sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Bolo de iogurte e coco



Este bolo é super, super simples. Não fica demasiado doce e acaba por ser levezinho, apesar de não ser um bolo muito fofo. Aliás, até o fiz num dia em que não estava muito bem disposta e optei por algo sem gordura, sem frutos secos e sem ingredientes mais "pesados".
Espero que gostem. desejo-vos um bom fim de semana.


Ingredientes:
2 iogurtes magros naturais (2 copos de 120 gr cada, a medida comum)
1 medida (o copo de iogurte) de coco ralado
3 medidas iguais de açúcar
2 medidas iguais de farinha de trigo para bolos
1 medida igual de farinha de coco (se não tiverem, adicionem mais uma medida de farinha de trigo)
4 ovos inteiros
Raspa da casca de 1 limão
1 colher de chá de fermento

Preparação:
Deite os iogurtes numa tigela. Encha um dos copos de iogurte com coco ralado e misture com os iogurtes. Junte o açúcar e a raspa de limão, misture bem. Vá adicionando os ovos inteiros e bata com uma colher de pau. Por fim junte as farinhas misturadas com o fermento. Envolva até estar tudo bem misturado, deite o preparado numa forma untada e leve ao forno pré aquecido a 190º durante 25 minutos. Desenforme e deixe o bolo arrefecer numa grelha.

Bom apetite!

 

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Almôndegas com esparguete e molho de cenoura


Há muito que não fazia almôndegas caseiras, temperadas e moldadas por mim, dando-lhes o sabor e consistência que prefiro. Tinha carne de vaca para outra preparação, mas achei que não era suficientemente tenra para o que pretendia, por isso resolvi picá-la e fazer almôndegas. Depois constatei que não tinha tomate para fazer molho e resolvi fazer um molho de cenoura. Além de ter ficado muito saboroso, permitiu incluir um legume nesta refeição. Este prato é a prova de que, na cozinha, tudo se pode transformar em algo diferente da nossa ideia inicial. E, mesmo que não tenhamos à mão todos os ingredientes  desejados, certamente haverá no frigorífico um substituto que também resultará numa refeição deliciosa. Eu optei por esta combinação de sabores e temperos para as almôndegas, mas a ideia é cada um escolher os aromas que mais gostar e preparar algo fantástico! Inspirem-se :)

Ingredientes para 4 pessoas:
500 gr de carne de vaca
50 gr de queijo da ilha
1 raminho de salsa fresca
1 raminho de tomilho
2 colheres de chá de açafrão em pó
1 colher de chá de colorau
Pimenta e sal qb 
1 ovo inteiro
50 gr de pão ralado

Preparação:
Pique a carne. Eu piquei na picadora (um processador de alimentos, tipo picadora comum, mas com mais capacidade). Piquei-a duas vezes porque queria uma consistência muito macia para as almôndegas. Depois de picada, coloque a carne numa tigela grande. Junte o queijo ralado, a salsa picada, o tomilho picado, o açafrão e o colorau em pó e o dente de alho ralado. Tempere com sal e pimenta. Adicione também o ovo para envolver tudo e trabalhe o preparado com as mãos. Vá juntando pão ralado até obter a consistência desejada e ficar tudo bem misturado. Por fim, molde as almôndegas com as mãos para obter bolas mais ou menos do mesmo tamanho.
Deite azeite numa frigideira e frite aí as almôndegas, tendo o cuidado de as ir virando para cozinharem uniformemente. O tempo de cozinhado será entre 12 a 15 minutos.

Para o molho: uma cebola grande, 3 cenouras grandes, azeite, sal e tomilho qb, vinho branco qb e 1 dente de alho. Pique a cebola e as cenouras, de modo a ficarem quase desfeitas. Deite um generoso fio de azeite num tacho. Junte as cebola, alho, cebola e um pezinho de tomilho. Tempere de sal. Deixe estufar até a cenoura estar muito macia. Quando estiver a secar, refresque com um pouco de vinho franco. Quando a cenoura estiver cozinhada, triture com a varinha mágica e junte um pouco de água de cozer o esparguete até obter a consistência de um molho grosso. Retifique de sal e tempere também com um pouco de pimenta. Envolva no esparguete depois de cozido em água e sal e escorrido.

Sirva a massa envolvida no molho e coloque por cima as almôndegas. Polvilhe com ervas a gosto (usei uma mistura de ervas finas secas).

Bom apetite!Comam bem e de forma saudável!




sábado, 23 de janeiro de 2016

Pudim de abóbora com creme de requeijão



Fiz este pudim por sugestão do meu marido e servi-o numa jantarada com 15 amigos, cá em casa, mais uma daquelas noites divertidas e gulosas, cheia de barulho, risadas e comidas.
A receita vinha na Dica do LIDL. O maridão é que vai sempre ao correio, traz a Dica e lê-a em primeira mão. Ou não fosse ele jornalista e viciado em ler jornais, ver televisão e ouvir notícias. Se as notícias lhe mostrarem um pudim de abóbora... ora, pois... são boas notícias! Mostrar a receita à cozinheira da casa passa a ser a prioridade e fazer aquela carinha de criança gulosa normalmente resulta, por isso, vamos lá fazer a tal carinha juntamente com a Dica da Semana em punho, aquela Dica que traz a tal receita do tal pudim... "Isto tem bom ar", disse.
O meu marido gosta mesmo muito de requeijão com doce de abóbora e até me recordo da primeira vez que ele provou esta combinação. Foi no casamento de uns amigos, dezembro de 1999, Aguiar da Beira. Estava um frio de rachar, de gelar, mesmo! O almoço foi no quartel dos bombeiros e nós achámos que aquelas mesas repletas (muito repletas!) de todo o género de comida, apresentavam o almoço e que este era volante. Havia feijoada, enchidos, vários tipos de pão e broa, salada de orelha, pezinhos de coentrada, queijos, sopa da pedra, cestos de frutos secos e... requeijão com doce de abóbora. O meu marido comeu (muito) e rematou aquilo tudo com o requeijão com doce de abóbora, que ele não percebeu muito bem se servia de entrada ou sobremesa, mas que lhe soube bem no fim do repasto. Estávamos nós nisto, chega o noivo e pergunta: "Já viram em que mesa se sentam?". Mesa?? Sim, era a mesa para o almoço, numa outra sala, porque "aquilo" eram "só" as entradas... Estávamos tão cheios que não aguentávamos mais. Achávamos nós... mas, afinal, aguentámos. Aguentámos um arroz de tamboril, um cabrito assado em forno de lenha e uma mesa de doces que nunca mais acabava. Ficámos até bastante tarde e voltámos para almoçar no dia seguinte. Para nós, "meninos da capital", era a descoberta de um novo (e maravilhoso) mundo novo dos casamentos do Norte do país. Foi o casório onde mais e melhor comemos e divertimo-nos imenso, que foi, francamente, o mais importante.
Isto tudo para contar que o meu marido descobriu o requeijão com doce de abóbora e nunca mais o esqueceu. Este pudim é uma reinterpretação bem conseguida dessa combinação maravilhosa da gastronomia portuguesa. Espero que gostem. Nós, por aqui, adorámos!

Bom apetite e bom fim de semana!


Ingredientes e preparação:

Para a compota: 400 gr de abóbora limpa, 150 gr de açúcar, 1 pau de canela, 1 casca de limão
Colocar a abóbora cortada em cubos e todos os outros ingredientes num tacho e deixar cozer até a abóbora estar muito bem cozida. Depois retirar a casca de limão e o pau de canela e triturar com a varinha mágica. Levar de novo ao lume até atingir ponto de estrada.

Para o pudim: 4 ovos, 200 gr de açúcar, 200 gr de compota de abóbora, 1 colher de chá rasa de canela em pó, 1 colher de chá rasa de fermento em pó, 50 gr de azeite
Pré aquecer o forno a 170º. Numa tigela, bater os ovos à mão. Juntar o açúcar, a canela e o fermento, misturados. Deslaçar, batendo mais um pouco.
Juntar a compota e o azeite, misturar bem.
Untar uma forma com manteiga e polvilhar com pão ralado. Deitar o preparado na forma e levar ao forno (no meio do forno) durante 40 minutos ou até ver que o pudim tem consistência.

Para o creme: 300 gr de requeijão macio e de boa qualidade, 75 ml de leite, 25 gr de açúcar, raspa da casca de uma laranja grande.
Misturar tudo e levar ao lume até ferver (reservar alguma casca de laranja para guarnecer). Triturar com a varinha mágica, deixar arrefecer e servir frio com o pudim também frio. No momento de servir, guarnecer com casca de laranja ralada no momento.

Notas: Utilize uma forma pequena. Se quiser um pudim bastante grande, faça o dobro da receita.
A receita foi adaptada da Dica do LIDL. A receita original não incluía a raspa de laranja. Eu adicionei e acho que foi muito bem conseguido, eu gostei e os amigos também apreciaram o "detalhe".

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Espetadas de tamboril com estufado de legumes


A época das festividades natalícias foi mesmo como pertence: cheia de abusos! Abuso de queijos, de doces, de petiscos, de jantaradas. É bom, sabe bem de vez em quando, mas agora é tempo de voltar a imaginar uns pratos mais saudáveis e práticos, pois precisamos de nos alimentar bem e de forma prática e rápida, pelo menos durante a semana, quando o tempo parece cada vez mais escasso...
Um destes dias a peixaria do LIDL tinha tamboril fresco, inteiro, com muito bom aspeto. Trouxe um para fazer espetadas dos lombos (mandei partir em pedaços grandes e aproveitei as outras partes com mais osso e cartilagem para fazer sopa de peixe). Cheguei a casa e vi o que tinha de legumes e leguminosas. Normalmente tenho sempre frascos de feijão e grão já cozido, o que dá imenso jeito, seja para sopa, seja para um acompanhamento rápido. Este estufado ficou uma espécie de feijoada só com legumes, sem carne. Aliás, até serviu para acompanhar o peixe e garanto-vos que é uma combinação muito boa. 


Ingredientes para 4 pessoas:
1 frasco de feijão branco cozido (400 gr)
200 gr de batata doce
400 gr de couve coração
2 cenouras grandes
1 cebola
2 dentes de alho
0,5 dl de azeite
Sal qb
1 kg de lombos de tamboril
Ervas aromáticas (tomilho ou tomilho limão, erva príncipe, louro)
Sumo de uma lima
2 colheres de sopa de manteiga

Preparação:
Lave todos os legumes e corte-os em cubos pequenos. Deite azeite num tacho, junte os alhos laminados, a cebola picada e refogue ligeiramente. Junte a cenoura em cubos. Tempere de sal e deixe cozinhar. Passados 5 minutos junte a couve cortada em juliana e a batata doce em cubos. Volte a adicionar sal e junte um raminho de tomilho. Quando os legumes estiverem praticamente cozinhados, junte o feijão e envolva bem. Retifique de sal e pimenta.
Tempere o peixe com umas gotas de lima, um fio de azeite, sal qb e tomilho limão. Faça espetadas com pedaços de tamboril com cerca de 8 x 8 cm e intercale-os com as ervas aromáticas. Leve a grelhar cerca de 2 minutos de cada lado de forma a que os cubos de peixe fiquem cozinhados de todos os lados, mas sem que fiquem muito secos.
Por fim derreta 2 colheres de sopa de manteiga, junte sumo de lima e regue o peixe que deve ser servido com o estufado de legumes.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Panna Cotta com coulis de romã



Adoro romãs! Além de ser um fruto lindíssimo e saudável, pois tem muitas propriedades antioxidantes, é muito saboroso. Tem doçura e alguma acidez, ao mesmo tempo, e também tem uma certa adstringência, o que deixa um travo agradável na boca. Pelo menos para quem gosta, claro. Tem sumo e textura, tem frescura... para mim é um fruto delicioso. No Dia de Reis a minha mãe abre sempre uma romã e faz uns pequenos cartuxinhos com alguns bagos. Guarda um embrulhinho para ela e faz outros para nós, para pormos na carteira, para termos dinheiro todo o ano. É uma tradição que ela mantém desde que sou pequena. Depois de fazer os embrulhinhos, dava-me sempre o resto da romã para eu comer e ainda hoje o faz. Eu gosto de comer aqueles pequenos bagos à dentada, à colher, quando me dou ao trabalho de descascar o fruto, ou em sumo.
Desta fiz resolvi fazer um coulis do sumo e juntar este molho vermelho e espesso a uma panna cotta simples, apenas aromatizada com baunilha. Ficou bonito e bom. Vermelho e branco, que é uma combinação de cores que me agrada e que dá alegria à mesa da refeição. Fiz a sobremesa para um jantar em que a nossa sobrinha nos fez companhia, ela adorou! Espero que vocês também gostem.

Ingredientes
400 ml de nata (já fiz com metade de nata de soja e resultou)
250 ml de leite
70 gr de açúcar
1 vagem de baunilha
5 folhas de gelatina incolor
4 romãs
3 colheres de sopa de açúcar

Preparação
Demolhe as folhas de gelatina numa parte do leite (cerca de 50 ml). Coloque o leite à temperatura ambiente num prato de sopa ou numa tigela e adicione as folhas de gelatina que ficam a hidratar e amolecer enquanto fazemos o preparado ao lume (5 a 10 minutos).
Num tacho misture o restante leite com a nata e os 70 gr de açúcar. Junte o interior da vagem de baunilha (as sementes). Misture tudo e leve ao lume até ferver. Assim que ferver, desligue o lume e junte a este preparado as folhas de gelatina amolecidas e o leite onde estas repousaram. Vá mexendo bem para que a gelatina derreta totalmente.
Unte uma forma pequena de pudim com óleo vegetal. Verta o preparado para a forma e leve ao frigorífico até solidificar (4 horas no mínimo).
Esprema (num espremedor de citrinos comum) o sumo de 3 romãs. Junte 3 colheres de sopa de açúcar e leve a lume brando num pequeno tacho até o líquido reduzir para metade e obter um coulis espesso.
Depois de desenformar a panna cotta num prato, deite o molho por cima, bem como os bagos frescos da outra romã.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

domingo, 10 de janeiro de 2016

Lombinhos de porco com trouxas de batata doce e couve lombarda


A estrela deste prato não são propriamente os lombinhos de porco, mas sim o acompanhamento. Eu gosto muito de batata doce de todas as maneiras, mas nunca tinha feito assim. Tinha cá umas amigas a jantar, pessoas especiais, que não vejo muitas vezes, mas com quem a amizade se mantém há 20 anos e com quem é sempre um prazer muito grande estar. Fiz várias entradas e petiscos e duas sobremesas. Como prato principal fiz estes lombinhos de porco com castanhas, mas quis juntar um acompanhamento diferente. Tive a ideia de "embrulhar" o puré de batata doce em couve lombarda e ficou mesmo uma maravilha. Espero que gostem da sugestão.

Ingredientes para 6 pessoas:
2 lombinhos de porco (1 kg a 1,2 kg)
6 folhas grandes de couve lombarda (as maiores, da parte de fora da couve)
750 gr de batata doce
1 cebola
3 dente de alho
Meio alho francês
3 ramos de tomilho
Sal e azeite qb
1 colher de sobremesa de sementes de mostarda 
0,5 kg de castanhas 
200 gr de tomates cereja ou chucha mini

Preparação: 
Comece por fazer o puré de batata doce. Num tacho deite 1 dl de azeite e junte 1 alho esmagado, a babata doce descascada e cortada em cubos, a cebola também em cubos e o alho francês em rodelas grossas. Tempre de sal e junte um raminho de tomilho, tape o tacho e deixe estufar em lume brando. De vez quando abane o tacho e junte um bocadinho de água (muito pouca, algumas colheres de sopa) para que os legumes não se peguem. Deixe estufar até os legumes estarem bem cozinhados, no fim triture tudo com a varinha mágica, reserve, deixando arrefecer.
Corte os lombinhos de porco em nacos com cerca de 10 cm. Tempere-os só com sal. Deite 0,5 dl de azeite numa frigideira anti-aderente e toste os nacos de porco de todos os lados, selando a carne para ela ficar cozinhada por fora e manter os sucos por dentro. Vai ficar ainda crua por dentro, pois será terminada no forno. Retire e reserve.
Ferva água abundante num tacho. A água deve ser temperada com sal. Quando estiver a ferver, coloque as folhas de couve inteiras e escalde-as por 40 segundos. Retire com cuidado e reserve. Estenda cada folha numa tábua ou na bancada da cozinha, coloque duas colheres de sopa de puré de batata doce (já arrefecido) e enrole as folhas, fazendo trouxas. Disponha-as num tabuleiro de forno untado com um fio de azeite. Junte os tomates cereja.
Voltando à carne... num almofariz coloque sementes de mostarda, grãos de pimenta e dois dentes de alho, esmague com o pilão e tempere a carne com esta mistura. Coloque os pedaços de carne num tabuleiro de forno, junte um generoso fio de azeite e toda a gordura e sucos resultantes da fritura da carne na frigideira. Junte as castanhas à carne, depois de temperadas com umas pedras de sal.
Leve o tabuleiro da carne, bem como o das trouxas de couve, ao forno por 20 minutos a 190º.
Depois de pronto, sirva tudo em conjunto.
Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Rolitos com molho cremoso de abóbora e crocante de presunto




Estes rolitos da Milaneza são ideais para pratos com molho, pois "agarram" o molho pelo formato que têm e resultam em refeições deliciosas! Desta vez fiz um prato com um molho cremoso e ainda lhe juntei queijo de cabra, que derreteu ligeiramente, ficando muito suculento. Eu adoroooooo massas, sejam secas ou frescas, feitas por mim. Gosto de pastas de toda a maneira, só com molho, com carne, peixe, mariscos ou legumes. É o tipo de ingrediente que estimula a imaginação e que permite refeições rápidas e maravilhosas com o que tivermos no frigorífico.

Ingredientes para 4 pessoas:
300 gr de Rolitos Milaneza
1 cebola média
2 dentes de alho
0,5 dl de azeite
Meia abóbora manteiga (cerca de 500 gr)
150 gr de queijo chevre
2 dl de nata 
2 colheres de sopa de sementes de abóbora
4 fatias de presunto
Sal e pimenta qb
Tomilho fresco qb (3 raminhos, aproveitar só as folhas)

Preparação:
Coza a massa em água e sal, conforme as indicações do pacote. Depois escorra, deite-lhe um fio de azeite, mexa e reserve.
Descasque e corte a abóbora em cubos. Numa frigideira funda deite o azeite, a cebola e os alhos picados e a abóbora em pedaços pequenos. Tempere com sal e um pouco de tomilho fresco e deite estufar em lume médio com a caçarola destapada. Quando a abóbora estiver bastante macia, mexa com um garfo para ajudar a desfazê-la e junte as natas. Deixe cozinhar mais um minuto, retifique de sal e tempere também com um pouco de pimenta moída na altura e desligue o lume. Envolva este molho com a massa previamente cozida.
Corte as fatias de presunto em tirinhas e frite-as na própria gordura numa frigideira anti aderente até ficarem crocantes. Corte o queijo em fatias. No momento de empratar, deite a massa já com molho de abóbora nos pratos, coloque o queijo por cima (vai derreter com o calor da massa), junte tirinhas de presunto crocante, sementes de abóbora e mais algumas folhas de tomilho.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!




domingo, 3 de janeiro de 2016

Bolo de marmelos e maçãs com mel # Feliz 2016



Primeiro domingo do ano, primeiro bolo, porque eu sei que vocês gostam muito de bolos!! Certo? :)
Espero que tenham entrado com muito boa energia em 2016. Eu entrei! Foi uma passagem de ano boa, foi junto ao mar, o que me deixa sempre apaixonada... adoro o mar e a praia, amo mesmo muito, é o meu ambiente e gosto de começar o ano perto do som, do cheio e da energia do mar. Este ano visitei duas praias que me dizem muito: São Martinho do Porto, onde aprendi a nadar em pequena e passei férias grandes durante a infância, e Peniche, que é "a nossa praia", minha e do meu marido, o local de tantas recordações boas, de tantos momentos felizes, de tantas férias espetaculares.
Começar o ano de forma feliz é bom e traz um sentimento positivo, mas temos que nos esforçar diariamente para construir essa felicidade. Afinal, é isso que andamos cá a fazer... pelo menos a tentar! Nesta aventura das paparocas é a mesma coisa, existe um trabalho constante, um esforço em evoluir, em inovar, em agradar a quem nos lê, a quem nos segue. No meu caso, escrevo este blog exclusivamente por diversão e pelo sentido da partilha e não por nenhum motivo comercial ou profissional. Já me questionei se faz sentido continuar com a partilha porque nem sempre o retorno de quem nos lê é muito, mas as mensagens simpáticas que vão surgindo acabam por dar alento. Por outro lado, eu gosto mesmo de partilhar as minhas ideias, por isso, como já tenho referido, continuo enquanto me der prazer e não me causar stress. Sim, porque ter um blog, por muito que gostemos do "nosso bebé", causa algum stress e dá trabalho e a vida profissional nem sempre permite a dedicação que ambicionamos dar ao projeto.
Por enquanto, espero continuar por cá, pelo menos enquanto vocês continuarem por aí ;) Deixem os vossos comentários, sugestões, perguntas, é isso que dá motivação. Sigam também a página no facebook (VEJAM AQUI) e divulguem pelos vossos amigos. A partilha só faz sentido se houver quem a queira aceitar.
Desejo a todos muita saúde, otimismo, amizade, criatividade, força e coragem para 2016. Façam por ser felizes, não deixem as coisas por dizer, as boas e as menos boas, não deixem cozinhados por preparar nem paparocas por provar ;) Muito bom ano para todos! E agora o bolo...

Ingredientes:
200 gr de açúcar mascavado
120 gr de manteiga sem sal
80 gr de mel
3 maçãs royal gala e 2 marmelos maduros
Sumo de 1 laranja + vinho do Porto qb ou um vinho licoroso de qualidade (usei D. Elvira, da Adega de Arruda) + 2 colheres de sopa de açúcar mascavado para cozer as maçãs
300 gr de farinha para bolos (já com fermento)
4 ovos
1 colher de cafe de canela em pó
60 gr de amêndoa laminada
 
Preparação:
Para este bolo cozi as maçãs e assei os marmelos, mas podem cozer tudo ou assar tudo. Eu fiz assim para conseguir diferentes texturas. Os marmelos foram assados com pele para ficarem com mais textura, as maçãs cozidas e ficaram mais molinhas. Cortei os marmelos em quartos, polvilhei com um pouco de açúcar mascavado, deitei um pouco de água no tabuleiro do forno para não queimar e assei-os cerca de 40 minutos no forno a 190º. Virei a meio da cozedura. Se estiverem a pegar, junte um pouco mais de água.
As maçãs foram descascadas, cortadas em cubos e cozidas num tacho com o sumo de uma laranja, 2 cálices de vinho licoroso e um pouco de açúcar.
Depois da fruta cozinhada, corte os marmelos em pedaços (mantenha a pele) e reserve tudo para que arrefeça. Pré aqueça o forno a 190º.
Na batedeira elétrica, bata o açúcar com a manteiga durante 4 a 5 minutos. Depois junte o mel e apenas 1 dl do suco de cozer as maçãs (vinho licoroso e sumo de laranja). Bata mais um pouco. Vá juntando os ovos um a um e batendo entre cada adição. Por fim, junte a farinha peneirada. Bata apenas mais um minuto. Retire a taça da batedeira e junte à massa toda a fruta (maçãs, marmelos e amêndoa laminada, reservando alguma para decorar em cima). Misture bem para que a fruta se envolva na massa e deite o preparado numa forma retangular untada (vai obter uma massa com uma consistência parecida com a do Bolo Inglês). Por cima deite o resto da amêndoa laminada. Leve ao forno durante 45 minutos. Se, a meio da cozedura, o bolo estiver a ficar demasiado tostado, tape com folha de alumínio.
Depois de cozido, deixe arrefecer um pouco e desenforme. Corte em fatias e sirva com chá, é um bolo mesmo bom para dias frios... Ou sirva com mais um cálice de vinho licoroso para combater ainda melhor o frio ;)

Bom apetite! Bom ano novo!