quarta-feira, 22 de abril de 2015

Migas de bacalhau e poejos com ovo escalfado (um fim de semana no delicioso Alentejo)



Cada vez que faço uma viagem ou um passeio, mesmo que sejam apenas dois ou três dias em qualquer lugar agradável do nosso país (e existem tantos!), venho inspirada para cozinhar pratos novos. Talvez porque esteja dois ou três dias sem pôr as mãos nos tachos e panelas mas, acima de tudo, porque os passeios são sempre muito gastronómicos, vejo coisas muito bonitas, provo iguarias deliciosas e a cabeça vem a fervilhar de ideias novas.
Eu e o meu marido gostamos de provar a comida regional, mesmo que já seja nossa conhecida. Voltamos sempre a experimentar o melhor de cada região, alguns restaurantes, os mercados... Desta vez estivemos em Évora, foi no fim do mês de março, num fim de semana de sol e calor.
Fomos jantar ao restaurante Fialho e tenho que dizer que foi bom, mas nada de excecional e para pagar daquela forma é bom que seja excecional... Gostei qb, mas não volto, deve haver melhor por menos dinheiro. Ainda por cima houve um episódio de um pequeno plástico dentro da farinheira assada (que não matou ninguém, como é óbvio, mas é chato) e nem a oferta dos cafezinhos se fez notar, quanto mais da dita entrada de farinheira. Não era pela quantia, pois aquele foi o prato mais barato da refeição, era pela atitude. Era o que eu faria se tivesse um restaurante, fosse caro ou barato, mas eles não o fizeram. Enfim...
O que adorámos mesmo muito foi a visita maravilhosa à Pastelaria Conventual Pão de Rala, da D. Ercília, uma senhora com mãos de anjo ou de Deus mesmo (só pode!!). Em resumo: o melhor Pão de Rala que já comi, o melhor Queijinho do Céu, das melhores empadas, queijadas, pães de leite e croissants. E a torrada? Logo pela manhã uma torrada daquelas de pão alentejano com manteiga é qualquer coisa de ir ao céu e voltar para comer mais! Perguntam vocês: "ela provou isto tudo"? Sim, provei! Ou melhor, "provámos", éramos dois a comer, não fiz a loucura sozinha.
No domingo ainda deu tempo para visitar o mercado municipal e comprar umas iguarias fabulosas: queijo, pão, espargos selvagens, poejos frescos e túberas, as trufas alentejanas. Este tubérculo é muito bom e não muito fácil de encontrar, dado que só há nesta altura do ano e nas regiões interiores entre o Alentejo e a Beira Baixa. Eu nunca as tinha provado, pelo que a curiosidade era muita e a degustação foi uma agradável surpresa. Já publiquei uma receita com as túberas aqui no blog, este Bacalhau Primaveril Alentejano (ver AQUI). Também fiz ovos mexidos com elas e com os espargos, receita que partilharei em breve.
Por hoje proponho estas migas que fiz com os poejos e que estavam qualquer coisa de muito bom! Eu gosto muito de migas e açordas e estes poejos tão aromático ofereceram um sabor delicioso ao pão alentejano que, já agora, para mim é mesmo o melhor do mundo!
Ingredientes para 4 pessoas:
1600 gr de bacalhau Riberalves pronto a cozinhar (usei 2 embalagens de 800 gr de "bacalhau para caldeirada", mas podem utilizar o número de postas correspondentes ao número de pessoas que se vai sentar à mesa)
1 pão alentejano de 850 gr
1 molho de poejos frescos
2 dl de azeite
4 dentes de alho
4 ovos 
Sal qb
Azeitonas qb e tomate para acompanhar

Preparação:
Coza o bacalhau por 10 minutos sem que a água ferva (só no ponto em que deita pequenas bolhas). Retire todas as peles e espinhas ao bacalhau e desfaça-o em lascas. Reserve a água. Arranje o molho de poejos, ficando apenas com as folhas, que devem ser lavadas e secas num pano de cozinha ou em papel absorvente.
Num tacho deite o azeite, deixe começar a ferver e junte-lhe os alhos esmagados e as folhinhas dos poejos, reservando apenas algumas para finalizar o prato. Deixe estes ingredientes libertarem os seus aromas, frigindo um pouco, mas sem deixar queimar. Depois junte o pão migado e vá mexendo. Vá deitando a água de cozer o bacalhau aos poucos e amassando tudo com uma colher de pau até obter a consistência desejada (mais ou menos espessa conforme o gosto de cada um). Envolva as lascas de bacalhau com o pão e sirva bem quente acompanhado de azeitonas e salada de tomate. Decore com umas folhinhas de poejos e junte um ovo escalfado por pessoa. (Técnica de escalfar os ovos AQUI).

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!




6 comentários:

  1. Que belo aspecto :P umas óptimas migas!!! Por acaso nunca me atrevi a faze-las, tenho de experimentar futuramente!!

    http://deaprendizachef.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Experimenta, pois fazer migas e açordas é fácil, o truque está no bom tempero e na consistência, que deve ser ao gosto de cada um. O pão alentejano ajuda muito, mas se forem feitas com outro pão de qualidade, também é bom.
      Susana

      Excluir
  2. que prato mais delicioso, essas migas devem estar tão boas.


    O Cantinho dos Gulosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estas migas ficaram ótimas, os poejos comprados a uma vendedoras do mercado de Évora, eram super aromáticos.
      Susana

      Excluir
  3. Viva as experiências gastronómicas!
    Já fiz 1 vez pão de rala em casa, antes nem sabia o que era. Gosto bastante, achei delicioso :D
    Nunca fui assim a nenhum restaurante muito caro, mas realmente espera-se o máximo...
    O teu prato está maravilhoso! Esse ovo representa a perfeição, certo? ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca me atrevi a fazer pão de rala, mas adoro comer!!
      Em relação ao ovo escalfado, não está 100% porque a gema devia ter ficado mais líquida, mas estava bom e saboroso :)
      Beijinho. Susana

      Excluir