sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Creme de abóbora e camarão com manjericão fresco



Tempo de outono é tempo de abóboras. É tempo de frutos secos, castanhas, figos, nozes, também a batata doce, que eu tanto gosto e que consumo durante todo o ano. Nesta semana de Halloween as abóboras ganham ainda mais graça, servem para cozinhar, para brincar, para assustar. São deliciosas em pratos salgados e doces. De facto é um alimento de que gosto bastante e que consumo todas as semanas. No fim de semana passado resolvi fazer novamente aquela que foi a primeira receita do blog, já há dois anos (xii... que eternidade ;) ). É uma receita de abóbora recheada e assada no forno, que retirei do romance "Mil dias em Veneza", que fala sobre esta magnífica cidade italiana, sobre amor e sobre comida, comida deliciosa, capaz de apaixonar e de fazer os sentimentos tornarem-se eternos. Gosto muito de Veneza. Visitei pela primeira vez era pouco mais do que adolescente e voltei anos depois com o meu marido, numa primavera cheia de sol, de calor e de amor.

Ingredientes para o creme de abóbora e camarão:
1 litro de caldo de camarão (400 gr de camarão - só cabeças)
500 gr de abóbora
Meio alho francês
1 cebola
Azeite qb
Sal qb
Folhas de manjericão fresco

Preparação:
Em primeiro lugar faça um caldo de camarão simples. Tenha 400 gr de camarão e utilize apenas as cabeças. Eu tinha feito uma receita em que utilizei apenas o miolo de camarão, por isso usei as cabeças para o caldo. O caldo pode ser feito e congelado para utilizar posteriormente, quando necessário. Coloque as cabeças de camarão num tacho e junte um litro de água sem sal (todos os caldos, de legumes, carne, peixe ou marisco, devem ser feitos sem sal, este é adicionado posteriormente, quando vamos utilizar o caldo no cozinhado). Deixe ferver as cabeças de camarões durante 30 minutos. Depois esmague as cabeças no caldo para libertarem mais suco e sabor, coe e reserve ou congele o caldo se não o for utilizar imediatamente. 
Para a sopa: neste caso fiz a sopa com o resto da abóbora assada. Se fizer este creme de raiz, pode utilizar abóbora crua. Se assim for, deite um generoso fio de azeite numa panela, junte a cebola em meias luas, o alho francês grosseiramente cortado e a abóbora em pedaços. Se utilizar abóbora já cozinhada, junte só os outros legumes com o azeite e depois junte a abóbora mais tarde.
Tempere os legumes com sal e deixe refogar muito levemente, sem que ganhem cor. Assim que começarem a amolecer, junte o caldo de camarão. Retifique o sal e deixe cozinhar até os legumes estarem macios. Se tiver abóbora previamente cozinhada, como eu tinha, junte-a a 5 minutos do fim da cozedura. Junte também um pouco de picante se gostar (juntei uma malagueta pequena).
Quando os legumes estiverem macios, retire do lume e triture tudo com a varinha mágica até obter um creme sedoso. Sirva com umas gotas de azeite para finalizar e folhas de manjericão fresco.
De seguida deixo-vos novamente a receita da abóbora recheada, que fiz com uma das abóboras do terreno dos meus pais. Era linda, de tamanho perfeito para este prato!

Abóbora assada, recheada com cogumelos e queijos

Ingredientes:
1 abóbora com cerca de 2 kg (serve de entrada para 8 pessoas)
100 gr cogumelos brancos
100 gr de cogumelos marron
200 gr cogumelos Portobello ou outros (a ideia é usarmos uma mistura de vários cogumelos, desta vez utilizei pleurotus, além das outras variedades já indicadas)
1 cebola média e 2 colheres de sopa de manteiga para saltear a cebola e cogumelos
200 gr queijo ementhal ralado
200 gr queijo creme magro (ou mascarpone)
50 gr parmesão ralado
50 gr mozarela ralada (usei mozarela magra, com baixo teor de gordura)
2 ovos inteiros batidos
sal, pimenta, noz moscada qb ralada na altura
3 nozes inteiras raladas ou outro fruto seco de casca rija
2 fatias de pão grandes (tipo pão de mafra ou alentejano)

Preparação:
Retirar a "tampa" da abóbora e reservar. Com uma colher, retirar as pevides e fios da abóbora crua, retirando também um pouco da polpa, mas deixando umas "paredes" na abóbora para que esta mantenha a estrutura e aguente ir ao forno. Esfregue o interior da abóbora com sal para a polpa ganhar sabor.
Numa frigideira grande, refogar ligeiramente a cebola em manteiga. Juntar os cogumelos laminados grosseiramente. Temperar com sal e pimenta e saltear até estarem macios. No fim, adicionar as nozes e a noz moscada generosamente, tudo ralado no momento. Se for possível fazer uma loucura (eu não fiz e nunca provei dessa forma), o ideal (e que a receita original recomenda) é juntar, em vez da noz, 2 trufas negras raladas. Mas as trufas são caríssimas e poucos acessíveis à maioria das carteiras, eu nunca provei, mas acredito que seja delicioso...
Bater os ovos numa tigela e juntar todos os queijos. Temperar com sal e pimenta qb. Misturar tudo e adicionar à mistura dos cogumelos. No forno, a 180º, tostar as fatias de pão durante 10 a 15 m (também podem ser torradas na torradeira até o pão ficar bem crocante). Cortar o pão em cubinhos e adicionar ao preparado. Colocar todo este recheio dentro da abóbora crua. Voltar a pôr a "tampa" da abóbora e levar ao forno a 190º durante aproximadamente 2 horas ou até a abóbora estar macia.
Ao servir devemos retirar colheradas de recheio e de polpa da abóbora ao mesmo tempo. A mistura é excelente e o prato é muito completo, pois tem imensa proteína. E temos a abóbora, cheia de vitaminas e excelente para a saúde. Também podemos servir esta abóbora como prato principal acompanhando-a de uma salada verde, de agrião por exemplo (rico em cálcio e ferro, entre outros minerais).




segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Tagliatelle com molho cremoso de camarão e vieiras


No Dia Mundial da Massa fiz este prato inspirado numa receita no Chef Tiger, o fantástico gato chef de cozinha que nos oferece receitas deliciosas e simples, como esta. A receita não incluía as vieiras, que eu acrescentei porque gosto muito, porque as tinha cá em casa, juntamente com os camarões, e porque me pareceu boa combinação. Costumo fazer massas muitas vezes, pois permitem a conjugação de todo o tipo de ingredientes e são muito práticas de confecionar. Espero que gostem de mais esta sugestão.

Ingredientes para 2 pessoas:
200 gr de gambas
6 vieiras (uso miolo de vieira congelado da marca Continente Gourmet - pacote preto)
200 gr de ninhos de tagliatelle
2 dl de natas (usei nata de soja)
3 dentes de alho
Folhas de manjericão qb
Azeite qb
1 colher de sopa de manteiga
Sal e pimenta qb

Preparação:
Coza a massa em água abundante temperada com sal. Coza entre 10 a 12 minutos conforme o gosto, de forma a que fique al dente. Escorra a massa, passe por água fria, envolva com um fio de azeite e reserve. 
Numa frigideira deite um fio de azeite generoso e os alhos laminados. Quando começarem a alourar, junte os camarões previamente descascados. Deixe saltear por 2 minutos, quando começarem a alourar junte as natas. Tempere de sal e pimenta e deixe o molho engrossar cerca de  3 minutos. Eu juntei o coral das vieiras ao molho para dar mais sabor. Entretanto, coloque outra frigideira ao lume e deixe aquecer bem. Quando esta estiver quente, junte uma colher de sopa de manteiga e depois as vieiras sem sal. Deixe as vieiras caramelizar um minuto, depois vire-as e deixe cozinhar mais 30 segundos do outro lado.
Envolva o molho de natas e camarão na massa, coloque as vieiras por cima, termine com as folhas de manjericão e sirva. Se desejar, polvilhe com queijo ralado.

Nota: A receita original não incluía as vieiras. Como resolvi juntá-las, retirei previamente o coral da vieira e juntei ao molho de natas para dar mais sabor. O miolo das vieiras foi salteado/caramelizado, como indiquei. As vieiras não devem ser cozinhadas mais tempo do que o indicado para não enrijarem. O tempo exato pode depender do tamanho da vieira. Quando colocadas de um dos lados na frigideira devemos voltá-las assim que comecem a ficar cozinhadas em toda a espessura do alimento. Depois são apenas mais uns 30 segundos do outro lado, pois as vieiras estão no ponto quando estão caramelizadas por fora e ainda ligeiramente translúcidas no centro.





sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Marmelada de gamboas e maçãs biológicas

 


Marmelada, compota, doce... podemos dar-lhe o nome que quisermos. Era suposto ser marmelada, mas ficou um doce cremoso, não se corta às fatias, tira-se com a colher e, assim, ainda se come mais depressa... o que é um perigo! Fiz este doce com as gamboas (marmelos) e maças biológicas das árvores dos meus pais. Depois coloquei-o em tacinhas, como se faz com a marmelada, e coloquei por cima papel vegetal embebido em alcool (pode ser em aguardente) para ajudar a conservar. Era como a minha avó paterna fazia. Ela fazia uma marmelada muito boa, mas ficava mesmo sólida, de cortar à fatia. E o melhor doce que ela fazia... bom, esse era o doce de tomate, nunca comi tão bom e provavelmente nunca vou comer. Em agosto ela fazia sempre esse doce maravilhoso que eu adorava comer com queijo. Esta marmelada que fiz também liga muito bem com queijo, com nozes ou simplesmente com tostas e um bom vinho licoroso a acompanhar.
Qualquer que seja a escolha, desejo-vos bom apetite, bons cozinhados e um excelente fim de semana. 


Ingredientes:
1 kg de gamboas ou marmelos e maçãs (eu tinha cerca de 700 gr de marmelo + 300 gr de maçã)
800 gr de açúcar branco
1 pau de canela

Preparação:
Descascar e retirar as sementes das gamboas ou marmelos, bem como das maçãs.
Colocar a fruta num tacho com água a cobrir e um pau de canela. Deixar cozer até estar macia e as gamboas bem cozidas. 
Escorrer a fruta e pesá-la. Com a varinha mágica, triturar toda a fruta. Pesar a mesma quantidade de açúcar, colocar a fruta e o açúcar no tacho e levar a lume brando, mexendo sempre até formar ponto de estrada. Eu deixei apurar cerca de 45 minutos. 
Depois de pronto, colocar o doce em tacinhas previamente fervidas em água e tapar com um pedaço de papel vegetal embebido em alcool ou aguardente para ajudar a conservar.

Nota: a diferença entre a gamboa e o marmelo, é que este último é mais ácido e tem um sabor mais intenso. A gamboa é a fêmea do marmelo, tem um formato ligeiramente mais parecido ao da maçã e tem menos acidez.
Em relação às maçãs, utilizei duas variedades, pois são as que tenho das nossas árvores. Não utilizem uma qualidade de maçã muito ácida, como a reineta, pois os marmelos já são ácidos.



segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Brownies de cacau # Dois anos de blog


Faz hoje dois anos que escrevi o primeiro post, que imaginei a primeira receita para este blog. Faz hoje dois anos que o meu marido passou a lavar mais loiça cá em casa e que familiares e amigos passaram a ter que esperar que eu tire as fotografias aos pratos antes de começarmos a comer.
Faz hoje dois anos que me propus fazer esta partilha com os amigos de sempre, com amigos novos que fui ganhando e com algumas pessoas que não conheço pessoalmente, mas que passaram a fazer parte deste meu mundo culinário virtual. A Deliciosa Paparoca vive desta partilha e só assim faz sentido. É por isso, e pelo gozo que me dá cozinhar (de forma amadora, mas apaixonada) que mantenho este blog, pelo que ele continuará vivo enquanto me der gozo.
Fazer um blog é estimulante, mas dá trabalho e nem sempre a energia e o tempo disponível são os desejáveis. Neste momento tento encontrar alegria para recolher inspirações e criar novas receitas. Para cozinhar é preciso alegria. Fazer qualquer coisa só por fazer não tem a ver comigo, gosto de fazer tudo com amor e com sentido, para que valha a pena e seja especial. Espero que assim continue a acontecer por muito tempo e que vocês estejam desse lado.
Para comemorar o segundo aniversário, tenho um logotipo novo, que espero que gostem. E tenho uma receita de brownies de cacau, que me foi dada pela minha prima Sara e que são deliciosos, húmidos e saudáveis, pois levam cacau (não chocolate) e óleo de girassol. A comida saborosa, mas saudável, é um desafio e uma motivação para mim, por isso achei que esta receita doce e equilibrada seria o ideal para cantar os parabéns à Deliciosa Paparoca. 
Beijinhos para todos e obrigada pelo carinho!
Susana

Ingredientes:
150 gr de açúcar branco
50 ml de óleo de girassol
2 ovos médios
1 colher de chá de extrato de baunilha
80 gr de farinha
Meia colher de chá de fermento em pó
50 gr de cacau em pó 
Açúcar em pó qb para polvilhar

Preparação:
Bata o açúcar com o óleo. Junte um ovo inteiro de cada vez e continue a bater. A receita não especificava o modo de bater, mas eu fi-lo com a batedeira elétrica (vara de arames) para obter uma mistura mais fofa. Bati durante cerca de 10 minutos. Depois retirei a taça da batedeira. Misturei o cacau, a farinha e o fermento numa tigela e fui adicionando estes ingredientes secos peneirados e envolvendo delicadamente na massa.
Depois é só untar um tabuleiro de 20x20 cm, despejar aqui a massa e levar ao forno pré aquecido a 175ºC durante cerca de 15 minutos ou até obter a consistência desejada (faça o teste do palito para ver se a massa está cozida, mas ainda com alguma humidade). Retire do forno depois da massa cozida, desenforme depois de arrefecer e corte em quadrados. Disponha num prato e polvilhe com açúcar em pó.

Nota: para estas quantidades devem utilizar um tabuleiro pequeno, da medida indicada ou pouco mais,de contrário os brownies ficam mesmo muito baixos. Para mais quantidade ou bolos mais altos, dupliquem a receita.