, de coscorões, de pão, pasta fresca... Amassar, esticar e tender, com as mãos e sem a ajuda da batedeira, é uma tarefa que relaxa e que é muito gratificante porque permite observar o que vai nascendo de um ingrediente tão simples como a farinha quando misturado com água e/ou gordura. Fazer uma massa é gerar um filho muito querido na cozinha. A massa tem que ser acarinhada, às vezes tem que esperar, voltar a ser amassada com muita alma e repousar outra vez. Fazer massa é um trabalho de paciência, como tudo o que dá mais prazer na cozinha. 
Esta massa de empada (sem fermento!) é das mais deliciosas que já provei, muito amanteigada e ligeiramente quebradiça. Como dizem os chefs de cozinha (que não usam margarinas, mas apenas azeite e manteiga), tudo o que leva manteiga é delicioso. E eles têm razão, esta massa é um bom exemplo disso e eu acho que era capaz de comer só a massa, mesmo sem recheio... na verdade, até crua é boa (sei porque provei, como provo todas as massas cruas), mas pronto, agora já estou nos meus devaneios de pessoa extremamente gulosa! Não digo mais nada, vou para a cozinha preparar um jantar e um bolo porque a mamã hoje faz anos e o dia é dela! O pai do meu marido também faria, 88... e ele também gostava de comer bem.
Deixo-vos a receita da empada, que foi devorada cá em casa em apenas duas refeições!

Ingredientes para uma empada grande (serve 4 a 5 pessoas)

Recheio:
Meio frango
1 alho francês grande
1 cebola média
1 cenoura grande
1 dl de azeite
2 colheres de sopa de manteiga
3 cravinhos
1 folha de louro
Meia farinheira
100 gr de cogumelos brancos
0,5 dl de vinho branco 
Sal e pimenta qb

Massa: 450 gr de farinha de trigo sem fermento, 130 gr de manteiga sem sal, 70 gr de banha de porco, 1 colher de chá de sal fino, 2 colheres de sopa de leite frio, 1 ovo inteiro + 1 para pincelar

# Comece por arranjar o frango, retirando as gorduras maiores e partindo-o em pedaços. Deite o azeite num tacho e aloure aí a carne. Tempere de sal e vire os pedaços para os alourar ligeiramente de todos os lados. Depois junte a folha de louro, os cravinhos, a cebola cortada em meias luas finas, a parte verde do alho francês cortado em juliana e a cenoura cortada em pequenos cubos. Regue com 0,5 dl de vinho branco e deixe estufar tudo, com o tacho tapado, durante 30 minutos. 
# Faça a massa. Deite a farinha na bancada, junte o sal fino e misture bem. Abra uma cova no meio e junte as duas gorduras à temperatura ambiente e cortadas em pedaços. Se fizer isto de verão, convém que a manteiga e a banha tenham saído do frigorífico. Vá amassando com a ponta dos dedos até obter uma consistência areada. Depois junte o ovo inteiro e o leite frio e amasse tudo muito bem com as mãos até ter uma massa lisa e consistente. Faça uma bola, enrole-a em película aderente e deixe-a repousar no frigorífico por 30 minutos.
# Enquanto a massa espera, termine o recheio. Desfie todo o frango estufado e reserve juntamente com o molho e legumes, retirando apenas os cravinhos e a folha de louro.
Corte o alho francês que sobrou (a parte branca) em juliana fina. Num tacho deite 2 colheres de sopa de manteiga, deixe aquecer ligeiramente e junte o alho francês. Deixe cozinhar até este começar a amolecer, mas sem ganhar cor. Nesse momento junte meia farinheira sem a pele e esmague-a com um garfo. Junte os cogumelos laminados, tempere de sal e deixe cozinhar tudo, envolvendo bem, durante cerca de 3 minutos. Quando os cogumelos e o alho francês estiverem cozinhados, junte todo o frango desfiado com os restantes legumes e molho do estufado. Retifique de sal e tempere com um pouco de pimenta. Deixe cozinhar uns minutos até obter um preparado cremoso mas sem molho líquido. Assim que estiver pronto, espalhe tudo num tabuleiro para ajudar a arrefecer.
# Pré aqueça o forno a 220º. Com a ajuda de um rolo, estique a massa. Unte uma tarteira de tamanho standart e forre-a com uma placa de massa. Adicione o recheio depois de arrefecido. Cobra com outra placa de massa e ajeite as extremidades. Faça um pequeno furo, com a faca, no centro da massa para sair o vapor. Se desejar, enfeite esse meio, disfarçando o furo com um pequeno coração, flor ou outro enfeite de massa. Pincele com ovo batido e leve a empada ao forno pré aquecido a 220º durante 30 minutos. Sirva quente ou morna, acompanhada de uma salada verde.

Bom apetite e bom mês de março para todos!