quinta-feira, 3 de abril de 2014

Panna cotta baunilhada com doce de abóbora e amêndoa


A panna cotta é outra daquelas invenções maravilhosas dos italianos. Maravilhosa porque é uma sobremesa boa, simples e muito rápida de fazer. Quem é que se lembrava de misturar apenas leite, natas e açúcar, sem ovos, sem mais nada, e fazer uma sobremesa tão boa? Só mesmo os italianos...
Considero a gastronomia portuguesa a melhor do mundo, mas confesso-me muito, muito fã da comida italiana, por isso não podia deixar de fazer panna cotta. Além de que o meu marido adora e diz que feita por mim é melhor do que nos restaurante. Ele é um querido!
A receita que apresento é a minha versão no sentido em que ajustei as proporções à minha maneira. De todas as receitas que tenho visto, considero que têm quase sempre açúcar a mais. Esta fica muito boa, doce, mas sem ser enjoativa. Não se esqueçam que este pequeno pudim é sempre acompanhado de um molho, creme ou doce, pelo que não é necessário ser demasiado doce por si só.

Ingredientes (rende 7 a 10 pudins conforme o tamanho das forminhas)
400 ml de nata (já fiz com metade de nata de soja e resultou)
250 ml de leite
70 gr de açúcar
1 vagem de baunilha
5 folhas de gelatina incolor 

Preparação

Demolhe as folhas de gelatina numa parte do leite (cerca de 50 ml). Coloque o leite à temperatura ambiente num prato de sopa ou numa tigela e adicione as folhas de gelatina que ficam a hidratar e amolecer enquanto fazemos o preparado ao lume.
Num tacho misture o restante leite com a nata e o açúcar. Junte o interior da vagem de baunilha (as sementes). Misture tudo e leve ao lume até ferver. Assim que ferver, desligue o lume e junte a este preparado as folhas de gelatina amolecidas e o leite onde estas repousaram. Vá mexendo bem para que a gelatina derreta totalmente.
Unte pequenas formas com óleo vegetal (também pode usar margarina em spray, é muito prático, vende-se em lojas de cake design, não é barato mas rende muito). Verta o preparado para as formas e leve ao frigorífico até solidificar e refrescar (4 horas no mínimo). Use formas de queques ou de pudins individuais.
Quando desenformar, faça-o com cuidado, colando o prato à forma para não escorregar. Se tiver dificuldade, aqueça ligeiramente as formas com um pouco de água quente ou um pano embebido em água quente. Disponha os pudins panna cotta em pratos individuais e sirva com doce de abóbora e amêndoas torradas laminadas. Normalmente a panna cotta é servida com molho de chocolate ou de frutos vermelhos, mas eu experimentei esta combinação e ficou ótimo e diferente. Se gostar, para terminar o empratamento, polvilhe com uma pequena pitada de canela, só mesmo um "cheirinho" para aromatizar, pois a canela fica bem com o doce de abóbora.

Espero que gostem da ideia :) Bom apetite!

Um comentário: