quinta-feira, 30 de abril de 2015

Bacalhau espiritual com broa de milho e camarão



Esta é a minha versão do bacalhau espiritual e um dos pratos preferidos do meu marido, que come este bacalhau até ficar "a rebolar"... É também uma das refeições preferidas de todos os familiares e amigos, quem prova pela primeira vez fica logo fã! Posso dizer que é um ex libris da minha cozinha :)
É um prato muito guloso, que costumo fazer em dias especiais, inclusive pelo Natal. Aliás, até já tinha publicado a receita aqui no blog e chamei-lhe "Bacalhau dos Dias de Festa", mas volto agora a publicar com fotos mais bonitas, que tirei da última vez que fiz o prato.
A inspiração para a receita foi o bacalhau espiritual, mas eu uso broa de milho em vez de pão e junto camarões, o que é opcional, pois já tenho feito a receita sem eles e também fica boa. Quando junto os camarões, faço o molho bechamel da água da sua cozedura e isto dá um toque muito especial ao prato, pois fica tudo aromatizado com o sabor do camarão. Uma delícia! Cremoso, consistente, equilibrado entre o salgado do bacalhau e o doce da cenoura e da broa... hum!! Já estou com água na boca ;) Experimentem e depois digam-se se gostaram.

Nota: podem preparar com antecedência e levar a gratinar na hora de servir e o prato até pode ser congelado, colocando o preparado totalmente pronto em tabuleiros e tapando muito bem com película aderente.

Ingredientes para 4 pessoas:
4 postas de bacalhau
400 gr de camarão 60/80
1,2 kg de cenouras
2 cebolas grandes
3 dentes de alho
2 folhas de louro
2,5 dl azeite
Manteiga, água de cozer o camarão e farinha qb para o bechamel
250 gr broa de milho amarela
Tomate cereja para guarnecer
Sal e pimenta qb

Preparação:
Coza o bacalhau durante 10 minutos em água com fervura lenta ou ao vapor. Retire todas as espinhas e peles e lasque o bacalhau. Corte as cebolas em rodelas e cozinhe-as com o alho, louro e metade do azeite, refogando levemente sem deixar a cebola ganhar cor. Quando a cebola começar a amolecer, junte o bacalhau lascado e envolva tudo bem. Cozinhe por mais 2 a 3 minutos, retire as folhas de louro e reserve.
Corte as cenouras em fios grossos com a ajuda de um ralador ou da mandolina (como se fosse para salada, no corte mais grosso - ver foto em baixo). Deite o restante azeite numa frigideira anti aderente  e cozinhe as cenouras, temperadas com sal grosso, até estarem moles e uniformemente cozinhadas. Faça isto em lume médio para os fios de cenoura não queimarem
Junte as cenouras ao bacalhau, tendo o cuidado de não levar azeite em excesso para não ficar gorduroso (retire as cenouras da frigideira com uma espumadeira para que isso não aconteça). 
Coza os camarões durante cerca de 3 minutos em água e sal. Descasque-os, reserve. Desfaça ou triture as cabeças para dentro da água da cozedura, coe a água e reserve.
Retire a côdea à broa de milho e triture-a na picadora ou processador de alimentos. Amoleça a broa levemente com um pouco da água de cozer o camarão. Junte a broa e o miolo de camarão ao preparado de bacalhau e misture tudo. Tempere com pimenta moída na altura e prove para retificar o sal e a proporção entre o bacalhau e os outros ingredientes mais adocicados, a broa e a cenoura.
Com a água de cozer o camarão, um pouco de farinha e manteiga faça um molho bechamel. Envolva todo o preparado no molho, misturando tudo muito bem (ver foto da consistência final). Deite num tabuleiro e espalhe um pouco mais de bechamel por cima para tostar e ficar com um bonito aspeto gratinado. Leve ao forno a 200º cerca de 20 minutos ou até estar gratinado. Pode também adicionar uns tomatinhos cereja ou alguns camarões por cima e levar assim a gratinar, fica com um aspeto final bonito. Em relação ao empratamento, a mistura pode ser colocada num tabuleiro único ou apresentada em doses individuais com a ajuda de um aro redondo (ver foto em baixo).
Sirva com espinafres salteados ou uma salada verde.

Nota 1: podem preparar com antecedência e levar a gratinar na hora de servir e o prato até pode ser congelado, colocando o preparado totalmente pronto em tabuleiros e tapando muito bem com película aderente.
Nota 2: se virem que a água de cozer o bacalhau é insuficiente para fazer o bechamel, juntem leite de forma a terem molho suficiente para envolver todo o preparado.
Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!








segunda-feira, 27 de abril de 2015

Salmão enrolado em courgette e rôti de batata



Peixe rápido, fácil e saudável. E muitooo saboroso :)

Ingredientes para 2 pessoas:
2 postas de salmão fresco (ou lombos)
1 courgette
2 batatas grandes
Meio molho de espinafres
Sal e pimenta qb
Azeite qb
1 dente de alho

Preparação:
Se usar postas de salmão, que foi o que eu utilizei, retire-lhes a pele e espinhas e corte-as em pedaços com 10 a 15 centímetros. Tempere com sal e pimenta. Corte a corgette em fatias a todo o comprimentos com a mandolina ou com a lâmina do descascador de batatas de forma a obter tiras bem fininhas. Embrulhe cada pedaço de salmão em uma ou duas tiras de courgette (conforme o seu tamanho). Coloque num tabuleiro, regue com um fio de azeite e leve ao forno a 200º durante 12 minutos. Para terminar e ficar mais bonito, eu tostei um pouco mais a courgette com o maçarico, depois de retirar o tabuleiro do forno. Isto para obter o efeito gratinado sem deixar o peixe tempo demais no forno, pois fica seco.
Para o rôti de batata: este é um rôti de batata muito simples e pouco calórico, pois não leva queijo nem mais ingredientes, apenas batata, sal e azeite (também pode ser feito com batata doce). Rale as batatas em fios grossos na mandolina ou ralador (tal como se faz para as saladas com a cenoura). Tempere a batata com umas pedras de sal. Coloque um fio de azeite numa frigideira anti aderente e leve a batata a cozinhar. Vá mexendo e virando para que toda a quantidade de batata cozinhe uniformemente. Quando estiver meia cozinhada, comece a calcar e a dar a forma de uma panqueca ou duas pequenas, se cozinhar em frigideiras individuais. Deixe tostar bem de um lado e depois vire para tostar do outro. A batata vai ficar compactada e muito saborosa.
Salteie os espinafres com azeite e alho e sirva tudo junto.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



sábado, 25 de abril de 2015

Tártaro de salmão fumado # Entrada para o Dia da Mãe



Fiz esta entrada para o último workshop de entradas que organizei . A ideia é simples e não tem risco de correr mal. As participantes no workshop adoraram. É um petisco fresco, leve e muito colorido que vos deixo como proposta para uma entrada de jantar ou almoço para o Dia da Mãe, que se comemora já no próximo fim de semana.

Ingredientes para 4 pessoas:
150 gr de salmão fumado
Meio pimento amarelo
Meio pepino pequeno
2 tomates de cacho vermelhos, mas rijos
Sal e pimenta qb
Sumo de limão e vinagre balsâmico qb
Azeite qb
Oregãos secos qb
Iogurte magro e sementes de papoila para terminar (opcional)

Preparação:
Comece por temperar o salmão fumado, cortado em pequenos pedaços, apenas com sumo de limão e um pouco de pimenta moída na altura (uso um moinho de mistura de pimentas). Não adicione sal, pois o salmão fumado já é salgado. Misture e deixe a marinar, enquanto prepara os legumes.
Lave-os bem e corte o pepino, tomate e pimento em pequenos cubos. Tempere-os todos em separado. O pepino e o tomate com sal, azeite, oregãos e vinagre balsâmico. O pimento amarelo (pode usar outro se preferir) com azeite, vinagre, sal e pimenta.
Em pequenos copinhos disponha as camadas por cores: primeiro o tomate, depois o pimento amarelo, depois o salmão e por último o pepino. 
Isto assim já é suficientemente bom e já está tudo temperado. No entanto, se quiser enriquecer o prato, termine com um pouco de iogurte magro batido com sal e pimenta e um fio de azeite muito fino. Bata todos estes ingredientes e deite uma colher de sobremesa de molho de iogurte no topo de cada copo. Polvilhe com sementes de papoila. Sirva com uma colher em cada copinho.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!






sexta-feira, 24 de abril de 2015

Bolo folhado com creme de ovos e morangos



Este foi o bolo de aniversário que preparei para assinalar as 85 primaveras da minha avó :) Ela adorou. No domingo faço outro para toda a família lhe cantar os parabéns.
Parabéns Avó Lurdes! Adoro-te!!

Bolo:
6 claras
150 gr de açúcar
55 gr de margarina derretida (usei da líquida)
115 ml de leite
Raspa de um limão
225 gr de farinha para bolos já com fermento
Preparação:
Bater as claras em castelo bem firme com um pouco de sumo de limão. Juntar os ingredientes secos (farinha e açúcar) e ir deitando lentamente a margarina líquida. Mexer bem com uma colher de pau. Ir deitando o leite, também devagar, de forma a que fique tudo bem ligado. Juntar a raspa da limão e misturar. Suavemente vá juntando as claras previamente batidas de forma a envolverem bem, mas sem bater muito.
Deite o preparado num tabuleiro retangular forrado de papel vegetal e untado e leve a cozer em forno pré aquecido a 180º durante 20 minutos. A massa coze rapidamente porque é leve e fica muito espalhada (com pouca altura) dentro do tabuleiro.
Retire do forno depois do bolo estar pronto e deixe arrefecer. Depois de frio apare as pontas e corte ao meio de forma a obter 2 retângulos iguais.

Creme:
Misture 6 gemas, 200 gr de açúcar, 1 casquinha limão, 1 pau canela, 50 gr farinha e 3 dl de leite. Leve ao lume, deixe ferver e engrossar ligeiramente, depois desligue o lume e junte 3 folhas de gelatina incolores previamente hidratadas. Misture bem até a gelatina dissolver por completo e reserve, deixando arrefecer. Coloque no frigorífico até solidificar completamente (pode ser de véspera).

Folhado:
Massa folhada de compra
Morangos
Açúcar em pó qb
Preparação: corte uma placa de massa folhada do tamanho do bolo. Leve ao forno a 180º por 15 minutos. retire e deixe arrefecer.

Montagem do bolo:
Coloque uma das partes do bolo na travessa onde vai servir. Barre com o creme de ovos. Adicione os morangos fatiados. Coloque a outra parte do bolo em cima. Barre com mais creme. Coloque a massa folhada por cima. Polvilhe com açúcar em pó e decore com mais morangos.
Sirva fresco. Bom apetite!


quarta-feira, 22 de abril de 2015

Migas de bacalhau e poejos com ovo escalfado (um fim de semana no delicioso Alentejo)



Cada vez que faço uma viagem ou um passeio, mesmo que sejam apenas dois ou três dias em qualquer lugar agradável do nosso país (e existem tantos!), venho inspirada para cozinhar pratos novos. Talvez porque esteja dois ou três dias sem pôr as mãos nos tachos e panelas mas, acima de tudo, porque os passeios são sempre muito gastronómicos, vejo coisas muito bonitas, provo iguarias deliciosas e a cabeça vem a fervilhar de ideias novas.
Eu e o meu marido gostamos de provar a comida regional, mesmo que já seja nossa conhecida. Voltamos sempre a experimentar o melhor de cada região, alguns restaurantes, os mercados... Desta vez estivemos em Évora, foi no fim do mês de março, num fim de semana de sol e calor.
Fomos jantar ao restaurante Fialho e tenho que dizer que foi bom, mas nada de excecional e para pagar daquela forma é bom que seja excecional... Gostei qb, mas não volto, deve haver melhor por menos dinheiro. Ainda por cima houve um episódio de um pequeno plástico dentro da farinheira assada (que não matou ninguém, como é óbvio, mas é chato) e nem a oferta dos cafezinhos se fez notar, quanto mais da dita entrada de farinheira. Não era pela quantia, pois aquele foi o prato mais barato da refeição, era pela atitude. Era o que eu faria se tivesse um restaurante, fosse caro ou barato, mas eles não o fizeram. Enfim...
O que adorámos mesmo muito foi a visita maravilhosa à Pastelaria Conventual Pão de Rala, da D. Ercília, uma senhora com mãos de anjo ou de Deus mesmo (só pode!!). Em resumo: o melhor Pão de Rala que já comi, o melhor Queijinho do Céu, das melhores empadas, queijadas, pães de leite e croissants. E a torrada? Logo pela manhã uma torrada daquelas de pão alentejano com manteiga é qualquer coisa de ir ao céu e voltar para comer mais! Perguntam vocês: "ela provou isto tudo"? Sim, provei! Ou melhor, "provámos", éramos dois a comer, não fiz a loucura sozinha.
No domingo ainda deu tempo para visitar o mercado municipal e comprar umas iguarias fabulosas: queijo, pão, espargos selvagens, poejos frescos e túberas, as trufas alentejanas. Este tubérculo é muito bom e não muito fácil de encontrar, dado que só há nesta altura do ano e nas regiões interiores entre o Alentejo e a Beira Baixa. Eu nunca as tinha provado, pelo que a curiosidade era muita e a degustação foi uma agradável surpresa. Já publiquei uma receita com as túberas aqui no blog, este Bacalhau Primaveril Alentejano (ver AQUI). Também fiz ovos mexidos com elas e com os espargos, receita que partilharei em breve.
Por hoje proponho estas migas que fiz com os poejos e que estavam qualquer coisa de muito bom! Eu gosto muito de migas e açordas e estes poejos tão aromático ofereceram um sabor delicioso ao pão alentejano que, já agora, para mim é mesmo o melhor do mundo!
Ingredientes para 4 pessoas:
1600 gr de bacalhau Riberalves pronto a cozinhar (usei 2 embalagens de 800 gr de "bacalhau para caldeirada", mas podem utilizar o número de postas correspondentes ao número de pessoas que se vai sentar à mesa)
1 pão alentejano de 850 gr
1 molho de poejos frescos
2 dl de azeite
4 dentes de alho
4 ovos 
Sal qb
Azeitonas qb e tomate para acompanhar

Preparação:
Coza o bacalhau por 10 minutos sem que a água ferva (só no ponto em que deita pequenas bolhas). Retire todas as peles e espinhas ao bacalhau e desfaça-o em lascas. Reserve a água. Arranje o molho de poejos, ficando apenas com as folhas, que devem ser lavadas e secas num pano de cozinha ou em papel absorvente.
Num tacho deite o azeite, deixe começar a ferver e junte-lhe os alhos esmagados e as folhinhas dos poejos, reservando apenas algumas para finalizar o prato. Deixe estes ingredientes libertarem os seus aromas, frigindo um pouco, mas sem deixar queimar. Depois junte o pão migado e vá mexendo. Vá deitando a água de cozer o bacalhau aos poucos e amassando tudo com uma colher de pau até obter a consistência desejada (mais ou menos espessa conforme o gosto de cada um). Envolva as lascas de bacalhau com o pão e sirva bem quente acompanhado de azeitonas e salada de tomate. Decore com umas folhinhas de poejos e junte um ovo escalfado por pessoa. (Técnica de escalfar os ovos AQUI).

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!




segunda-feira, 20 de abril de 2015

Chamuças no forno com salteado de ervilhas de quebrar e cogumelos

Nesta altura do ano encontram-se ervilhas de quebrar tenrinhas, daquelas em que se pode comer tudo, inclusive a vagem, pois é bastante tenra. No caso das ervilhas de debulhar (as mais comuns), a vagem é sempre muito rija e fibrosa, não sendo boa para comer. Estas ervilhas que comprei estavam tenras e estaladiças, bastaram poucos minutos na frigideira para ficarem deliciosamente crocantes.
As chamuças foram um aproveitamento. Durante o fim de semana fizemos churrasco, ou melhor... abrimos a "época do churrasco" com uns amigos do Porto que nos fizeram uma agradável visita :) Sobraram algumas carnes e, estando já grelhadas, não são propriamente das melhores coisas para se comer em "modo requentado". Como me recuso a deitar comida fora e o cão cá de casa é um mariquinhas habituado apenas à ração, as sobras do churrasco acabaram numas chamuças muito simples, feitas no forno.
Agora é o momento em que vocês se estão a rir de mim: "o cão não come as sobras e ela come", é verdade :) O meu estômago é mais resistente e o cãozinho, apesar de brincar como um cachorro, já tem alguma idade, tem que ser alimentado com muito cuidado...

Ingredientes para 2 pessoas:
Chamuças: sobras de carnes, 1 cebola, 0,7 dl de azeite, folhas de massa philo, leite e mostarda qb.
Salteado: 300 gr de cogumelos (usei Portobello pequenos), 400 gr de ervilhas de quebrar frescas, 1 dente de alho, 1 folha de louro, um generoso fio de azeite, sal e pimenta qb, coentros frescos.

Preparação:
Fiz estes pastelinhos de carne em formato de chamuças com carnes grelhadas que sobraram (salsicha e bifana). Comecei por picar as carnes o mais possível no processador de alimentos. Piquei uma cebola e refoguei-a ligeiramente no azeite até amolecer. Depois juntei as carnes previamente picadas. Fui mexendo com uma colher de pau, acrescentei a mostarda e leite aos poucos só para amolecer o preparado e conseguir um recheio mais cremoso. Fiz desta forma muito simples, mas o preparado pode ser o mais rico que quiserem (juntar molho de tomate, queijo ralado, ervas aromáticas, etc). Depois de pronto, deixe arrefecer antes de moldar os pastéis.

Estenda as folhas de massa philo (folhas compridas e com cerca de 12 cm na largura), colocando uma na bancada, pincelando com um pouco de azeite e colocando outra por cima. Deite uma a duas colheres de sopa de recheio de carne em cada folha e vá dobrando em triângulo até o comprimento da massa terminar (exemplo na foto). Feche cada chamuça pincelando com um pouco mais de azeite e leve ao forno a 180ºC até a massa estar douradinha (cerca de 15 minutos).
Para o salteado, comece por retirar as pontas e o fio às ervilhas de quebrar. Lave-as, reserve e corte os cogumelos em fatias. Numa frigideira anti aderente deite azeite, um alho esmagado e a folha de louro. Deixe frigir um minuto e, quando o azeite estiver bem quente, junte as ervilhas de quebrar e os cogumelos. Deixe saltear cerca de 5 minutos ou até os legumes estarem numa consistência que lhe agrade. Eu gosto de deixar as vagens de ervilhas crocantes mas, se preferir cozinhá-las mais, basta deixar ficar mais tempo ao lume.
Por fim, sirva as chamuças quentinhas, acompanhadas do salteado de legumes e polvilhadas com coentros frescos. Como gosto muito de mostarda e a carne já tinha sido ligeiramente aromatizada com este condimento, juntei mais mostarda de Dijon em grão para acompanhar as chamuças. Podem juntar qualquer molho a gosto.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



sábado, 18 de abril de 2015

Bolachas de manteiga de chocolate



Tomei conhecimento deste novo produto, esta manteiga de chocolate, num workshop da Président dado pelo Chef Chakall. Ele fez uns crepes com esta manteiga e ficaram muito bons. Como já tinha provado os crepes, resolvi fazer algo diferente com a manteiga que trouxe para casa. Fiz bolachas, cookies de chocolate muito práticas e fáceis, dado que manteiga e chocolate já estão ambos misturado no mesmo produto. Algum do chocolate derrete-se, mas uma parte das pequenas pepitas ficam inteiras nas bolachas, o que é uma verdadeira delícia. As bolachas ficaram mesmo boas. Foram feitas para o aniversário do meu sobrinho :)


Ingredientes:
1 pacote de manteiga de chocolate Président (255 gr)
200 gr de açúcar branco
150 gr de açúcar mascavado
450 gr de farinha de trigo sem fermento
1 ovo inteiro
1 colher de chá de extrato de baunilha

Preparação:
Amassar a manteiga à temperatura ambiente com os açúcares, na batedeira ou à mão, até estar tudo bem envolvido (eu bati com a Kenwood). Juntar o ovo frio e o extrato de baunilha. Continuar a amassar. Juntar a farinha e amassar o suficiente para esta ficar toda envolvida na massa e obtermos uma mistura consistente. Retirar, colocar na bancada polvilhada de farinha e fazer uma bola. Enrolar a bola de massa em papel vegetal e guardar no frigorífico 20 minutos. Ao fim desse tempo, retirar, fazer rolos/cilindros com a massa e cortar fatias com cerca de 1 cm de espessura. Colocar as rodelas, separadas umas das outras com espaço de 2 cm, num tabuleiro de forno forrado de papel vegetal não untado. Levar ao forno pré aquecido a 180ºC durante 10 minutos. Proceder da mesma forma até acabar a massa. Arrefecer as bolachas e conservá-las em frascos de vidro ou caixas herméticas até 8 dias.
Nota: se não encontrarem a manteiga de chocolate, usem a mesma quantidade de manteiga sem sal e juntem pepitas de chocolate a gosto. O resultados não vai ser exatamente o mesmo, mas também fica bom. A vantagem desta manteiga é que parte do chocolate derrete-se, deixando a massa castanha e achocolatada, enquanto algumas das pequenas pepitas se mantêm inteiras. O resultado final é fantástico.
Estas quantidades dão muitas bolachas, podem optar por fazer meia receita.

Bom apetite! Bom fim de semana!







quarta-feira, 15 de abril de 2015

Toucinho do Céu com redução de vinho do Porto e laranja



Adoro Toucinho do Céu, adoro todo os doces conventuais e os que levam amêndoa em particular. Fiz esta sobremesa para um jantar de amigos, uns convidados que vieram do Porto passar o fim de semana connosco e que foram excelente companhia e excelentes garfos!
Esta receita de Toucinho do Céu é inspirada em várias que pesquisei e algumas que provei. A maior diferença em relação à maioria das receitas de Toucinho do Céu é o facto desta ter menos açúcar em proporção com a quantidade de gemas e amêndoa. O objetivo é mesmo saber bastante à amêndoa. Objetivo conseguido e os convidados adoraram!

Ingredientes:
400 gr de açúcar
1,6 dl de água
10 gemas grandes (usei 12 porque os ovos que tinha eram pequenos/médios)
300 gr de amêndoa pelada e moída
50 gr de manteiga sem sal

Preparação:
Num tacho junte a água com o açúcar e deixe ferver até atingir o ponto de pérola. Depois retire do lume e junte a amêndoa, mexa bem. Junte também as gemas previamente desfeitas. Junte-as aos poucos para não talharem. Volte com o tacho ao lume médio só para cozer os ovos e vá mexendo sempre (cerca de 5 minutos). Retire do lume, junte a manteiga, deixe-a derreter, mexendo. Depois de bem misturado, verta o preparado numa forma retangular untada e leve ao forno a 150ºC até o pudim estar consistente (25 a 40 minutos conforme os fornos, o importante é que a temperatura não seja muito alta para conseguirmos a consistência desejada). O tempo de cozedura também terá a ver coma dimensão da forma. Se o preparado for colocado numa forma muito baixa e larga, leva menos tempo a cozer, de estiver menos espalhado, ou seja, se o preparado estiver com maior altura dentro da forma, vai levar um pouco mais de tempo. Podemos avaliar a consistência pressionando o preparado com a ponta do dedo ao fim de 25 a 30 minutos de cozedura.

Para servir, podemos apenas polvilhar com açúcar em pó ou juntar uma redução de vinho do Porto, que foi o que fiz.

Redução de vinho do Porto e laranja:
Num tacho coloque 2 dl de vinho do Porto, 2 colheres de sopa de água e uma de açúcar. Deixe reduzir em lume brando até o vinho reduzir e ficar numa calda ou xarope caramelizado. Assim que isso acontecer, deglaceie com sumo de laranja. Deixe o lume muito baixo e junte uma a três colheres de sopa de sumo de laranja, lentamente e mexendo sempre. O objetivo desta deglaçage é reidratar o molho, diluindo-o um pouco e acrescentando sabor com o sumo de laranja. Atenção que não deve ficar demasiado líquido, pelo que o sumo de laranja deve ser acrescentado com moderação. Coem o molho e deixem arrefecer antes de o servir. Deve ficar brilhante e espesso. O resultado final é maravilhoso!





quinta-feira, 9 de abril de 2015

Lasanha de beringela e cogumelos


Hoje estou inspirada. Tenho andado inspirada. Tenho tido tantas ideias que não consigo concretizá-las a todas em tempo útil... escrever, fotografar, o tempo não estica...
Isto não significa que todas as ideias sejam boas mas, pelo menos, a cabeça não pára e sempre vão surgindo umas receitas mais ou menos catitas, umas mais do que outras, mas todas comestíveis. Alguns pratos são muito simples, como este. São todos de inspiração do momento e, como é isso que me apetece partilhar convosco, é isso que vos ofereço, esperando que gostem.
Não sei se podemos chamar lasanha a algo sem as placas de massa... em princípio, acho que sim :) Foi feito por mim, comido por mim e escrito por mim, vou chamar-lhe assim porque me apetece! Hoje estou assim, não liguem. Mas experimentem a receita, que é simples e boa!

Ingredientes para 2 pessoas:
6 fatias de beringela com cerca de 0,5 mm de espessura
4 a 6 cogumelos Paris (conforme o tamanho) laminados
4 fatias de presunto não muito salgado
Sal e pimenta qb
Oregãos secos qb
Molho bechamel qb
 
Preparação:
Faça o molho bechamel com manteiga, farinha e sal, vá deitando o leite para deslaçar e mexa sempre até obter um molho bastante espesso. Retifique o tempero com um pouco de pimenta e noz moscada, se gostar.
Barre um tabuleiro de forno com um pouco de molho. Eu usei dois aros para ajudar a "montar" o prato. Dentro dos aros coloquei uma rodela de beringela, depois uma fatia de presunto, depois os cogumelos laminados. Deite um pouco de molho e volte a pôr outra camada de beringela, outra de presunto e outra de cogumelos. Não é necessário temperar porque o sal do presunto é suficiente. Termine com bastante molho e uma rodela de beringela mais pequena. Leve ao forno, dentro dos aros, a 180ºC durante cerca de 20 minutos (deixe ficar até o molho estar tostado). Isto é o suficiente para que os legumes cozinhem. Fica uma maravilha. Tenha apenas em atenção que o presunto não pode ser muito salgado porque depois de cozinhado o sabor vai ser intensificado. No fim, já no prato, retire o aro (as minhas lasanhas desmancharam-se um pouco, mas o sabor estava todo lá!). Polvilhem com oregãos secos e sirva.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



 

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Tofu grelhado com molho de soja e mel


Adoro petiscos, gosto de doces e de alguns "abusos" saborosos às vezes :) Sim, sou gulosa e gosto de comer! De contrário, acho que também não teria este blog... Mas gosto de comer de TUDO. Tudo o que é mais "abusivo" e também tudo o que faz bem, que é saudável e leve. Tenho mesmo esta grande sorte de gostar de tudinho!
A seguir às épocas festivas normalmente tenho necessidade de comidas mais leves, de legumes e peixe (que eu adoro!) porque o organismo assim o pede. Hoje comecei o dia com um sumo desintoxicante e depois, curiosamente (no meu caso) não escolhi uma refeição de peixe. Hoje optei pelo tofu. Confecionei-o de forma diferente do que faço habitualmente e ficou uma delícia.
Ingredientes para uma pessoa:
250 gr de tofu
3 morangos
2 mãos cheias de folhas de espinafres frescos
1 cenoura grande
1 colher de sopa de mel e meia colher de molho de soja
Sal qb

Preparação:
Aqueça o grelhador. Tempere o tofu com umas pedras de sal grosso. Quando o grelhador estiver quente, coloque o tofu a grelhar. Vá virando para grelhar todas as faces e o tofu ficar com as marcas do grelhador. Grelhe cerca de 2 a 3 minutos de cada lado.
Faça uma salada com a cenoura, os espinafres e os morangos. Misture o molho de soja com o mel numa proporção do dobro do mel em relação ao molho de soja, que é muito salgado. Tempere tudo com o molho e delicie-se.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



sábado, 4 de abril de 2015

Pão de ló fofo



Desejo a todos um bom domingo de Páscoa, tranquilo e com o meu voto sincero de que estejam na companhia de quem realmente interessa a cada um de vós, de quem vos quer bem. Partilho convosco o pão de ló que fiz para hoje. Apesar de adorar pão de ló cremoso e húmido, desta vez fiz um fofinho porque a minha mãe gosta mais e porque eu e o meu marido gostamos de o comer com queijo da Serra. Partilho convosco a minha receita e deixo um grande beijinho a todos os que seguem o blog e têm sido tão carinhosos comigo.

Ingredientes:
6 ovos grandes inteiros
250 gr de açúcar
125 gr de farinha para bolos com fermento
Raspa de 2 limões
1 vagem de baunilha

Preparação:
Deite os ovos inteiros numa taça grande com o açúcar, a raspa dos limões (só a parte amarela) e as sementes do interior da vagem de baunilha. Bata à mão durante 20 minutos ou com a batedeira elétrica (com as varas de arame) durante 15 minutos. No fim, deve obter um preparado com a consistência de uma mousse, muito fofo e arejado.
Depois de 20 minutos a bater, envolva delicamente a farinha peneirada na massa sem bater muito, só misturando para envolver. Deite a massa numa forma untada com manteiga ou margarina e polvilhada de farinha e leve ao forno pré aquecido a 150º durante 20 minutos. No fim do tempo, desligue o forno e deixe mais 8 minutos com a porta fechada, depois deixe o bolo dentro do forno outros 8 minutos com a porta meia aberta. No fim desse tempo, retire do forno e desenforme.

Bom apetite e bom fim de semana!