sábado, 29 de novembro de 2014

Gelado de queijo da Serra do Tiger

Fiz mais uma receita do Chefe Tiger. Bom, desta vez não é "uma" receita, é "A" receita. Acho que nunca comi nada tão bom em toda a minha vida... Faço desde já uma declaração de intenções: sou louca por queijo e adoro gelados! Ora, esta sobremesa é gelada, docinha e com queijo!! Ainda para mais, Queijo da Serra, um dos melhores queijos do mundo, na minha opinião. Fica uma verdadeira maravilha, a conjugação do sabor do queijo com a marmelada é perfeita e já conhecida, mas assim em gelado é qualquer coisa de sublime. Eu fiz o gelado com um queijo mesmo muito cremoso, quase líquido, e usei broa de milho amarelo, daquela um pouco adocicada. A única alteração que fiz à receita original foi polvilhar o gelado com uma pitada de canela quando fiz o empratamento. Um toque discreto, que resultou. Amantes de queijo: deliciem-se com esta sobremesa, é de ir ao céu e voltar para comer mais um bocadinho!

Ingredientes para 6 a 8 forminhas:
250 gr de Queijo da Serra
2 dl de natas
2,5 dl de leite
6 gemas
125 gr de açúcar
Broa de milho qb
Maarmelada qb

Preparação:
Abra o Queijo da Serra e retire 250 gr da parte cremosa. Bata as natas com as gemas. Adicione o leite previamente fervido com o açúcar. Leve a mistura de natas, gemas e leite ao lume. Retire antes que ferva e junte ao queijo. Triture tudo com a varinha mágica. Encha pequenas formas (de queques ou pudins) com o creme. Congele. Na altura de servir, retire do congelador para o frigorífico uns 10 minutos antes para o gelado desenformar facilmente e ficar cremoso. Triture a broa ou esfarele com os dedos (foi o que fiz) e faça o empratamento com a marmelada, o gelado e a broa esfarelada. No fim polvilhe com um toque de canela em pó (opcional).

Bom apetite!




quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Migas de amêijoas com lombinhos de porco preto


Hoje o Cante Alentejano foi considerado, pela Unesco, Património Cultural Imaterial da Humanidade. Parabéns ao Cante, aos cantadores, ao nosso lindo alentejo e a Portugal! Além de ser uma região acolhedora e maravilhosa, principalmente na primavera, que é a altura do ano em que mais gosto de visitar o Alentejo, esta zona do país é caraterizada por ter alguns dos nossos melhores pratos tradicionais. Com pão, carne de porco e ervas aromáticas os alentejanos fazem verdadeiras delícias. Sem esquecer o peixe e os mariscos, tão abundantes em quantidade e qualidade em toda a Costa Vicentina e zonas do litoral alentejano.
Eu resolvi juntar todos esses ingredientes e fazer um prato que pretende homenagear o Alentejo e a tradição culinária portuguesa. Cá em casa foi muito bem recebido. Espero que também gostem.

Ingredientes para 4 pessoas:
1 kg de lombinho de porco preto
1 kg de amêijoas
1 pão alentejano grande
6 dentes de alho
1 bom ramo de coentros
1,5 dl de azeite alentejano
Sal grosso, grãos de pimenta preta e branca e de sementes de mostarda qb

Preparação:
Corte os lombinhos de porco em nacos de cerca de 6 cm de espessura.
Numa frigideira deite metade do azeite. Esfregue toda a frigideira com um alho grande esmagado. Quando o azeite estiver quente, cozinhe os lombinhos em lume alto de forma a que a carne fique selada de todos os lados. Depois tempere a carne com sal, pimenta, alho esmagado e um pouco de sementes de mostarda e leve ao forno a terminar (cerca de 10 minutos a 180ºC).
Num tacho coloque o restante azeite e 4 dentes de alho bem esmagados. Junte as amêijoas e os coentros picados na altura. Deixe as amêijoas cozinharem até abrirem, como na receita à Bulhão Pato. Tape o tacho para criar algum líquido. Quando estiverem todas abertas, retire as amêijoas, descasque-as e reserve. Deixe apenas algumas com casca para o empratamento.
Entretanto corte o pão em pedaços pequenos, evitando as zonas mais rijas da côdea. Coloque o pão num tacho e vá deitando por cima todo o molho das amêijoas com os coentros e alhos. Com uma colher de pau vá amassando até obter a consistência de migas "presas". Se o líquido não for suficiente, acrescente um pouco de água a ferver, sempre aos poucos. Retifique de sal. Leve o tacho ao lume e misture bem até as migas ficarem prontas. Por fim junte o miolo das amêijoas.
Para empratar, coloque as migas de amêijoas num prato ou ardózia com os lombinhos de porco por cima. Polvilhe com mais coentros frescos picados e termine com um fio de bom azeite alentejano. Decore com algumas amêijoas inteiras e delicie-se!



quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Batatas fritas no forno


Gosto de batatas fritas, mas não sou louca por elas. De vez em quando, com alguns pratos, não as dispenso. Como não gosto muito de fritos, do cheiro que deixam e da gordura com que ficam, e como tenho cá em casa alguém que concorre seriamente para ser o fã número um de batatas fritas, comprei uma Actifry, uma máquina que frita apenas com uma colher de azeite ou óleo. As batatas ficam realmente boas e estaladiças. Como a máquina é bastante cara, posso deixar-vos a dica de que comprei a minha já há uns anos pela internet, veio do estrangeiro, novinha em folha, mas a metade do preço. A garantia é válida na mesma, tendo em conta que vinha de um país da União Europeia. Só não trazia livro de instruções em inglês, mas descarreguei da net.

Bom, mas as batatas fritas sem serem mergulhadas em óleo também podem ser "fritas" no forno. Todos os pratos que apresento aqui no blog e que acompanham com batata frita, é sempre batata frita na Actifry ou no forno.

Para as confecionar no forno, proceda da seguinte forma:
Comece por pré aquecer o forno a 200º C. De preferência utilize batatas de boa qualidade para fritar (eu gosto de usar da roxa ou da "olho de perdiz"). Descasque as batatas e corte-as em palitos. Lave-as em 3 águas. Se tiver tempo, deixe-as de molho em água fria, até as pode colocar no frigorífico para ficarem mais rijas.
No momento de as confecionar, seque-as muito bem com um pano de cozinha até perderem toda a humidade (este passo é muito importante para o sucesso da receita). Coloque-as numa taça e tempere-as com flor de sal e algumas ervas secas, como oregãos, tomilho ou alecrim. Eu utilizei flor de sal já misturada com ervas moídas muito fininhas (por isso quase não se nota). Adicione um fio de azeite (pouco). Misture tudo bem e coloque as batatas bem espalhadas num tabuleiro forrado com papel vegetal. Não acame as batatas umas por cima das outras para que possam tostar uniformemente. Leve ao forno na prateleira do meio e acerte a temperatura para os 220ºC. Ao fim de 15 minutos, com muito cuidado e com a ajuda de uma espátula larga, vire as batatas. Deixe assar por mais 15 minutos. Conforme a potência do forno, pode demorar um pouco menos ou um pouco mais de tempo. Se for uma grande quantidade de batatas também demora mais tempo. Quando estiverem prontas, retire e sirva-as quentinhas e estaladiças.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


terça-feira, 25 de novembro de 2014

Salada de lulas grelhadas, bróculos e ervas aromáticas


Depois de um fim de semana dedicado à doçaria, volto aos pratos principais, práticos e fáceis para os dias de trabalho. Que tal umas lulas? Tenham uma boa semana!

Ingredientes para 2 pessoas:
750 gr de lulas frescas
400 gr de bróculos
1 endívia
Meio pimento vermelho
0,7 dl de azeite aromatizado com ervas aromáticas e um dente de alho esmagado e picado muito finamente
Sal e pimenta qb

Preparação:
Arranjei as lulas frescas, limpando-as e abrindo-as. Com uma faca afiada dei uns golpes na diagonal e depois no outro sentido (para formar losangos). Os golpes devem ser dados superficialmente de forma a criar apenas uns sulcos nas lulas, não para as dividir em pedaços. Isto serve para que as lulas absorvam melhor o sabor do azeite e das ervas enquanto grelham.
Com um pincel passei um pouco de azeite aromatizado com ervas aromáticas a gosto nas lulas (do lado dos golpes). Temperei-as também com um pouco de pimenta moída na altura. Aqueci o grelhador e assei as lulas. Neste caso, para temperar, usei uma mistura de ervas para grelhar peixe. Se não tiverem esta mistura podem usar oregãos, funcho, cebolinho, salsa, a mistura que vos parecer bem. Com o calor as lulas vão enrolar, é normal e deixa-as com um aspeto curioso.
Entretanto os bróculos cozeram ao vapor durante 15 minutos. Cortei-os previamente em raminhos pequenos para cozerem uniformemente. Em cada prato coloquei algumas folhas de endívia, as rodelas de pimento e os bróculos e acrescentei as lulas assim que ficaram grelhadas. Reguei tudo com um vinagrete feito com duas partes do azeite aromatizado e uma parte de uma mistura de vinagre balsâmico e sumo de limão.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


domingo, 23 de novembro de 2014

Bolo de abóbora com especiarias


Quando fiz este bolo cheirava a mel, canela e gengibre na minha cozinha. Não só na cozinha, mas pela casa toda. Que maravilha! Só pelo aroma, vale a pena fazer este bolo. Mas não é só pelo cheirinho, façam-no pelo sabor e pela textura, que são maravilhosos. Além disso, este bolo traz uma etiqueta a dizer: "outono" :) Tem abóbora, especiarias, mel... é um bolo macio, quente, melado, reconfortante. Fi-lo e levei-o para o lanche que partilhei com uma prima, que também é uma boa amiga. toda a família provou e quem provou gostou muito.

Ingredientes:
300 g de abóbora (pesada depois de cozida e escorrida)
275 g de açúcar amarelo
200 g de manteiga sem sal à temperatura ambiente (usei margarina líquida para cozinhar, ficou ótimo)
4 ovos
300 g de farinha com fermento
1 colher de chá de gengibre em pó
1 pitada de cravinho em pó
1 colher de café de noz moscada moída
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de café de erva-doce em grão moída
Uma pitada de sal
100 g de mel
Açúcar em pó para polvilhar

Preparação:
Bater o açúcar com os ovos (ir adicionando um a um) com a batedeira. Esmagar a abóbora com um garfo depois de cozida e escorrida. Juntar a abóbora ao preparado com a margarina. Bater bem. Adicionar os restantes ingredientes (mel e especiarias) e, por fim, envolver a farinha peneirada. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC, numa forma forrada com papel vegetal, ligeiramente untado com manteiga, durante 35 minutos.
Desenformar depois de frio e servir polvilhado com açúcar em pó.





quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Perna de peru com cogumelos e salsa


Eu não tenho nenhuma obsessão doentia com comida saudável. Longe disso! Como de tudo e adoro comida gulosa. Mas tento fazer refeições equilibradas e ter em conta o que é saudável sem fugir ao sabor e à comida suculenta.
Incomoda-me, posso mesmo dizer que me irrita, que as pessoas pensem que comida saudável se limita aos cozidos e grelhados e que comida saudável não tem sabor nem graça. Não pode haver ideia mais errada. Há comida de forno, de tacho e comida com molho que pode ser saudável, ter pouca gordura e saber muito, mas mesmo muito bem!
Muitas das receitas que aqui partilho têm isso em mente: serem práticas e saudáveis, terem alguma originalidade e imenso sabor. Comida boa, que não faça mal, mas que dê gosto comer! É isso que gosto de fazer e é isso que gosto de comer... porque eu gosto MUITO de comer :)
A carne de peru é um dos ingredientes saudáveis e com muito potencial para fazer bons pratos. O peru é uma carne magra, mas com muita proteína, constituindo uma boa opção para crianças, jovens, atletas e até para quem pretende fazer dieta, pois tem pouca gordura, mas fornece energia.
Em relação às pernas de peru eu costumo escolher uma bem grande para fazer bifinhos ou costeletas da parte da coxa (peço que me cortem logo os bifes no talho) e aproveitar o "coto" para outros pratos. Às vezes asso no forno, outras vezes estufo, como foi o caso desta vez em que estufei com cogumelos. Espero que gostem da sugestão, é muito simples e prática de confecionar.

Ingredientes para 2 pessoas:
1 perna de peru (apenas a parte do "coto")
250 gr de cogumelos "Paris", dos brancos
1 cebola
3 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
1 folha de louro
Meio ramo de salsa fresca
Sal e pimenta qb
0,5 dl de vinho branco

Preparação:
Coloque o azeite, a cebola picada grosseiramente, os alhos esmagados e o louro num tacho. Disponha por cima a perna de peru inteira sem a pele (se tiver um golpe ao meio, ajuda a cozedura). Tempere com sal grosso e pimenta preta moída na altura. Adicione ao tacho metade da salsa fresca picada. Tape e deixe estufar em lume médio.
Cerca de 20 minutos depois vire a perna no tacho. Adicione os cogumelos partidos em quartos e o vinho branco. Retifique o sal. Deixe estufar até a carne estar cozinhada (mais 20 a 30 minutos conforme o tamanho da perna). Se der um pequeno golpe e vir que não há sangue junto ao osso, é porque está pronta. Durante a cozedura se o cozinhado ficar seco, pode acrescentar mais um pouco de vinho ou água. Se, pelo contrário, estiver com muito líquido, destape o tacho e deixe reduzir um pouco o molho.
No fim, retire do lume, fatie a carne e polvilhe com a restante salsa para dar frescura ao prato. Sirva com arroz branco ou arroz de alho.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Bacalhau à Tiger



E quem é o Tiger? Pois, o Tiger é este gato lindíssimo que, pelos vistos, tem fantásticos dotes de cozinheiro. No livro "As receitas do Chefe Tiger", ele diz que são receitas "tão simples, que até um gato consegue fazer". E nós acreditamos :)
O livro foi oferta do meu marido e é absolutamente "um must" para quem gosta de boa comida tradicional portuguesa e lindas fotos. Os autores, donos do felino Tiger, demonstram um excelente gosto gastronómico, imaginação, sensibilidade e ainda conseguem ser fiéis a alguns dos mais deliciosos pratos portugueses oferecendo-lhes inovação, o que eleva as receitas a um outro patamar.
As receitas são regularmente publicadas no portal do jornal Expresso (vejam AQUI) e agora foram editadas em livro. O Chefe Tiger também tem uma página de Facebook onde podemos encontrar todas as receitas e fotos giríssimas. Para já, eu experimentei este bacalhau e ficou aprovado cá em casa. É mesmo muito bom, todos os ingredientes combinam bem e, na minha opinião, a frescura dos coentros dá o toque que torna o prato especial.
Não sei é se o Juca, o nosso cão, gostaria de travar amizade com o Tiger... Mas como não vamos experimentar a proeza, fico-me pela partilha das deliciosas receitas do bichano... Espero que gostem. Miau!!


Ingredientes para 4 pessoas:
2 lombos ou postas de bacalhau demolhado
200 gr de gambas cozidas
500 gr de batatas
Meia broa de milho
2 cebolas
4 dentes de alho
2 ovos
2 folhas de louro
4 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa bem cheias de coentros frescos picados
1 colher de sopa de manteiga
Sal e pimenta qb

Preparação:
Coza o bacalhau em lume brando por 10 minutos. Tire a pele e as espinhas e desfaça-o em lascas.
Refogue em azeite, em lume médio, as cebolas cortadas em gomos finos, os alhos laminados e o louro. Retire do lume e envolva o bacalhau na cebolada.
Retire a côdea à broa e esfarele o miolo. Coza as batatas e passe-as pelo pass-vite ou desfaça-as com um esmagador.
Adicione 1 colher de sopa de manteiga ao puré e bata vigorosamente até a manteiga estar envolvida nas batatas. Faça isto com as batatas quentes para a manteiga derreter. Coloque o puré num tabuleiro que possa ir ao forno e alise de forma a fazer uma camada de puré.
Por cima junte as gambas depois de cozidas e descascadas e os ovos cozidos e fatiados. Finalmente misture o bacalhau com a broa e os coentros picados e disponha por cima, será a última camada no tabuleiro.
Leve ao forno a 200ºC por 15 minutos ou até o bacalhau estar gratinado a seu gosto. Sirva com salada.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!




sábado, 15 de novembro de 2014

Canellonis de carne


Como gosto muito de massas, faço muitas vezes variações diversas de todo o tipo de pastas, inclusivé pasta fresca feita por mim. Carnes, bacalhau, atum, legumes, tudo tem lugar nas minhas massas. Desta vez tinha cá uns gulosos a jantar que andavam com muito desejo de canellonis. Canellonis de carne, tradicionais e suculentos. Deitei as mãos aos canellonis, mas não fiz a pasta fresca porque foi durante a semana, estava com o tempo contado e tinha que fazer uma quantidade grande (por isso indico as quantidades para 6 pessoas). Quando se tem pouco tempo a forma mais rápida de fazer canellonis é com placas de massa fresca de compra. Se usarem os tradicionais tubos de massa seca (que também são bons) têm que lhes dar uma fervura prévia e a massa fresca dispensa esse procedimento. Basta fazer o recheio de carne e colocá-lo dentro das placas, enrolando-as depois até formar os tubos recheados. Eu apresento a minha receita, com molho bechamel, que é como gosto mais e como me habituei a comer em criança os canellonis feitos pela minha mãe. Espero que gostem. O pessoal aqui em casa comeu até cair...

Ingredientes para 6 pessoas:
1 kg de carne de novilho picada
2 embalagens de 250 gr de placas de massa fresca para lasanha (500 gr no total)
2 cebolas
3 dentes de alho
1 folha de louro
5 tomates maduros
0,5 dl de azeite
Sal, pimenta e ervas de Provença a gosto
1 colher de sopa de salsa fresca picada
1 colher de chá de colorau doce
2 colheres de chá de oregãos secos
2 mozzarellas frescas
2 colheres de sopa de queijo da ilha ralado
Para o  molho bechamel: 5 colheres de sopa de farinha, 5 colheres de sopa de margarina líquida ou manteiga, meio litro de leite (usei magro), sal, pimenta e noz moscada qb, 1 pacote de natas (podem ser de soja).

Preparação:
Num tacho deite o azeite, a cebola e os alhos picados. Deixe refogar ligeiramente e depois junte a carne picada, o louro, a salsa fresca picada, as ervas de Provença e o colorau. Tempere de sal e pimenta e junte também os tomates maduros em pedaços pequenos. Misture tudo bem e deixe a carne cozinhar. Vá mexendo de vez em quando e deixe o lume baixo/médio para que a carne não pegue. Quando estiver totalmente cozinhada, deixe arrefecer e depois passe tudo novamente pela picadora. Reserve. Eu gosto de fazer assim, a carne é picada quando está crua e volta a ser picada depois de cozinhada. Isto faz com que o recheio fique muito mais cremoso e o sucesso do prato é garantido.
Entretanto prepare o molho fervendo a margarina num tacho (uso Becel ou vaqueiro Líquida, mas normalmente faz-se com manteiga). Quando estiver a ferver deite a farinha de uma vez e misture bem até formar uma massa. A partir deste momento basta ir juntando o leite aos poucos e mexendo para este se incorporar na massa. Quando a mistura começar deslaçar, junte os temperos e prove para retificar o sabor. Continue a mexer sempre em lume médio e junte leite até obter a textura de molho pretendida. Pode servir assim ou juntar natas. Neste caso juntei 1 pacote de 200 ml de nata porque achei o molho insuficiente e, desta forma, acrescentei a quantidade.
Com tudo pronto, chega a hora de enrolar os canellonis. Disponha cada placa de pasta fresca na bancada da cozinha ou em cima de uma tábua e coloque uma colher generosa de recheio em cada placa. Enrole cuidadosamente e vá dispondo os canellonis num tabuleiro de forno. Quando estiverem todos prontos, deite por cima a mozzarella desfeita (ver foto) e o queijo da ilha. Polvilhe com oregãos secos e, por fim, regue com o molho bechamel. Leve ao forno a 230ºC durante cerca de 30 minutos ou até estar gratinado. Sirva com uma salada verde.
Notas: A quantidade de molho bechamel deve ser abundante e cobrir toda a massa porque depois de ir ao forno vai secar um pouco e ficar envolvido nas massas e no recheio. Se o molho for pouco o prato fica muito seco. Se usarem as placas para lasanha, como eu fiz, podem cortar cada uma ao meio ou escolher a melhor forma de enrolar os canellonis conforme o tamanho que lhes queiram dar. Esta quantidade não coube num tabuleiro apenas, usei um grande e outro médio para dispor todos os canellonis.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Chutney de maçã reineta e especiarias


Este chutney muito aromático é bom para acompanhar carnes, principalmente de porco. Também podem experimentar conjugá-lo com alguns queijos, de cabra, por exemplo. Outra ideia é fazer umas gambas panadas, salgadinhas e picantes qb, e servir este acompanhamento para ir "molhando" as gambas, tipo petisco ou como entrada. Fica um contraste de sabores excelente.
O chutney não fica demasiado ácido nem demasiado doce, tem uma acidez qb e o ligeiro picante do gengibre dá-lhe um travo muito saboroso e vibrante. Depois de pronto, posto em frasquinhos bonitos também pode ser uma boa ideia para prendas de Natal.

Ingredientes:
1 kg de maçã reineta de Alcobaça
1 cebola (cerca de 200 gr)
250 gr de açúcar branco
3 colheres de sopa bem cheias de açúcar moreno macio 
2,5 dl de vinagre de cidra
1 colher de café rasa de gengibre em pó
1 pau de canela
1 colher de café rasa de canela em pó
Meia colher de café de sementes de mostarda preta
1 cravinho
1 colher de café rasa de noz moscada
1 colher de café de mistura de pimenta (rosa, branca e preta)
1 colher de sopa de água

Preparação:
Num tacho coloque a cebola picada, a água e o açúcar moreno e leve ao lume médio até a cebola começar a caramelizar (cerca de 10 minutos). Entretanto vá descascando as maçãs. Pique-as em cubinhos pequenos e coloque-as desde logo numa tigela com os 2,5 dl de vinagre. Assim que tiver todas as maçãs descascadas e cortadas, adicione-as ao tacho da cebola. Junte o açúcar branco, o pau de canela e a canela e gengibre em pó. Num almofariz deite o cravinho, a noz moscada moída na altura, as sementes de mostarda e as pimentas. Moa tudo até ficar em pó e junte ao tacho. Mexa a mistura com uma colher de pau e deixe cozinhar em lume médio por 40 minutos até o chutney atingir ponto de estrada (tal como nas compotas).
Notas: usei uma mistura de açúcar moreno e açúcar branco para que o chutney não ficasse demasiado escuro. As quantidades das especiarias devem ser respeitadas pois, como são muito fortes, não se pode abusar para não se perder o sabor da maçã.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!





quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Salada de folhas verdes, dióspiros e camarão


Uma das frutas da época: dióspiros! São tão bons e nutritivos. E tão docinhos... Há que aproveitar porque só se encontram mesmo nesta altura do ano. Podem comer-se à colher, em salada de frutas, em doces e... porque não num prato salgado? Fiz uma salada com eles, com os de roer, que ficou uma maravilha! A conjugação do doce e do salgado, bem como as diferentes texturas e cores desta salada fizeram um excelente resultado final. Tão simples e tão bom :)

Ingredientes por pessoa:
1 dióspiro de roer
120 gr de camarão 
50 gr de queijo de cabra
Folhas várias (agrião, rúcula, alface) na quantidade que quiser
1 colher de chá de sementes de sésamo
Vinagre balsâmico e sumo de limão qb

Preparação:
Coza o camarão em água e sal por 2 minutos e arrefeça-o de seguida. Descasque os camarões e reserve. No prato onde vai servir disponha as folhas a gosto. Descasque o dióspiro e corte-o em fatias do formato de meias luas. De seguida coloque a fruta por cima das folhas. Junte os camarões descascados e sem as cabeças e o queijo esfarelado. Tempere a gosto. Eu temperei com umas gotas de limão e vinagre bâlsamico reduzido. Para o meu gosto este já é o tempero suficiente para a salada, até porque o queijo é salgado e não vejo necessidade de juntar mais sal. Mas, se achar necessário, tempere com sal e azeite ou outro molho vinagrete a gosto. Termine polvilhando toda a salada com as sementes de sésamo.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!






segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Lombinho de porco com castanhas, especiarias e vinho Madeira


Dia de São Martinho é dia de comer castanhas. Por mim a ti as comia todos os dias, pelo menos todos os dias do outono e do inverno... Gosto tanto de castanhas e batata doce, que estou sempre a ter novas ideias para as aplicar nas minhas paparocas. O ano passado fiz um bolo de castanha, que até foi o bolo de aniversário do meu pai :) Este ano o bolo do pai foi de café e amêndoas e as castanhas saltaram para este prato salgado. Espero que gostem!

Ingredientes para 4 pesso
as:

2 lombinhos de porco
600 gr de castanhas congeladas
2 cebolas
2 folhas de louro
3 dentes de alho
3 cravinhos, uma pitada de noz moscada moída, uma colher de chá de grãos de pimenta variados e um pau de canela
Sal qb
0,5 dl de azeite
1 copo de vinho Madeira
Arroz branco e grelos salteados para acompanhar

Preparação:
Corte os lombinhos de porco em medalhões (fatias) com 1 a 2 cm de espessura. Tempere com os alhos esmagados, o louro, um fio de azeite, todas as especiarias e metade do vinho Madeira. Tape a carne com película aderente e deixe marinar uma hora.
Quando chegar o momento de cozinhar deite o restante azeite num tacho com a cebola picada. Deixe refogar ligeiramente. Junte a carne com todos os temperos e deixe-a alourar em lume alto. Tempere de sal. Quando vir que os lombinhos começam a tomar cor, junte o restante vinho Madeira e deixe estufar em lume médio até a carne estar cozinhada e o molho ter reduzido para metade. Se vir que está a ficar seco, junte um pouco de água, mais um pouco de vinho e retifique de sal. Nos últimos 5 minutos de cozedura junte as castanhas previamente fritas ou assadas (fritei na Actifry). As castanhas devem ser adicionadas apenas no fim para não se desfazerem.
Sirva com arroz branco e grelos cozidos e salteados em azeite e alho.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Mil folhas light de frutos vermelhos


Se vos disser que esta sobremesa é light, provavelmente têm dificuldade em acreditar. Mas é verdade! Leve, fresca, deliciosa, sem gordura e com pouco açúcar. Por isso, entreguem-se à tentação de experimentar e comam à vontade. Vai fazer bem à alma sem fazer mal à linha ;)

Ingredientes para 4 pessoas:
300 gr de morangos
150 gr de mirtilos (podem usar outros frutos vermelhos, como amoras ou groselhas)
2 folhas de massa philo
1 pacote de natas de soja especiais para bater (a marca Alpro tem)
70 gr de açúcar
3 colheres de sopa de água
Açúcar em pó para polvilhar

Preparação:
Para o coulis: Lave todos os morangos. Corte metade da quantidade em pedaços pequenos e leve ao lume com 50 gr de açúcar e a água. Deixe estufar os morangos até fazer uma espécie de coulis. Quando estiver numa consistência menos espessa que a da compota, está pronto. Mas pode deixar a seu gosto, mais ou menos apurado, mais ou menos espesso, conforme a sua preferência. Depois de pronto, triturei ligeiramente o doce com a varinha mágica para obter a consistência que se vê na foto. Mas pode deixar os pedaços de fruta inteiros se preferir. Depois de arrefecido e com a ajuda de um pincel de silicone, barrei os pratos de servir com um pouco deste coulis.
Para as placas de massa: retire a massa philo do frigorífico, abra as folhas em cima da bancada e corte placas circulares com um cortador redondo. Se não tiver o cortador, corte com uma faca em quadrados todos do mesmo tamanho. Leve estas placas de masssa ao forno a 180ºC só até alourarem. Muita atenção porque a massa philo é muito sensível. Este processo não deve demorar mais do que 5 minutos, mas convém espreitar com atenção e retirar assim que as placas estejam alouradas.
Para o recheio: Bata as natas de soja com o restante açúcar. Fatie os restantes morangos muito finamente.
Para montar a sobremesa, vá dispondo circulos de massa philo, colheradas de nata e frutos vermelhos. Termine com nata e alguns frutos e polvilhe com açúcar em pó.  

Deixo-vos alguma informação sobre os mirtilos, um fruto com propriedades fantásticas e que já se produz em Portugal:  http://www.feiradomirtilo.pt/mirtilo-na-saude

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!




quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Frango assado no forno com alecrim


Frango assado com batatas fritas: não devem existir muitas refeições mais simples. E não me refiro ao frango da churrasqueira, mas sim a um belo franguinho assado no forno de casa. Para fazer este prato temperei o frango (e aqui está o segredo delicioso da receita), que depois foi posto no forno sem dar trabalho quase nenhum. Invista 5 minutos a preparar o tempero e é quanto baste para obter um prato simples e maravilhoso.

Ingredientes:
1 frango inteiro
1 limão inteiro
Uma colher de sobremesa de alecrim
Sal qb
Azeite e vinho branco qb (cerca de 0,5 dl de cada)
1 colher de chá de colorau (pimentão doce)
3 dentes de alho

Preparação:
A preparação deste prato consiste quase só no tempero. Fiz uma pasta com os alhos esmagados e muito picados, o alecrim, sal grosso, colorau e metade do azeite. Misturei e esmaguei tudo no almofariz e barrei o frango com a mistura. O limão foi introduzido no interior do frango e este foi colocado num tabuleiro de forno apenas com um pouco de azeite e vinho branco no fundo. Deixei assar até a carne estar cozinhada (cerca de 50 minutos). Virei a meio para o frango ficar tostado de ambos os lados. Servi com batata frita e salada.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Lombos de pescada enrolados em bacon com molho de mostarda


Esta é daquelas receitas tão simples e rápidas que até o seu filho, jovem adolescente, pode fazer ;)
E acredito que também vai gostar de comer!

Ingredientes:
Lombos de pescada congelados (2 a 3 por pessoa)
2 fatias muito finas de bacon por cada lombo de pescada
Batata nova cozida com pele para acompanhar
1 cebola
Azeite qb
Sal qb
1 pacote de natas de soja
Mostarda de Dijon qb
 
Preparação:
Tempere os lombos de pescada com muito pouco sal porque o bacon é salgado. Enrole cada lombinho em duas fatias de bcon cortadas muito finamente. Coloque num tabuleiro e leve ao forno a 200ºC por 20 minutos. Coza as batatinhas novas com casca em água e sal.
 
Para o molho de mostarda: refogue a cebola picadinha numa colher de sopa de azeite. Refresque com um pouco de vinho branco. Depois acrescente a mostarda a gosto e natas de soja conforme a quantidade de molho que pretende fazer. Eu adicionei mostarda de Dijon cremosa e também um pouco da outra que tem as sementes de mostarda inteiras. Tempere de sal. Deixe apurar até a cebola ficar macia e o molho espesso.
No fim junte as batatas já cozidas a este molho e sirva com os lombinhos de pescada assados no forno. Este prato acompanha bem com uma salada de agrião.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


domingo, 2 de novembro de 2014

Empada de frango, cogumelos e cenouras


Esta minha empada de frango, cogumelos e cenouras é mesmo uma comida outonal, a chamada "comida de conforto". É realmente reconfortante, além de prática de fazer. Fica suculenta e nutritiva.
Podem fazer várias empadas pequenas ou uma grande como eu fiz. Se usarem uma placa de massa redonda de tamanho regular, devem usar uma forma pequena (a minha tem 17 cm de diâmetro), neste caso vão conseguir uma empada mais alta, mas menos larga. Se usarem uma tarteira ou forma de tamanho mais regular (25 a 30 cm), terão que utilizar duas placas de massa, uma para colocar por baixo e outra por cima, para cobrir a empada.

Ingredientes para 4 pessoas:
1 placa de massa quebrada de compra (ou duas se usarem uma forma mais larga)
3 peitos de frango
3 cenouras
1 cebola
150 gr de cogumelos brancos
1 dente de alho
1 colher de chá de mistura de ervas finas
0,5 dl de azeite
Sal e noz moscada qb

Preparação:
Estufe o frango, colocando o azeite num tacho e uma cama de cebola em meias luas finas. Por cima coloque o frango, as cenouras em fatias e os cogumelos em quartos. Tempere com sal e as ervas aromáticas. Deixe estufar com o tacho tapado, em lume médio/alto, até o frango estar quase cozinhado. Nos últimos minutos destape o tacho para o estufado secar um pouco enquanto acaba de cozinhar. Quando estiver pronto deixe arrefecer, desfie o frango, junte-o à cenoura, aos cogumelos e ao molho. Misture tudo com um garfo e, com a ajuda deste, esmage ligeiramente as cenoras. Neste momento rale uma pitada de noz moscada para dentro do preparado e misture tudo bastante bem. Retifique de sal.
Coloque a placa de massa na forma. Não retire o papel de cozedura que vem com a massa. Depois de ter a forma forrada com a massa, coloque a mistura de frango  lá dentroe ajeite os rebordos da massa para cima do recheio, para a zona do meio, deixando um orifício no meio para permitir que o ar saía.  
Coza 30 minutos no forno a 200ºC