segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Choquinhos com alho e coentros



Entre o Natal e o Ano Novo vou fazer umas refeições mais leves, com vegetais e produtos do mar  para compensar os exageros pecaminosos (mas deliciosos!!) dos últimos dias...  Gosto muito dos tradicionais choquinhos à algarvia e aprecio receitas com moluscos em geral. Nem sempre é fácil encontrar choquinhos frescos dos pequenos que sejam tenros e saboros. Algumas marcas vendem os congelados de boa qualidade. Estes que usei eram, de facto, congelados, mas muito tenros e saborosos, cozinharam num instante.
No meio de tantas receitas natalícias e festivas, sabe bem uma comidinha mais simples para iniciar a semana :)

Ingredientes para 2 pessoas:
600 gr de choquinhos 
3 dentes de alho
Meio ramo de coentros
0,5 dl de azeite
0,5 dl de vinho branco
Arroz para acompanhar ou outra guarnição a gosto

Preparação:
Descongele os chocos no frigorífico e seque-os bem para não levarem humidade para dentro da frigideira. Na frigideira coloque o azeite. Quando este estiver quente, adicione os chocos e os alhos laminados. Deixe saltear por uns minutos em lume alto. Quando os chocos começarem a pegar à frigideira, reduza o lume para médio e refresque com o vinho branco. Deixe cozinhar até os chocos ficarem tenros e, no último minuto, junte os coentros picados grosseiramente. No total cozinharam em cerca de 20 minutos.
Eu adoro comer este prato com arroz branco ou de alho e deitar um pouco do molho por cima do arroz, mas também é bom com batata cozida com pele, por exemplo.
Nota: a salsa deve ser picada muito fininha para libertar todo o aroma, enquanto os coentros devem ser picados mais grosseiramente porque, se forem demasiado picados, perdem sabor.

Bom apetite e boas festas!

sábado, 27 de dezembro de 2014

Bolinhos de massapão, as últimas prendas de Natal...




O vosso Natal foi bom? :) O meu foi. Houve por aqui um Pai Natal muito generoso... No entanto, o que mais desejo é que 2015 me traga prendas daquelas sem as quais não podemos passar: saúde (posso parecer as velhinhas a falar, mas é verdade!), compreensão, amizade, amor, vontade de criar coisas novas e oportunidades! Sim, oportunidades e muita força para as agarrar! São estes os meus desejos para o novo ano e este que vai entrar tem mesmo que ser em grande.
Enquanto o novato não começa e o velhinho ano se despede, ainda ando a entregar uns miminhos a algumas pessoas que me são queridas. Oferecer algo feito por mim é a minha forma de dizer "gosto de ti" porque, para mim, cozinhar é uma expressão de amor e dedicação das mais maravilhosas que pode existir. Deitei mãos à obra e fiz mais bolinhos de amêndoa, dado as primeiras fornadas terem feito tanto sucesso. São uns bolinhos cuja base é a receita de massapão de A minha Cozinha da Clara de Sousa. Achei a receita maravilhosa, juntei-lhe frutos secos e farinha de milho e fiz uns bolinhos com muito sabor a amêndoa. Ficam mais ou menos rijinhos e crocantes conforme o tempo que estejam no forno. Se estiverem 10 minutos vão ficar ligeiramente "peganhentos" por dentro e crocantes por fora. Uma delícia!

Ingredientes para 3 a 4 dúzias de bolinhos: 
300g de amêndoa em pó
300g de açúcar em pó
3 claras de ovo médias
1 colher de chá de aroma de amêndoa
1 pitada de sal
100 gr de farinho de milho amarelo
50 gr de sultanas douradas
50 gr de nozes picadas grosseiramente
Açúcar em pó para polvilhar

Preparação:
Coloque a amêndoa, o açúcar e o sal no processador de alimentos e pulse para misturar.
Com o processador em andamento (velocidade média) junte o aroma de amêndoa e as claras.
Depois de envolvido, raspe as paredes da taça e processe mais um pouco. Junte a farinha de milho e volte a misturar tudo até a massa ter um aspeto liso.
Retire para a bancada, amasse à mão durante dois a três minutos. Junte as sultanas e as nozes, volte a amassar e molde bolinhas do tamanho de um ovo de codorniz. Conforme o tamanho que tenham, devem ficar mais ou menos tempo no forno e vão ficar mais ou menos moles por dentro. 
Coloque todas as bolinhas num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve ao forno pré aquecido a 180ºC por 10 minutos. Mesmo que considere que os bolinhos estão muito moles, retire-os, pois vão arrefecer e ganhar consistência depois de sairem do forno, pelo que não devem ficar cozidos em demasia para não ficarem rijos. Ainda quentes devem ser envolvidos em açúcar em pó. Se gostarem muito de canela, também podem polvilhar um pouco, experimentei em alguns e fica bom.

Também fiz bombons com chocolate 63% de cacau derretido lentamente em banho maria ao qual juntei frutos secos. Coloquei o preparado em formas de silicone para bombons e deixei solidificar. Ao fim de uma hora levei ao frigorífico mais outra hora. Depois desenformei. Arranjei umas caixinhas bonitas onde coloquei um sortido de bolinhos e chocolates. Os bombons também podem ser embrulhados um a um em folha de alumínio, tal como se faz aos doces Dom Rodrigo.

Bom apetite e Boas Festas!




terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Uma prenda de Natal antecipada e os lombos de bacalhau corados com à brás de espargos verdes


Este ano tive uma prenda de Natal antecipada e muito especial. Tive o prazer e o enorme privilégio de conhecer o Chef José Avillez num showcooking exclusivo promovido pela Riberalves na sua fábrica da Moita, a maior fábrica de bacalhau do mundo.
O Chef Avillez é o "Chef do momento", acabou de ganhar a segunda estrela Michelin, sendo o único português a ter conquistado duas distinções deste nível, e ainda anima as nossas manhãs, no percurso de carro a caminho do trabalho, com o divertido programa da Rádio Comercial "O Chef sou eu". Tem programas de televisão, vários restaurantes, trabalha muito, pensa muito em comida, estuda muito sobre comida...
Mas, além disto tudo (que já é muito!), o que o torna tão especial? As estrelas Michelin, talvez... Na minha opinião (modesta e pequena, construída numas poucas horas de convívio) não são as estrelas Michelin que o tornam único, mas sim tudo o que fez e faz no caminho para a conquista das ditas estrelas. José Avillez já era muito especial antes de lhe atribuirem qualquer estrela, de contrário nunca as tinha conseguido. Afinal, "a estrela é ele"!
Estando na sua presença, percebe-se rapidamente que é um homem singular, uma daquelas pessoas que estão sempre à frente. À frente do próprio pensamento. A criatividade avança mais rapidamente do que aquilo que as próprias mãos conseguem pôr em prática. Ideias na cabeça, ideias nas notas do telemóvel ou no papel, ideias no prato. Memórias gustativas, gastronómicas, de infância, de conversas e episódios que o marcaram de alguma forma que, mais tarde, foi posta no prato. O seu processo criativo passa por aqui, segundo contou com toda a generosidade e simpatia, durante o showcooking onde participei juntamente com outros cinco simpáticos cozinheiros amadores, muito apaixonados e interessados, tal como eu.
Depois de termos visitado a fábrica, aprendido sobre o processo de cura do bacalhau, cozinhado com o Chef e aprendido imenso, almoçámos em conjunto e na companhia dos responsáveis da Riberalves. Conversámos, trocámos ideias e degustámos uma salada fria de bacalhau, um bacalhau à brás maravilhoso com as azeitonas explosivas do Chef e um bacalhau confitado com batata e grelos, que estava dos céus, divinal mesmo! Dos três pratos, foi o que mais me agradou e há que sublinhar que estavam todos de uma simplicidade deliciosa e perfeita.
Nesta experiência aprendi a fazer o bacalhau confitado com o Chef, como deve de ser e com todo o preceito. É incrível como se aprende tanto com alguém assim. Os minímos detalhes, as receitas mais simples, os truques mais inesperados, aprende-se em tudo, em cada gesto e em cada volta  que a colher dá no tacho ou em cada pitada de tempero que é adicionada à comida.
Por mim, fiquei rendida! Rendida ao talento do Chef, à generosidade com que interagiu connosco e à sua comida, pois claro! O almoço estava excelente. Acho que a mãozinha dos participantes no showcooking não estragou a comida do Chef Avillez, pelo menos ninguém se queixou... Foi uma experiência inesquecível. Não só pela comida que nos alimentou o corpinho mas, acima de tudo, pela luminosidade e genialidade que, pelo menos a mim, me alimentou a alma. Há pessoas grandes. O Chef Avillez é uma dessas pessoas. Felizmente é Chef de cozinha!

Voltarei ao assunto noutro post para vos contar o processo pelo qual passa o bacalhau antes de chegar à nossa mesa. A visita à fábrica foi extremamente interessante. Entretanto, deixo-vos a receita com a qual ganhei este fantástico prémio e tive acesso ao showcooking: um à brás de espargos verdes e batata com lombos de bacalhau corados na frigideira.

Ingredientes para 2 pessoas:
2 lombos de bacalhau Riberalves Pronto a Cozinhar
1 cebola média
0,5 dl de azeite
500 gr de batata
1 molho de espargos verdes
4 ovos + 2 gemas
1 colher de sopa de azeitonas pretas em rodelas
1 colher de sopa de salsa fresca picada

Cortar as batatas em palitos muito finos e fritá-las (não cortei em batata palha, mas sim em palitos bem fininhos). Temperar de sal.
Colocar azeite qb numa frigideira. Cozinhar aí a cebola cortada em meias luas finas até que esteja macia e transparente. Arranjar os espargos e cortá-los em pedaços com cerca de 1,5 cm. Saltear os espargos em azeite quente, apenas temperados com uma pitada de sal.
Na frigideira, misturar a cebola, os espargos e as batatas já fritas. Bater ligeiramente os ovos e as gemas. Deitar o preparado na frigideira com o lume médio e envolver tudo de forma a que os ovos cozinhem, mas fiquem cremosos, não deixando cozinhar em demasia.
Também numa frigideira com azeite bem quente, corar o bacalhau, começando com a pele virada para baixo. Vamos virando para corar todo o lombo e deixamos cozinhar até que o bacalhau comece a lascar.
Por fim, empratamos o “à brás” de batata e espargos no prato e colocamos os lombos de bacalhau por cima. Terminar com salsa picada e rodelas de azeitonas.

Bom apetite e Boas Festas!






quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Sugestão Criativa # Projeto Natal 2014


Tenho visto algumas sugestões giríssimas para fazer castiçais e candeeiros diferentes, nomeadamente a ideia dos  Minutos Com os Tachos, que adorei!
Como já tinha feito esta bricolage com o candeeiro a petróleo há algum tempo, resolvi agora partilhar no âmbito do PROJETO NATAL 2014 dos blogs A COZINHA DA OVELHA NEGRA e COISAS E COISINHAS.
Quem sabe se vocês têm por aí peças antigas que podem ser transformadas em iluminação criativa e bonita?... Assim podem dar luz ao vosso Natal de uma forma diferente.
Eu aproveitei este candeeiro a petróleo antigo, que era da família do meu marido, e fiz um castiçal. Alarguei o local onde entrava o pavio até ficar redondo e do tamanho de uma vela. Depois foi só colocar  a vela. Pode ser usado com a campânula de vidro ou sem ela e com uma decoração florida a condizer com a cor da vela.









domingo, 14 de dezembro de 2014

Bacalhau à Zé do Pipo


Muitas pessoas (como eu) gostam de fazer pratos de bacalhau diferentes para a ceia de Natal, hoje deixo-vos uma sugestão simples e muito tradicional, mas que é uma delícia: Bacalhau à Zé do Pipo. Provavelmente existem várias versões da receita, com as devidas alterações do dedo dos cozinheiros que lhes foram pondo a mão. A receita que apresento é a minha, a forma como sempre fiz, simples e prática. Adiciono o fiambre ou presunto porque comi assim num restaurante, já há muitos anos, e adorei, tendo adotado este detalhe para a minha receita. Penso que o segredo do sucesso deste prato também está no puré. Um puré bem feito, saboroso e sem grumos é meio caminho para termos um excelente resultado. E umas boas postas do lombo do bacalhau, claro!

Ingredientes para 4 pessoas:
4 postas do lombo de bacalhau pronto a cozinhar Riberalves
1 kg de batata para puré
Leite e manteiga qb
Sal e noz moscada qb
4 fatias de fiambre de boa qualidade (ou presunto)
4 colheres de sopa de maionese (desta vez usei de compra)
2 cebolas grandes
5 dentes de alho
1 dl de azeite
1 folha de louro
Azeitonas pretas a gosto 
4 colheres de sopa de pickles

Preparação:
Começo por cozer as postas de bacalhau ao vapor. Vejam AQUI como fazer. Depois reservo. 
Numa frigideira coloco o azeite, 4 dentes de alho esmagados, a folha de louro e a cebola em gomos bastante finos (meias lua). Deixo cozinhar suavemente até a cebola amolecer, sem ganhar cor.
Ao mesmo tempo cozo as batatas com 1 dente de alho e a água temperada de sal. O alho dá mais cremosidade ao puré e também oferece sabor. Depois das batatas cozidas, passo-as, bem como ao alho, pelos pass vite. Levo o tacho com as batatas esmagadas ao lume. Junto umas duas colheres de sopa de manteiga e um pouco de leite. Tempero com noz moscada ralada no momento. Vou mexendo e acrescentando leite até obter a consistência desejada e até o puré ferver uns 2 minutos. Reservo.
Num tabuleiro de forno coloco a cebola. Por cima ponho as postas de bacalhau. Em cima de cada posta coloco os pickles picados finamente, uma fatia de fiambre e uma colher de maionese. À volta das postas de bacalhau disponho o puré. Termino a decoração com azeitonas pretas e levo ao forno a 220ºC até estar tudo gratinado. Sirvo com salada verde.

NOTA: Em vez de coserem o bacalhau ao vapor, podem cozê-lo em leite e aproveitá-lo para o puré. Em vez de fiambre, adicionar presunto torna o prato mais rico.

Bom apetite! Boas Festas!


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Costeletas de porco com batata doce e chutney de Maçã Reineta de Alcobaça


Quando era mais nova... quando era nova... quando era jovenzinha, pronto! Nessa altura não gostava muito de maçã reineta, mas a minha mãe sempre adorou e lá me tentava dar as maçãs muito a custo... Entretanto fui começando a sofrer do "mal" (bem?!?) de gostar de tudo e também comecei a gostar das maçãs reineta. Mas, claro está, têm que ser de boa qualidade, rijinhas qb, não estarem "farinhentas" e ter o equilibrio necessário entre o doce e o ácido. As maçãs reinetas da Maçã de Alcobaça (consulte o site AQUI) são assim. Aguentam vários dias na cozinha em perfeitas condições, tem excelente paladar e textura consistente. Produto português de qualidade, como eu adoro!
Há uns dias comprei umas quantas e resolvi fazer um chutney muito aromático, receita que já aqui partilhei (VER AQUI). O chutney é como uma compota, aguenta-se semanas em frascos herméticos esterelizados. Entretanto utilizei-o como acompanhamento de um prato, num dia bem frio, em que a refeição bem quentinha soube deliciosamente... Simples e perfeito!

Ingredientes para 2 pessoas:
4 costeletas de porco (lombo ou cachaço)
Sal qb
Alecrim qb
2 dentes de alho
2 batatas doce de tamanho médio (300 a 400 gr no total)
Chutney a gosto para acompanhar (usei 2 colheres de sopa bem cheias por prato)

Preparação:
Tempere as costeletas com sal grosso e um pouco de alecrim. 
Lave as batatas, mas não lhes retire a casca. Coloque-as numa panela com água e uma pitada de sal para que fiquem bringidas (ligeira cozedura por cerca de 5 minutos depois da água ferver).
Aqueça o grelhador. Grelhe as costeletas e as batatas depois de bringidas. Coloque também os alhos com a casca no grelhador para assarem.
Depois de prontas as costeletas, esmague os dentes de alho e esfregue-os na carne. Depois de assados, os alhos ficam com um sabor muito mais adocicado e delicado do que quando crus. Libertam um aroma agradável e são um tempero fantástico.
Sirva as costeletas com as batatas doce e o chutney de maçã reineta.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!









quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Bolachas e Prendas de Natal # PROJETO NATAL 2014



Mais uma ideia e uma receita a pensar no Projeto Natal 2014 dos blogs A Cozinha da Ovelha Negra e Coisas e Coisinhas. Mais uma ideia para partilhar, experimentar e até para oferecer. Frascos ou saquinhos bonitos com estas bolachinhas são uma prenda doce e que agrada a todos. Boas Festas!

Ingredientes para as bolachas redondas e corações de manteiga:
Duas chávenas e meia de farinha maizena
Cinco chávenas de farinha de trigo
Duas chávenas e um quarto de açúcar
Duas chávenas de manteiga sem sal
Dois ovos inteiros

  
Ingredientes para as estrelas e pinheiros de avelã e tâmaras:
Exatamente a mesma base de massa indicada anteriormente
100 gr de tâmaras cortadas em pedacinhos
100 gr de avelãs cortadas em pedacinhos
1 colher de café de gengibre em pó
1 colher de café de canela em pó

Nota: Esta receita foi retirada de um livro de cozinha antigo e as medidas são apresentadas em chávenas. Eu utilizo chávenas de chá de tamanho standard. A receita é grande e rende muita quantidade, o que eu fiz foi fazer apenas uma massa, dividi ao meio e numa das partes acrescentei as tâmaras e avelãs para fazer umas bolachas diferentes.
 
Preparação:
Em ambos os casos, mistura-se tudo bem e amassa-se. Eu costumo misturar com o processador de alimentos e depois amasso à mão por 10 minutos. Depois estende-se a massa com o rolo de forma a ficar com a espessura de 3 a 4 mm. Cortam-se as bolachas com o formato desejado e levam-se ao forno num tabuleiro forrado de papel vegetal.
Devem ficar na prateleira do meio cerca de 10 minutos a 180ºC. O forno deve ter sido pré aquecido a esta temperatura. Em relação aos corações, a forma como os fiz foi com dois cortantes iguais, mas de tamanhos diferentes. Ficam umas bolachas originais e até se podem pendurar na árvore de Natal :)

Em relação às embalagens de oferta, eu costumo juntar várias coisas compradas em sítios diferentes. Fitas, laços, pequenas molinhas ou bonecos de pendurar, pequenas pinhas, fio e spray dourado, etc... Este ano comprei numa retrosaria este folhinho vermelho elástico. É muito prático, pois basta cortar do tamanho pretendido e cozer ou agrafar as pontas. Depois é só colocar nos frascos. Como é elástico nem temos que nos preocupar com nós e laços, é super prático!





 



quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Trouxas de queijo de cabra e doce de figo # PROJETO NATAL 2014


Gosto muito de entradas e petiscos e sou mesmo capaz de me "perder" nessa primeira parte da refeição e já não ter barriga que chegue para o resto... ok, confesso que depois, com esforço, sempre se arranjar espaço para mais :)
Estas trouxas ou embrulhos de queijo de cabra e figo, que fiz a pensar no PROJETO NATAL 2014 dos blogs Coisas e Coisinhas e A Cozinha da Ovelha Negra, são deliciosas para uma entrada natalícia. Gosto de fazer este tipo de embrulhinhos em massa brick ou philo e rechear com vários sabores. Com a mesma ideia podemos fazer várias entradas diferentes para várias ocasiões. É prático e saboroso, além de ser muito bonito na mesa.
As trouxas também podem ser feitas com massa philo, mas desta vez usei massa brick, que é mais fácil de trabalhar, não se parte nem rasga tanto e não seca tão facilmente em contacto com o ar. Também podem utilizar outro tipo de recheios e combinações: patés vários, farinheira desfeita e salteada na frigideira com maçã, alheira desfeita e salteada na frigideira com espinafres, outras combinações de queijos, compotas e frutos secos, como doce de abóbora com nozes, tâmaras e queijo da Serra. Com estas massas podem fazer trouxas, crepes, tacinhas, dobrar em forma de chamuça ou outras. Basicamente, façam tudo o que a imaginação e os ingredientes que têm disponíveis permitirem.
Outra nota: se acharem que o recheio é muito húmido e pode afetar a base da trouxa, ou seja, fazê-la romper com o líquido, usem duas folhas de massa. Quando retirarem do forno, façam-no sempre com cuidado e com uma espátula larga para a trouxa não se desmanchar e aterrar suave e diretamente no prato onde vai ser servida.

Ingredientes para 8 trouxas:
8 folhas de massa brick
1 queijo de cabra (usei do chévre Palhais)
8 colheres de sopa de doce de figo com pedaços
Manteiga clarificada qb (azeite ou margarina líquida para cozinhar em substituição)
Folha de alumínio e folha de papel vegetal

Preparação:
Abra cada folha de massa brick em cima da bancada ou de uma tábua, pincele ligeiramente com uma gordura para que a massa fique estaladiça. Coloque uma fatia de queijo com cerca de 1 cm de espessura e uma colherada de doce em cada folha de massa. Feche a massa como mostra a foto, fazendo uma trouxa e "atando" com folha de alumínio para que mantenha a forma.
Forre um tabuleiro de forno com papel vegetal e coloque as trouxas em cima. Leve ao forno a 180ºC por 10 minutos. Quando a massa estiver dourada, o que acontece muito rapidamente pela delicadeza da massa, retire do forno e retire o papel de alumínio de cada trouxa. O formato vai manter-se e os embrulhinhos ficam lindos e perfeitos!

Doce de figo: o doce que usei é caseiro e foi feito por mim no início do outono com figos frescos (500 gr de açúcar para cada quilo de figos cortados em quartos). Esta mistura também fica boa com figos frescos, sem ser em compota, ou com outro tipo de doce.

Bom apetite e Boas Festas!




terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Arroz cremoso de feijão branco e barriga de porco assada


Fiz este arroz cremoso, uma espécie de risotto, para aproveitar um pedaço de barriga de porco assada que tinha sobrado do jantar do dia anterior. A barriga de porco assada lentamente no forno ficou deliciosa, com a pele estaladiça e a carne muito tenra. A peça de carne era grande e, quando terminámos a refeição e vi que tinha sobrado um pedaço, comecei de imediato a pensar em ideias para aproveitar condignamente aquela carne tão saborosa.

Ingredientes para 2 pessoas:
300 gr de barriga de porco assada
1 chávena de chá de arroz para risotto
1 chávena de chá de feijão branco cozido
1 cebola
Meio alho francês
Um quarto de couve coração
0,5 dl de azeite
Sal qb
1 colher de chá bem cheia de açafrão em pó
Caldo de carne qb

Preparação:
Num tacho deitei o azeite, a cebola picada, o alho francês em rodelas finas e o açafrão. Refoguei ligeiramente até a cebola ficar transparente. Depois juntei o arroz e deixei fritar ligeiramente. Adicionei o vinho branco, mexendo bem e deixei cozinhar por uns minutos até o arroz absorver todo o vinho. Basicamente, procedi como se faz para risotto. A partir deste momento fui adicionando caldo de carne quente. Como não tive tempo de fazer o caldo, fervi água com dois cubos de caldo de carne (tipo knorr). Fui adicionando este caldo aos poucos e mexendo sempre com o lume médio. Retifiquei de sal e juntei a couve coração cortada em juliana. Continuei a juntar caldo e, quando o arroz estava quase cozido e o caldo gasto, juntei a barriga de porco cortada em pedaços e o feijão branco já cozido (usei de frasco). Terminei o arroz e servi decorado com cebolinho. Não adicionei manteiga nem queijo como se faz normalmente no risotto, por isso lhe chamo um arroz cremoso. Ficou uma maravilha, muito aromático e cheio de legumes e coisas boas.

NOTA: Eu fiz o prato para aproveitar a sobra de carne que tinha, mas podem fazer com qualquer outra carne. A mistura da carne, principalmente se for de porco, com a couve e o feijão é muito boa.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


domingo, 7 de dezembro de 2014

Sonhos de abóbora


São sonhos de Natal. Ou fritos... de abóbora, neste caso, mas eu acho mais romântico chamar sonhos a todos eles, penso que ninguém se aborrece com isso :) Estes são sonhos de abóbora, fáceis de fazer e ficam sempre fofinhos.

Ingredientes:
500 gr de abóbora cozida e escorrida (em cru deve ter cerca de um quilo)
500 gr de farinha de trigo
Meio litro de leite
2 ovos
Raspa de 2 laranjas
2 colheres de sobremesa de fermento em pó

Preparação:
Depois de cozida e muito bem escorrida a abóbora, desfaz-se esta com um garfo. À abóbora vai-se juntando, alternadamente, a farinha e o leite. Depois juntam-se as 2 gemas e a casca de laranja. Mexe-se bem e, por fim, envolvemos as claras batidas em castelo firme às quais se adicionou o fermento (adicionar quando as claras já estiverem a ficar rijas).
Frita-se a massa deitando colheradas em óleo a cerca de 200ºC. Escorrem-se os fritos em papel absorvente e, logo de seguida, polvilham-se com açúcar e canela.

Bom apetite! Boas Festas! 




sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Bacalhau corado com molho cremoso de camarão



Cá em casa na mesa de Natal há sempre bacalhau, mas há muitos anos que não há bacalhau cozido. Pelo menos não há SÓ bacalhau cozido. Gosto de inovar e fazer um prato mais suculento para esta noite tão especial. Bacalhau espiritual, bacalhau com migas e castanhas ou bacalhau e polvo à lagareiro no forno, foram alguns dos pratos já experimentados. Desta vez tive a ideia de juntar algum marisco ao fiel amigo e fazer os lombos de bacalhau com um molho guloso. É um prato bom para qualquer altura do ano e pode ser uma ideia para a noite da Consoada. Espero que gostem, não é difícil e fica muito saboroso.

Ingredientes para 4 pessoas:
4 lombos de bacalhau
300 gr de camarão 
0,5 dl de azeite
Sal qb
3 colhere de sopa de manteiga
3 colheres de sopa de farinha
Acompanhamento: 1 molho de espinafres e 4 batatas grandes

Preparação:
Comece por cozer os camarões com pouca quantidade de água temperada com sal (o sal deve ser qb para que a água possa ser toda aproveitada). Depois de cozidos, descasque-os. Esprema as cabeças para dentro da água, passando-as pelo pass vite. Coe a água com um passador e reserve. Deve obter cerca de 0,5 l de caldo de camarão.
Num tacho faça um bechamel de camarão: deite 3 colheres de sopa de manteiga e deixe ferver, adicione 3 colheres de sopa de farinha de uma vez e mexa até formar uma pasta. Lentamente vá juntando a água de cozer os camarões, mexendo sempre, até a esgotar toda e obter um molho espesso e sedoso. Se considerar que tem pouca quantidade de água, adicione um pouco de leite e retifique de sal. Quando o molho estiver pronto, junte o miolo de camarão e reserve, conservando-o quente.
Numa frigideira anti aderente deite o azeite e, quando este estiver quente, core os lombos de bacalhau de todos os lados, começando pelo lado da pele para que fique tostada. Assim que o bacalhau estiver cozinhado e as lascas a separarem-se (sem estar frito em demasia) retire e coloque cada lombo nos pratos de servir.
Em relação ao acompanhamento, as batatas são cortadas no ralador ou mandolina em fios grossos, temperadas com sal grosso e um fio de azeite e assadas no forno. Ficam tipo batata frita. Os espinafres foram simplesmente salteados. No fim empratei tudo e reguei com o molho de camarão.

Bom apetite e Boas Festas!


quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Bolo de chocolate Árvore de Natal


Este foi o bolo de chocolate que fiz no workshop e que foi decorado pelas crianças que participaram. Ficou lindo! Os miúdos adoraram e as mães gostaram da ideia de como cortar o bolo em formato de árvore de Natal. Deixo-vos o esquema para que também possam fazer. É muito simples, só têm que fazer o bolo num tabuleiro retangular grande.

INGREDIENTES para um bolo grande (tabuleiro retangular de 45x25 cm):

- 250 gr de chocolate em tablete (60% de cacau ou de leite se preferirem)
- 8 ovos
- 300 gr de farinha de trigo
- 2 colheres de chá de fermento em pó
- 280 gr de açúcar
- 100 gr de manteiga
- 1 dl de leite morno
Para o creme: 2 embalagens de queijo creme magro, 4 colheres de sopa de açúcar em pó, 1 pacote de natas de soja para bater (ou das tradicionais), 1 vagem de baunila para aromatizar + açúcar qb + decorações a gosto

PREPARAÇÃO:
Partir o chocolate em pedaços pequenos e colocá-lo a derreter em banho maria juntamente com a manteiga. Para derreter em banho maria o tacho de baixo deve ter apenas um pouco de água (3 a 4 dedos de altura de água). Separar as gemas das claras. Bater as gemas com o açúcar com a batedeira elétrica durante 5 minutos até obter um creme esbranquiçado e espumoso. Acrescentar a isto o chocolate derretido com a manteiga. Misturar bem. Juntar o leite morno. Adicionar, aos poucos, a farinha peneirada e envolver bem, mas sem bater muito. Por fim bater as claras em castelo, juntar-lhes o fermento e envolver as claras na massa. Untar com margarina e polvilhar com farinha o tabuleiro. Deitar a massa lá dentro e levar a forno pré aquecido a 180ºC durante 25 minutos. Antes de retirar, faça o teste do palito para ver se a massa está cozida. Não a deixe ficar seca. Se ao fim de 25 minutos não estiver totalmente cozida, desligue o forno, mas mantenham o bolo lá dentro com a porta fechada por mais 5 minutos e depois a porta entreaberta outros 5. Depois retire e desenforme quando estiver mais arrefecido. Para ser cortado e recheado tem que estar totalmente arrefecido.
Este foi receheado com creme de queijo que faço utilizando duas colheres de sopa de açúcar em pó (inglês) para cada embalagem de queijo creme magro (tipo Philadélfia). Acrescento as sementes de uma vagem de baunilha para aromatizar Por cima barrei com chantilly feito de natas de soja especiais para bater. As crianças moldaram estrelas e bolas de Natal em pasta de açúcar vermelha e decoraram a seu gosto.








terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Workshop de Comida Saudável e Saborosa para Miúdos e Graúdos


Pais e filhos juntaram-se na minha cozinha e todos participaram, ajudaram a confecionar pratos deliciosos e provaram tudo no fim. Mas o melhor deste workshop de comida saudável e saborosa, foi o facto dos miúdos terem gostado. O objetivo era motivar as crianças, principalmente as mais "difíceis", a comer verdes e peixe. Também havia alguns participantes crescidos mais "esquisitos de boca"... ora, como quase todos gostaram de tudo, acho que me posso sentir uma cozinheira feliz :)
Muito pais têm grande dificuldade em dar peixe, legumes e vegetais aos mais pequenos. Como sou adepta da ideia de que comida saudável pode ser, ao memso tempo, muito saborosa, este workshop serviu para dar algumas dicas de pratos cheios de sabor e saúde que podemos confecionar facilmente no dia a dia e agradar a todos.
Confecionei os seguintes pratos: "Quiche de salmão e espinafres"; "Salada de fusilis tricolor, legumes salteados e frango" (só há foto da preparação dos legumes porque a salada sumiu-se logo...); "Peixe com molho de tomate gratinado no forno acompanhado de batatas fritas no forno". Algumas receitas já foram publicadas aqui no blog. Entretanto divulgarei as outras.
No fim de uma bela tarde passada em torno dos tachos e da mesa, só o meu habitual e magnífico ajudante poderia arrumar tudo tão bem e tão depressa. Obrigada Rui por apoiares, incentivares e ajudares tanto, até a comer :)
Não me posso esquecer de referir a parte mais gulosa do dia: para sobremesa houve Bolo de Chocolate muito fofinho, feito por mim e decorado pelas mãos especiais das crianças. O resultado foi uma árvore de Natal linda e doce, não concordam?