domingo, 24 de maio de 2015

Chocolates para o Dia da Criança




Quando, há uns tempos, fiz um workshop de chocolate aprendi a trabalhar chocolate branco e trouxe algumas ideias que adaptei para estes chocolates infantis. Fica a sugestão para fazerem e oferecerem um miminho aos mais pequenos no próximo dia 1 de junho.
Nos próximos dias não publicarei receitas novas porque vou andar em viagem. Vão seguindo a Deliciosa Paparoca pelo facebook, pois vou publicar sugestões e algumas imagens e dicas dos locais por onde for passando. Até já Continente... olá Açores :) 

Ingredientes:
1 tablette de chocolate branco
Gomas pequenas a gosto
Formas de folha redondas (tipo formas de queques)

Preparação:
Derreta o chocolate em banho maria sem que a água ferva (a água deve apenas estar a formar pequenas bolinhas). Depois de derretido, desligue imediatamente o lume e espere que o chocolate arrefeça um pouco para estabilizar os seus cristais (pré cristalização do chocolate). Vá mexendo até atingir a temperatura certa. O chocolate branco deve arrefecer até aos 27/28º C para estar no ponto de ser utilizado.
Quando estiver neste ponto, deite o chocolate em pequenas formas redondas de folha descartáveis. Deite uma pequena quantidade em cada forma, de forma a obter rodelas de chocolate com cerca de meio centímetro de espessura. Logo de seguida, coloque por cima as gomas pressionando ligeiramente para que "afundarem" no chocolate e, de seguida, bata com as formas na bancada para que as bolhas de ar saiam do chocolate. Deixe a repousar até o chocolate solidificar completamente (1 a 2 horas conforme a temperatura e humidade do local onde se encontra e para dar uma margem segura, pois o chocolate tem que estar completamente frio e solidificado para desenformar bem). Depois desenforme as mini tablettes redondas e coloque os chocolates em saquinhos de plástico e decore a gosto.

Nota 1: o chocolate branco da marca branca do pingo doce é muito bom.
Nota 2: se as gomas forem muito grandes (altas), cortem-nas em duas metades e usem-nas assim, pois ficam mais fininhas e fáceis de utilizar nas mini tablettes redondas.




Bolo de requeijão com crocante de amêndoa



Faço este bolo de requeijão há muitos anos, é uma receita do meu sobrinho André. Fica sempre bom e é simples de confecionar. Desta vez introduzi-lhe algumas alterações e levei-o para um lanche conjunto no local de trabalho do meu marido. Foi muito apreciado por todos e desapareceu num instante. Aos domingos, quem por lá trabalha leva sempre alguma coisa e faz-se um lanche conjunto, é uma iniciativa engraçada e que motiva um bom espírito e alguma gulodice. Quando o meu marido for trabalhar ao domingo, vou tentar sempre contribuir com um miminho. Espero que o Rui não coma o "miminho" pelo caminho e que a iguaria possa sempre chegar intacta ao destino...
Ingredientes:
400 gr de açúcar
300 gr de requeijão
100 gr de margarina amolecida (uso becel líquida)
5 ovos
5 colheres de sopa de farinha
2 colheres de chá de fermento
2 colheres de chá rasas de canela
Raspa de 1 limão grande
Mel suficiente para pincelar o bolo por cima
Amêndoa torrada moída qb

Preparação:
Misturar o açúcar com a margarina. Adicionar o requeijão previamente esmagado com um garfo. Juntar as gemas e bater muito bem. Juntar a canela em pó e a raspa de limão, bem como a farinha peneirada com o fermento. Envolver bem. Bater as claras em castelo e envolver no preparado anterior.
Forrar uma forma com papal vegetal untado, deitar a massa lá dentro e levar ao forno pré aquecido a 190º cerca de 45 minutos (verifique a textura do bolo e retire quando estiver sólido, mas molinho).
Depois de desenformar (ainda um pouco morno), pincelar o bolo com o mel necessário para cobrir toda a área. Usei mel de eucalipto da Beira Litoral, é muito bom. O mel serve apenas para que s amêndoa ralada agarre. Polvilhe com amêndoa ralada previamente torrada e sirva.
Bom apetite!

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Pataniscas de camarão do rio



O camarão do rio é um petisco típico das zonas ribeirinhas, pelo menos na minha região, Vila Franca de Xira. O Tejo, nas zonas de estuário, oferece-nos estes pequenos camarões que são muito bons cozidos ou para fazer caldo. Muitos restaurantes servem-nos cozidos como entrada. Quando são mesmo muito pequeninos, costumo comer tudo e nem os descasco. Um pratinho deles com uma imperial gelada também é um bom petisco de fim de tarde no verão.
Desta vez fui à praça e encontrei os pretendidos camarões, pois tinha ideia de fazer uma experiência com eles: pataniscas. Ficaram deliciosas e muito fofas. Usei a técnica que utilizo para as pataniscas de bacalhau, receita da minha mãe, que sai sempre maravilhosa. Quem provou gostou muito e eu também :)

Ingredientes para 4 pessoas:1 kg de camarão do rio (pesado cru, com cabeças e cascas)
1 cebola média picada
4 ovos
16 colheres de sopa de farinha (ajustável)
2 colheres de chá de fermento em pó
1 raminho de salsa picada
Sal e pimenta qb
Óleo para fritar

Preparação:
Coloque cerca de 1 litro de água com sal num tacho. Assim que levantar fervura, adicione o camarão e deixe ferver cerca de um minuto. Retire os camarões e arrefeça-os em água gelada para ficar rijinhos. Tirar as cabeças aos camarões e juntá-las à água. Deixar ferver mais 10 minutos para fazer um caldo. No fim desse tempo, triturar as cabeças dos camarões e a água com a varinha mágica. Coar este caldo e reservar, deixando arrefecer.
Descascar os camarões.
Em cerca de 2,5 dl do caldo já frio, dissolver muito bem a farinha de forma a obter um polme nem muito espesso nem muito líquido (por isso a quantidade de farinha pode ser ajustável conforme a sensibilidade e gosto do cozinheiro). Deve ficar com uma consistência de papa de bebé não muito grossa. Depois de bem dissolvida toda a farinha, juntam-se as gemas, a cebola e a salsa picadas finamente, bem como os camarões. Temperar com sal e pimenta qb, provando para não ficar demasiado salgado. Por fim, bater bem as claras em castelo e adicionar aqui o fermento (para fazer crescer mais e ficar uma massa fofa). Devemos obter um preparado como se fosse a massa de um bolo, fofa e leve.
Colocam-se colheradas grandes de massa em óleo quente(180º) e frita-se, tendo o cuidado de virar as pataniscas a meio da fritura.
Podemos aproveitar o resto do caldo do camarão para fazer creme de camarão. Nas fotos podem ver a consistência do polme antes e depois de incorporadas as claras. As claras batidas em castelo fazem umas pataniscas sempre fofas, ficam uma espécie de "sonhos", uma delícia.
Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!





terça-feira, 19 de maio de 2015

Açorda de tomate com camarão, lascas de bacalhau e hortelã


Esta foi uma refeição que fiz para aproveitar restinhos de coisas que havia em casa: restos de pão do fim de semana, o resto de uns camarões congelados e o resto de um pacote de lascas de bacalhau congelado. Juntei tudo e fiz uma açorda que estava mesmo boa. Ando muito gulosa por açordas e migas. Sempre gostei, desde bebé, segundo contam os familiares, mas ando numa fase mesmo a puxar a estas comidas... gulosa, protanto!
Ingredientes para 2 pessoas:
500 gr de pão duro
1 dl de azeite
3 dentes de alho
3 tomates de cacho maduros
300 gre de camarão
100 gr de bacalhau (usei bacalhau pronto a cozinhar da Riberalves - pedaços para caldeirada)
1 raminho de hortelã
Sal qb 
 
Preparação:
Comece por cozer o camarão e o bacalhau em água e sal. Reserver a água e descasque os camarões. Esmague as cabeças para lhes retirar o suco e junte-o à agua. Coe tudo e reserve.
Num tacho deite o azeite e os alhos laminados. Quando estes começarem a frigir, junte o tomate desfeito em pedaços bem pequenos. Mexa um pouco e deixe cozinhar cerca de 4 minutos. Corte o pão em pequenos pedaços, junte ao tomate. Vá misturando e desfazendo o pão, enquanto deita água quente em cima do pão. Vá deitando a água aos poucos e desfazendo o pão com a ajuda de uma colher de pau ou de uma esmagadora. Deite água até obter a consistência desejada. Retifique de sal. Junte o miolo de camarão e as lascas de bacalhau. No fim junte hortelã a gosto picada finamente. Sirva bem quente.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


domingo, 17 de maio de 2015

Tarte merengada de limão e coco



Fiz esta tarte num dia em que trouxe muitos limões do limoeiro dos meus pais. Fi-la da forma mais simples, com massa quebrada de compra e só a massa foi ao forno. O recheio, que fica uma espécie de lemon curd, foi feito num tacho e o merengue "queimado" com o maçarico. Estava muito boa com a conjugação dos dois sabores, mas o creme pode ser feito só com limão se preferirem.

Ingredientes:
1 placa de massa quebrada de compra
6 gemas
6 claras
15 colheres de sopa de açúcar
80 gr de manteiga sem sal
Sumo e raspa da casca de 2 limões
50 gr de coco ralado (opcional)

Preparação:
Coloque a massa quebrada numa forma redonda com o papel vegetal de cozedura que vem na embalagem. Pique a massa no fundo da tarteira com um garfo. Leve ao forno a 190º até a massa estar dourada e crocante
Coloque as gemas, 12 colheres de sopa de açúcar, o sumo e raspa dos limões e o coco ralado num tacho e leve ao lume, mexendo sempre com a vara de arames até engrossar. Retire do lume e junte a manteiga, deixando-a derreter com o calor. Volte a levar ao lume apenas por mais 5 minutos, mexendo sempre. Retire do lume e deixe o creme arrefecer. Quando estiver frio deite-o por cima da base da tarte.
Bata as claras em castelo, junte o restante açúcar e continue a bater até obter um merengue firme. Deite o merengue sobre o creme de limão e queime com o maçarico até ficar tostadinho.

Bom apetite!





quinta-feira, 14 de maio de 2015

Ovos mexidos com túberas e espargos selvagens



Conforme a zona do país são chamadas de túberas, tubras, criadilhas, batatilhas ou silarcas e são fungos que crescem silenciosamente junto às raízes de alguns carvalhos. São as trufas portuguesas, que só se encontram na primavera nas regiões do Alentejo, Beira Baixa e algumas zonas do Ribatejo. São deliciosas, de aroma subtil e textura única. Trouxe as túberas e os espargos selvagens (que têm muito mais sabor que os outros) do mercado de Évora. Cheguei a casa e deliciei-me com este prato. Acho que foram os ovos mexidos mais saborosos que já comi!

Ingredientes:
6 ovos
250 gr de túberas
1 molho de espargos selvagens
2 colheres de sopa de manteiga
Flor de sal e pimenta qb
Cebolinho fresco picado qb

Preparação:
Comece por arranjar os eapargos, retirando a película grossa e fibrosa com um descascador (o descascador de batatas é perfeito para arranjar espargos). Corte os espargos em pedaços e reserve.
Lave as túberas para lhes tirar a terra. Descasque-as e volte a lavar bem. Corte-as em fatias finas. Deite metade da manteiga numa frigideira. Quando a manteiga estiver quente, junte as fatias de túberas. Tempere com flor de sal e deixe saltear dois a três minutos. Entretanto junte os espargos e deixe saltear. Se achar que os espargos são muito rijos e não vão ficar tenros, dado que os espargos selvagens são mais fibrosos, escalde-os primeiro durante poucos minutos em água fervente.
 Por fim junte os ovos ligeiramente batidos e temperados com flor de sal e pimenta. Deixe-os cozinhar poucos minutos para ficarem cremosos. No fim polvilhe com cebolinho fresco picado e sirva em cima de fatias de pão torrado (alentejano de preferência).

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



terça-feira, 12 de maio de 2015

Bolo de aniversário de noz, caramelo e nata

 


É o bolo do meu aniversário :) Espero que gostem.
Beijinhos para todos e obrigada por seguirem as minhas receitas com tanto carinho.

Ingredientes:
6 ovos
250 de miolo de noz moída
250 gr de açúcar branco
150 de farinha para bolos com fermento
1 colher de chá rasa de canela
Para o caramelo: 25 gr de açúcar branco, 25 gr de açúcar mascavado, 25 gr de mel, 65 gr de nata gorda, 35 gr de manteiga sem sal
250 ml de nata fresca e açúcar qb para o chantilly

Preparação:
Bater 3 ovos + 3 gemas e todo o açúcar na batedeira elétrica durante 10 a 15 minutos numa velocidade alta. Quando o preparado de açúcar e ovos estiver com a consistência de uma mousse, adicione a farinha com o fermento e a canela, tudo peneirado. Guarde um pouco de farinha para envolver a noz previamente picada finamente. Envolva toda a farinha e noz, misturando bem na massa, mas sem bater muito. Bater as outras 3 claras em castelo à parte com umas gotas de sumo de limão e envolve-las delicadamente na massa.
Verter a massa numa forma untada de manteiga e polvilhada de farinha e levar a cozer no forno a 190 durante 50 minutos. No fim do tempo, retirar do forno, deixar arrefecer, desenformar e cortar o bolo em 3. Rechear uma das camadas com o caramelo, a outra com a nata e barrar o exterior com o resto da nata batida com um pouco de açúcar. Decorar com noz moída e raspas de chocolate.

Para fazer o caramelo: Num tacho coloque os açúcares e o mel. Deixe ferver até atingir cor de caramelo. Não mexa com uma colher para o açúcar não caramelizar, vá apenas abanando ligeiramente o tacho para tudo se misturar. Quando atingir o ponto de caramelo, junte a manteiga e misture bem. Depois junte a nata em fio e vá mexendo sempre com o lume brando. Deixe engrossar durante uns 2 minutos e desligue o lume. Reserve, deixando arrefecer e depois recheie o bolo.



sábado, 9 de maio de 2015

Tarte de tofu, espinafres e cogumelos


Fiz esta tarte para um almoço que tinha por objetivo ser muito rápido, mas nutritivo e saudável. Adoro quiches e tartes salgadas e faço-as com vários ingredientes, às vezes para aproveitamento de sobras, outras vezes para usar os ingredientes frescos que tenho no frigorífico nesse dia. Foi o caso deste dia. Comi a tarte na companhia de uma amiga e ambas adorámos a conjugação de sabores e a cremosidade que o tofu e os espinafres deram à quiche. Não sobrou muito, mas foi o suficiente para o meu marido provar quando chegou a casa. Ele não é muito fã de tofu ou outro tipo de alimentos alternativos à carne e ao peixe e posso dizer-vos que adorou este prato! Na verdade foi a primeira vez que ele provou tofu e a reação foi boa :) Fiquei contente com o facto e já decidi que vou repetir, pois é uma refeição muito fácil e rápida.

Ingredientes:
1 massa folhada redonda de compra
150 gr de tofu
2 mãos cheias de folhas de espinafres frescos
4 a 6 cogumelos brancos, tipo Paris
6 fatias de fiambre de perú
1 ovo
3 colheres de sopa de leite
Sal e pimenta qb
Salsa fresca qb

Preparação:
Estenda a massa folhada dentro da tarteira. Pique-a com um garfo. Corte o tofu em fatias finas e forre o fundo da massa com elas, reservando um pequeno pedaço de tofu para finalizar a tarte. Tempere o tofu com pimenta e sal fino. Por cima disponha as folhas de espinafres cruas. Tempere da mesma forma.
Por cima dos espinafres coloque as fatias de fiambre ou outra charcutaria a gosto. Por cima do fiambre, disponha os cogumelos fatiados finamente. Tempere com mais um pouco de sal e pimenta.
À parte bata um ovo grande com três colheres de sopa de leite e o restante tofu cortado em pedaços pequenos. Deite esta mistura por cima da tarte e leve-a ao forno a 180º C até a massa folhada estar dourada e os ingredientes cozinhados. Quando estiver pronta, desenforme e sirva com salsa fresca picada ou outra erva aromática e salada a gosto.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!




quarta-feira, 6 de maio de 2015

Pudim de castanha


Fiz este pudim para utilizar as últimas castanhas congeladas que restavam cá em casa dos pratos de forno mais outonais ou invernosos. O meu pai, que adora castanhas, já tinha pedido pudim de castanha há uns tempos e eu fiz desta vez com uma receita adaptada do site da Vaqueiro. O pudim fica com uma textura densa e boa, não fica nada enjoativo, não é muito doce. O meu pai adorou :)

Ingredientes:
200 g de castanhas congeladas
5 dl de leite
50 g de manteiga
250 g de açúcar
8 ovos
Caramelo líquido qb

Preparação:
Coza as castanhas com o leite e a manteiga até estarem macias. Reduza a puré com a varinha mágica. Bata o açúcar com os ovos inteiros até obter um creme. Junte o leite às castanhas e misture bem. Forre uma forma de pudim com caramelo líquido e deite aí o preparado anterior.
Coloque água quente dentro de um tabuleiro, a forma do pudim lá dentro em banho maria e leve ao forno pré aquecido a 200 °C durante cerca de 40 minutos. No fim do tempo, espete com um palito para confirmar se cozeu, se a consistência está firme.
Retire do forno, deixe arrefecer completamente e desenforme.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


segunda-feira, 4 de maio de 2015

Favas com entrecosto e enchidos



Esta é a minha receita de "favada". Favas guisadas com entrecosto e enchidos, confecionadas à minha maneira. Tal como faço na dobrada, adiciono farinheira porque gosto muito e acho que enriquece o prato e o molho. Foi o prato que fiz para o almoço do Dia da Mãe e foi muito elogiado por toda a família.
Quando a minha avó paterna era viva, ela fazia sempre favas ou galinha de fricassé no almoço do seu aniversário (2 de maio), que muitas vezes era assinalado por nós no primeiro domingo de maio, ou seja, no Dia da Mãe. As favas feitas por ela eram bastante boas e o fricassé, o melhor que já comi com puré de batata e salada. No início de maio era sempre uma excelente oportunidade para comermos favas tenras, as primeiras a colher. Habituei-me a gostar das favas desde miúda e é algo de que gosto mesmo muito, sejam cozidas, guisadas, em puré ou sopa.

Ingredientes para 4 pessoas:
1 kg de favas (pesadas depois de descascadas)
800 gr de entrecosto
1 farinheira
Meio chouriço mouro
Meia linguiça
2 cebolas
6 dentes de alho
3 folhas de louro
Sal grosso qb
1 colher de chá de colorau doce (paprika em pó)
1 colher de chá de mistura de pimenta em grão
1 colher de chá de sementes de mostarda 
1 malagueta
1 raminho de alecrim fresco
1 ramo de coentros frescos
1 folha de alho
1 folha de alho
2 dl de azeite
1,5 dl de vinho branco

Preparação:
Na véspera de fazer o cozinhado, arranje o entrecosto e tempere-o com os dentes de alho esmagados, os grãos de pimenta e mostarda, as folhas de louro grosseiramente rasgadas e o colorau. Regue tudo com um fio de azeite, misture e deixe repousar no frigorífico, tapado com película aderente, ficando em "vinha de alhos" durante a noite. Não junte o sal, pois deve ser adicionado só no momento de cozinhar.
No momento da confeção tempere a carne de sal. Coza a farinheira à parte e reserve.
Deite um generoso fio de azeite num tacho grande e largo. Junte algumas rodelas dos chouriços mouro e de carne (meia dúzia de rodelas só para dar sabor, reserve os restantes enchidos) e vá juntando o entrecosto com todos os temperos para que frite ligeiramente. Vá fritando a carne em pequenas porções de forma a que não fique amontoada dentro do tacho. O objetivo é tostar rapidamente a carne em lume alto para que todos os pedaços de entrecosto fiquem bem douradinhos. Depois de ter feito isto a todos os pedaços de carne, junte-a toda no tacho, adicione o vinho branco, meia farinheira desfeita e a malagueta. Retifique de sal e tape o tacho, deixando a carne estufar em lume brando durante 20 a 35 minutos.
Noutro tacho grande deite o restante azeite, a linguiça e o chouriço mouro cortados em rodelas (o restante). Deixe frigir. Quando os enchidos começarem a ficar douradinhos, junte as cebolas picadas. Deixe a cebola refogar um pouco e depois junte as favas. Junte o ramo de cheiro com os coentros frescos e a folha do alho, se a conseguir arranjar. Tempere de sal, junte um pequeno cálice de água e deixe as favas estufarem em lume médio por 30 minutos ou até estarem tenras (depende se as favas são mais ou menos tenras).
Prefiro cozinhar as favas e o entrecosto em separado e juntar só no fim para que as favas não se desfaçam. No fim de estar tudo cozinhado, junte as favas e as carnes no mesmo tacho, deixe ferver mais 2 minutos. Desligue o lume, junte coentros frescos picados e sirva com as restantes rodelas da farinheira, arroz branco bem solto e salada de alface.
NOTA: Eu gosto de servir com estes acompanhamentos. A minha sogra fazia arroz de favas, ou seja, cozinhava as favas com entrecosto e cozia o arroz no molho, ficando tudo junto e também é muito saboroso. Eu já experimentei fazer e adorei, mas desta vez fiz as favas só com a carne e o arroz branco foi servido à parte para acompanhar.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!








sábado, 2 de maio de 2015

Bolo de chocolate e caramelo salgado



Disse de chocolate e caramelo? Sim, disse! Haverá poucas combinações doces mais maravilhosas! Este bolo foi feito para a festa dos 85 anos da minha avó, mas quem ficou ainda mais delirante com o bolo foram as filhas e netas, incluindo eu, claro! A minha mãe e a minha tia estavam com dificuldades em parar de comer o bolo... É realmente maravilhoso, é o melhor bolo de chocolate que já fiz até agora. Fica com uma consistência húmida, mas firme, espessa. O sabor fica muito equilibrado entre o chocolate e o caramelo e não se torna enjoativo. Experimentem, é delicioso!

Ingredientes:
200 gr de chocolate (usei Nestlé 53% cacau)
150 gr de manteiga sem sal
100 gr de açúcar
5 ovos
70 gr de maizena
Cacau em pó e chocolate branco qb para decorar
Para o caramelo: 50 açúcar branco, 50 gr açúcar mascavado e 50 gr de mel, 125 gr de nata gorda, 75 gr de manteiga sem sal. Flor de sal qb

Preparação:
Comece por fazer o caramelo. Num tacho coloque os açúcares e o mel. Deixe ferver até atingir cor de caramelo. Não mexa com uma colher para o açúcar não caramelizar, vá apenas abanando ligeiramente o tacho para tudo se misturar. Quando atingir o ponto de caramelo, junte a manteiga e misture bem. Depois junte a nata em fio e vá mexendo sempre com o lume brando. Deixe engrossar durante uns 2 minutos e desligue o lume. Reserve, deixando arrefecer e tempere com flor de sal a gosto. Depois de arrefecer o caramelo vai ficar muito mais espesso, por isso não estranhe se inicialmente a textura for um pouco mais líquida.
Derreta o chocolate com a manteiga em banho maria. Bata os ovos inteiros com o açúcar. Junte a este preparado o chocolate derretido e metade do caramelo, reservando o restante para barrar o bolo depois de pronto. Adicione a maizena à massa, envolvendo apenas delicadamente. A maizena deve ser previamente peneirada com um passador de rede bem fina.
Leve a cozer em forno pré aquecido a 180º durante 20 a 25 minutos.
Depois do bolo arrefecido, barre-o com o caramelo e decore com raspas de chocolate branco e cacau em pó. Este bolo fica com uma consistência húmida, mas espessa. Eu decorei com umas lascas de chocolate branco feitas por mim. Derreti o chocolate e depois barrei películas finas em cima de papel vegetal. Temperei com flor de sal e deixei arrefecer. Depois de solidificado o chocolate solta-se bem do papel vegetal. 

Bom apetite :)





sexta-feira, 1 de maio de 2015

Tarte de espargos e cogumelos com massa integral # Dia Um... Na Cozinha



Para este Dia Um... Na Cozinha resolvi fazer uma tarte salgada diferente. Faço frequentemente tartes e quiches e até tenho uma receita nova já experimentada que ainda não publiquei aqui no blog, mas preferi fazer algo diferente no que diz respeito à massa. A massa desta tarte é muito simples, feita apenas com iogurte natural e farinha. Optei por usar da integral, mas a receita pode ser feita com farinha de trigo tipo 55. A inspiração surgiu-me de uma receita de focáccias que um amigo meu faz e que ficam sempre uma delícia. Eu adaptei a ideia e fiz esta massa que, depois de ir ao forno, fica muito crocante. As quantidades indicadas são para uma forma retangular de 10 x 35 cm.

Ingredientes:
Massa: 200 gr de farinha integral, 1 iogurte natural sem açúcar (120 gr), Sal fino e oregãos qb
Recheio: 200 gr de queijo da ilha, 1 molho de espargos, 5 cogumelos Paris de tamanho médio, 1 ovo L, 0,5 dl de leite magro, pimenta qb

Preparação:
Amassa a farinha com o iogurte, o sal fino e os oregãos. Amasse bem até a massa se desprender da bancada de pedra (ver foto em baixo). Unte com margarina uma forma retangular (10 x 35) e polvilhe-a com farinha. Estique a massa com o rolo e forre a forma.
Esfarele 150 gr de queijo por cima da massa, espalhando uniformemente (ver foto). Adicione uma camada de cogumelos laminados, por cima coloque os espargos arranjados. Tempere com sal fino e um pouco de pimenta. 
Bata um ovo inteiro com o leite, o restante queijo ralado e pimenta moída na altura (não é necessário mais sal porque o queijo já é salgado) e deite este preparado por cima dos restantes ingredientes. Leve ao forno pré aquecido a 200ºC durante 25 minutos.
Sirva como entrada ou como refeição principal, acompanhada de uma salada.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!