domingo, 27 de abril de 2014

Bolo de claras com laranja e a história das freiras...



Na nossa gastronomia temos tantas receitas de doces deliciosos onde só usamos as gemas dos ovos, que se impõem imaginação para usar as claras que sobram. Esta história das claras é curiosa e muito antiga... Há cerca de cinco séculos, pela altura dos Descobrimentos, chegava a Portugal muito açúcar do Brasil. Por outro lado, havia por cá muitas galinhas que punham imensos ovos. As freiras, nos conventos, faziam criação das ditas galinhas e usavam as claras dos ovos como goma para os seus hábitos. Ora, está bom de ver... sobravam as gemas. O que fazer, então, com tantas gemas e tanto açúcar? As freiras deram largas à imaginação e foi assim que começou a deliciosa tradição da doçaria conventual portuguesa. Como as freiras que existem já não precisam de usar as claras como goma para os hábitos, agora há que inventar o que fazer com as claras ;)

Bolo de claras com aroma de laranja

Ingredientes:
8 claras
200 gr de açúcar
75 gr de margarina
150 ml de leite
Raspa de duas laranjas
300 gr de farinha para bolos já com fermento
Rodelas de laranja e fios de ovos + creme de pasteleiro (opcional)

Preparação:
Bater as claras em castelo bem firme. Juntar os ingredientes secos (farinha e açúcar) e ir deitando a margarina derretida (costumo usar da líquida - Becel para cozinhar). Mexer bem. Ir deitando também o leite devagar de forma a que fique tudo bem ligado. Juntar a raspa da laranja e mexer de novo, batendo bem a massa. Vagarosamente vá juntando as claras de forma a envolver bem. Deite o preparado numa forma untada com margarina e polvilhada com farinha e leve a cozer em forno a 180º até espetar um palito e este sair seco. A massa coze rapidamente porque é muito leve, mas devemos verificar com o palito se está cozida. Não devemos retirar logo o bolo do forno para que não baixe, deixe arrefecer um pouco no forno.
Como este bolo foi servido numa festa de aniversário, quis dar-lhe um toque especial. Depois de desenformado e totalmente arrefecido, cortei o bolo ao meio e recheei-o com creme de pasteleiro. Por cima decorei com rodelas de laranja e fios de ovos para ficar mais enriquecido.

Espero que gostem :) Bom apetite! 


sábado, 26 de abril de 2014

Tostas de atum com tomates secos


Uma entrada simples, saborosa e saudável é o que vos proponho hoje. Costumo ter sempre latas de atum em casa e faço as mais variadas receitas com esta conserva, desde simples saladas a pratos de massa, passando por entradas. O atum de conserva é sempre bom para ser transformado em paté. O segredo é deixá-lo cremoso e bem temperado. Esta sugestão é leve e fresca, o abacate substitui a maionese ou natas, fica muito bom!

Ingredientes:
2 latas de atum
1 abacate maduro
Sal e pimenta qb
Sumo de meia lima
Tomate seco qb
Folhas de manjericão ou de coentros
Pão tostado

Preparação:
Toste fatias de pão tipo alentejano no forno. Numa picadora triture o conteúdo das duas latas de atum. Junte a polpa do abacate bem maduro, desfeita com um garfo, para que envolva bem com o atum. Triture e misture tudo. Tempere com sal, pimenta e sumo de meia lima. Misture bem, coloque este paté por cima das fatias de pão tostado e guarneça com pedaços de tomate vermelho seco e folhas de manjericão (neste dia, como não tinha, juntei coentros, também fica bom).

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



quarta-feira, 23 de abril de 2014

Carne estufada rodeada de amigos... os legumes, cenoura e tudo o mais que quiserem


Não vou definir quantidades certas para esta receita, pois é muito simples e o toque especial está mais no que se faz com o molho do que noutra coisa. Trata-se de um lombo de porco estufado no tacho com muita cenoura. Tanta, tanta que o molho mais ficou a parecer um puré de cenoura ;) Mas eu deixei ficar assim, é bom para os gulosos que dizem que não gostam muito de legumes, mas os comem com prazer se eles estiverem mais "disfarçados"...

Num tacho, coloque um generoso fio de azeite e cebolas cortadas em meias luas. Por cima da cama de cebola, disponha o lombo temperado com sal, pimenta, colorau, alhos esmagados (dou golpes na carne e coloco-os lá dentro) e folhas de louro. Junte uma cebolinha inteira com 3 cravinhos espetados. Junte bastantes cenouras em fatias grossas. Regue com vinho branco e deixe estufar até a carne estar cozinhada.
Vá verificando que o molho não seca e vá virando o lombo várias vezes durante a cozedura. Se necessário acrescente um pouco mais de vinho ou água quente. Quando a carne estiver cozinhada, retire e fatie. Reserve algumas cenouras inteiras para acompanhar, retire o louro e os cravinhos e triture o resto do molho com a varinha mágica. Junte uma pitada de noz moscada ralada na altura e leve de novo ao lume por um minuto só para tomar o sabor da noz moscada. Vai obter um molho grosso e suculento.

Esta dica da noz moscada foi-me dada por uma amiga, pois era a forma como a mãe fazia a carne estufada, tão do seu agrado. A minha carne não tem pretensões de ficar como a da mãe da Ana, mas foi bom registar a dica, pois ela sabe que eu gosto de colecionar sabores diferentes e as conversas de fim de noite no verão vão muitas vezes parar a um destes temas: ou comidas ou bebidas ;)
Por isso, Ana, fico a aguardar mais dicas saborosas nas conversas das próximas férias!

Voltando à carne, sirva-a em fatias com o molho quente, as cenouras e mais legumes. Eu optei por brócolos cozidos e batatas fritas porque havia alguém muito guloso a pedir muito as batatinhas.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


terça-feira, 22 de abril de 2014

Rolinhos de pescada com alho francês


Fiz este prato com filetes de pescada. Tinha os filetes já arranjados, mas não me apetecia fritá-los, então pensei numa forma simples de os confecionar com o que tinha no frigorífico. Espero que gostem!

Ingredientes para 2 pessoas
 
Meio quilo de filetes de pescada
Folhas inteiras de alho francês (uma folha por filete)
3 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de vinho branco
Flor de sal, oregãos, pimenta qb
Batatas e courgette para acompanhar

Preparação

Comece por descascar as batatas e cortá-las em quadrados de tamanho médio. Tempere com flor de sal e oregãos. Regue com um fino fio de azeite. Disponha num tabuleiro de forno e leve a assar a 240º.
Prepare os filetes. Tempere-os com flor de sal, oregãos e pimenta moída. Retire as folhas de fora do alho francês (as maiores) e dê uma "entaladela" em água a ferver com sal só para amolecerem ligeiramente. Enrole cada filete numa folha de alho francês, sendo que o filete ficará todo "escondido" lá dentro.
Entretanto, quando as batatas estiveram no forno há cerca de 15 minutos, junte as courgettes temperadas com sal e azeite e cortadas em grossas fatias. Continue a assar tudo. Passados mais dez minutos junte os rolinhos de peixe. Eu também juntei o restante alho francês (as partes de dentro).
Regue tudo com um pouco mais de azeite e com o vinho branco e deixe assar na mesma temperatura durante 15 a 20 minutos. Mais do que isto não convém, pois o peixe vai ficar seco. Como são filetes vão cozinhar muito depressa. Quando vir que as folhas de alho francês começam a ficar lourinhas, desligue o forno. 

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!




 

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Salada de Primavera com vinagrete de morango


 
 
Uma saladinha crua para "desintoxicar" dos doces da Páscoa. Que tal? ;)

Faça a base da salada com alface verde frisada e alface roxa. Junte couve roxa cortada em juliana. Tempere com sal fino.
Junte rabanetes cortados em fatias e ainda lascas de um queijo à escolha. Esta salada fica bem com queijo fresco, mas eu optei por um queijo de sabor mais intenso, um queijo holandês de leite de vaca e cabra com ervas.
Por fim, guarneci tudo com vinagrete de morangos e moí um pouco de pimenta por cima de tudo.
 
Vinagrete para uma salada: 3 a 4 morangos, conforme o seu tamanho, uma colher de chá de azeite, uma colher de chá de vinagre balsâmico. Coloque tudo no copo triturador e triture com a varinha mágica.


Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

sábado, 19 de abril de 2014

Farófias


Em fim de semana de Páscoa, nada melhor que um doce das nuvens... farófias! É dos doces mais delicados, leves e, ao mesmo tempo, deliciosos que podemos ter nas nossas mesas festivas.
Tenham tempo para as fazer, com carinho e dedicação.
E tenham um Páscoa Feliz :)

Ingredientes
8 ovos
320 gr de açúcar
2 colheres de sopa rasas de Maizena
1,5 l de leite meio gordo
2 cascas de limão (só a parte amarela)
Canela qb para polvilhar

Preparação
Separe as claras das gemas e bata as claras em castelo. Estando firmes, junte 90 gr de açúcar. Continue a bater até ficarem espessas e secas.
À parte ferva o leite com as cascas de limão e o restante açúcar. Estando a ferver, reduza o lume para que fique numa fervura suave e comece a introduzir colheradas grandes de claras. Deixe-as cozer rapidamente, virando para que cozam uniformemente (não mais do que 2 a 3 minutos e para cada farófia). Retire-as do leite com uma espumadeira e deixe num passador para escorrerem o excesso do leite. Depois de as cozer todas e deixar a escorrer, coloque-as numa travessa ou taça grande.
Deixe arrefecer totalmente o leite do cozer as farófias e coe para que fique sem nata ou outros resíduos. Acrescente a maizena diluída num bocadinho de leite frio. Acrescente as gemas ligeiramente batidas com um garfo. Misture com o leite, mexa bem. Leve a lume brando, mexendo sempre para engrossar até obter uma espécie de molho inglês. O molho deve ficar liso, fluído e brilhante, nunca aumente o lume, pois este tipo de molho não reage bem a altas temperaturas. Tem que ser feito com calma para engrossar sem ganhar grumos.
Deixe o molho arrefecer e cubra as farófias com ele. Polvilhe com a canela. Enfeitei com algumas amêndoas por estarmos em época pascal, mas podem decorar com um raminho de hortelã fresca ou uns frutos vermelhos. Ou então deixem simplesmente cair a canela em pó por cima das farófias e do molho... Tão booooom!!!

Bom apetite e Boa Páscoa!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Bola de Carnes



Hoje é Sexta Feira Santa, dia de não comer carne e de jejuar, conforme a tradição religiosa judaico-cristã. Cumpra-se ou não a tradição, o certo é que podemos começar a preparar algumas iguarias para degustarmos em família no fim de semana de Páscoa.
A bola de carnes, também chamada de folar salgado em algumas zonas do país, é uma especialidade típica das mesas pascais. Deixo-vos esta receita que vi na Dica do LIDL e que é fácil de fazer e resultou muito bem. Fiz uma bola grande para a família e uma redonda mais pequena para oferecer a uns amigos.

Desejo a todos uma doce e santa Páscoa :)
 
Ingredientes

700 gr de farinha sem fermento (usei tipo 55) + 100 gr
20 gr de fermento de padeiro seco
1,5 dl de água morna
1,5 dl de azeite de boa qualidade
5 ovos + 1 ovo batido para pincelar
1 pitada de sal
Dois peitos e meio de frango ou meio frango
1 chouriço de carne
200 gr de bacon fatiado
200 gr de presunto fatiado

Preparação 

Dissolva o fermento em 1,5 dl de água morna. Acrescente o sal à água para que se dissolva também. Deite os 700 gr de farinha em cima da bancada, reservando 100 gr. Faça um buraco no meio e vá juntando os ovos inteiros, o azeite e a água com o fermento dissolvido. Este fermento de padeiro seco é fácil de encontrar nos supermercados. Usei da marca Fernipan, diz "levedura de padeiro em pó". Mas já tenho usado de outras marcas e resulta sempre bem, é um fermento em pó acinzentado que fica em pasta quando desfeito em água.
Misture tudo e trabalhe a massa com as mãos. Vá acrescentando os restantes 100 gr de farinha até absorver toda a humidade dos ingredientes húmidos. Quando a massa estiver a despegar da bancada, faça uma bola e deixe repousar dentro de uma tigela, tapando a bola de massa com um pano. Deixe levedar até duplicar de tamanho. Posso garantir que passados 60 minutos era mesmo o dobro do tamanho, o fermento resultou na perfeição.
Enquanto a massa cresce, estufe o frango a seu gosto (também pode utilizar restos de carnes desfiadas, por exemplo de cozido à portuguesa). Eu estufei o frango com cebola, alho francês e courgette (depois aproveitei o caldo e os legumes para fazer uma sopa que ficou deliciosa).
Depois de estufado, desfie o frango. Retire a pele ao chouriço e corte-o em rodelas não muito grossas. Unte com azeite ou margarina um tabuleiro retangular grande. Polvilhe com farinha. Pegue na massa e divida-a em 3 porções. Enfarinhe a bancada e estenda o primeiro pedaço de massa com o rolo. Disponha a placa de massa no tabuleiro e coloque metade das carnes por cima. Depois estique o segundo pedaço de massa e coloque por cima das carnes. Volte a fazer nova camada com as restantes carnes e termine cobrindo as carnes com a terceira placa de massa, também esticada com o rolo da mesma forma que as anteriores.
Pincele a bola com ovo batido e leve o tabuleiro ao forno a 180º para cozer durante 40 a 45 minutos. Deixe arrefecer ligeiramente e desenforme a bola.

Bom apetite! Boa Páscoa!






quarta-feira, 16 de abril de 2014

Pastéis de bacalhau deliciosos e fofos


Já cá não está quem fazia os melhores pastéis de bacalhau. Não pretendo fazer igual, até porque a receita escrita se perdeu... ou nunca existiu, estava "de cabeça". Pretendo fazer uns bons pastéis, com uma receita minha, suculentos e fofinhos, pois era assim que os "originais" ficavam. E talvez consiga de alguma forma prestar homenagem a uma pessoa boa que desapareceu cedo demais... Também tenho por objetivo brindar o palato da minha cara metade com uma memória de carinho e coisas boas, comidas domingueiras, caseiras, feitas com amor.

Receita para cerca de 2 dúzias de pastéis

Ingredientes:
500 gr de bacalhau (pesei depois de cozido e depois de retiradas todas as espinhas e peles, corresponde a 3 postas de bacalhau)
750 gr de batata para cozer (pesei depois de cozida, mas basta dar o desconto das cascas que se retiram)
1 cebola grande
1 dente de alho
2 colheres de sopa de azeite
15 gr de salsa fresca picada
3 ovos 
1 pitada de pimenta preta moída (meia colher de café)
Óleo para fritar

Preparação:
Num tacho com água, coza o bacalhau com as batatas e um dente de alho esmagado. Depois de tudo bem cozido, retire todas as peles e espinhas ao bacalhau e desfie-o. Coloque as batatas num pano da loiça e junte-lhes o bacalhau, esmague tudo dentro do pano. Este processo pode ser feito passando as batatas pelo pass-vite, mas eu costumo fazer com o pano e resulta bem, fica com a consistência perfeita. As batatas devem estar bem cozidas e quentes, para que se desfaçam. Amassando tudo dentro do pano vamos conseguir misturar muito bem as batatas e o bacalhau, formando uma pasta homogénea.
No tacho onde cozeu o bacalhau e as batatas deite o azeite e a cebola picada muito finamente. Deixe refogar ligeiramente de forma a que a cebola amoleça um pouco. Faça isto em lume médio e por poucos minutos para a cebola nunca queimar e ficar apenas ligeiramente amolecida. Quando atingir esse ponto, desligue o lume e deite no tacho a mistura de bacalhau e batata. Misture bem com uma colher de pau. Junte um raminho de salsa (15 gr - só folhas) picada muito finamente. Junte 3 gemas de ovos e uma pitada de pimenta preta moída. Volte a misturar muito bem e verifique se precisa de adicionar sal. Em princípio não porque o bacalhau é salgado, mas se for necessário, retifique.
Por fim, bata as 3 claras de ovo em castelo e junte à massa, envolvendo bem. Com 2 colheres de sopa molde os pastéis e frite-os em óleo quente.
Se pretender guardar, coloque-os bastante direitos, num tabuleiro por exemplo, e congele. Assim que estiverem congelados, pode retirar do tabuleiro e colocá-los em saquinhos de congelação bem fechados para não formarem gelo em volta.

Bom apetite!!





sexta-feira, 11 de abril de 2014

Bolo de mel e nozes


Doces sugestões já a pensar na Páscoa... porque estas festividades nos levam até à cozinha e nos fazem querer passa um tempo bom e demorado à mesa...

Esta sobremesa está referenciada como "pudim" no livro de onde a retirei. Eu considero que lhe podemos chamar "pudim bolo". A consistência é densa e húmida ao mesmo tempo. Depois de cozida, a massa fica densa, mas bastante melada, muito suculenta. É daqueles bolos que dá vontade de comer sem parar e é muito fácil de fazer, pois é batido à mão e  não leva muita quantidade de ingredientes. Resta dizer que é um bolo pequeno, ideal para a mesa de Páscoa, onde queremos variedade de sobremesas. Eu fiz numa forma de 18 cm de diâmetro, tal como a receita recomendava.

Ingredientes
6 colheres de sopa de mel
125 gr de margarina amolecida (usei Becel líquida para cozinhar)
125 gr de açúcar
75 gr de farinha com fermento
1 colher de chá de fermento 
75 gr de miolo de noz moída + 10 metades de nozes
2 ovos
4 a 6 fisális para guarnecer

Preparação
A receita dizia para colocar as metades de nozes no fundo da forma... eu coloquei, mas elas não se aguentaram lá, misturaram-se com a massa, perdendo a função decorativa. Mas ficou ótimo porque permitiu encontrar pedaços grandes de noz de vez em quando em cada fatia de bolo.
De qualquer forma, comece por untar ama forma redonda pequena com margarina e polvilhar de farinha e disponha as nozes no fundo. Numa taça misture a margarina com o mel, adicione o açúcar, a farinha, o fermento, a noz moída e os ovos inteiros. Misture tudo bem e bata levemente com uma colher de pau. Deite o preparado na forma e leve ao forno a 180º durante 30 minutos.
Desenforme e sirva polvilhado com açúcar em pó e decorado com fisális (physalis). Estes frutos tropicais têm alguma acidez, que combina muito bem com este bolo doce e melado.

Espero que gostem! Bom apetite!



segunda-feira, 7 de abril de 2014

Iscas gulosas!!

Um prato de iscas é um daqueles petiscos que tem tanto de simples, como de delicioso e muito, muito português. Para quem gosta, claro! Quando se trata de certos tipos de carne, como as iscas, acho que é uma comida que se ama ou se detesta... Nós cá em casa adoramos! Faço sempre as iscas de fígado de porco. Peço no talho que cortem a carne em fatias finas e direitinhas. Faço sempre as iscas fritas, acompanhadas de batata frita e ovo estrelado, mesmo "à gulosa" :)
O meu marido também gosta assim, não dispensa a batata frita (na Actifry, quase sem gordura) e o ovo estrelado, como se fosse um bitoque, mas de iscas. É muiiiito boooom! Para "desenjoar" e acompanhar o prato de alguma verdura, junto sempre feijão verde cozido, espinafres salteados, esparregado ou espargos. São as verduras que eu acho que conjugam bem com as iscas.
Desta vez, estas ficaram especialmente saborosas, dei um toque diferente do habitual ao molho e ficou aprovadíssimo.

Iscas gulosas para duas pessoas

Ingredientes:
500 gr de fígado de porco cortado em iscas finas
3 colheres de sopa de azeite
4 dentes de alho
4 folhas de louro
Sal e pimenta qb
1 dl de vinho branco
2 colheres de sopa de molho inglês
1 dl de nata de soja
2 colheres de sopa de salsa fresca picada
Batata frita em palitos, ovo estrelado e verdura para acompanhar

Preparação:
Tempere as iscas com sal, pimenta preta moída, alhos laminados e louro. Deixe tomar sabor por meia hora. Numa frigideira anti aderente aqueça o azeite. Quando estiver quente, disponha as iscas. O azeite deve estar bem quente para as iscas ficarem louras e tostarem em contacto com a frigideira. Deixe fritar em lume forte durante 1 a 2 minutos e vire as iscas. Deixe alourar do outro lado, depois junte o vinho branco e o molho inglês e reduza o lume para uma temperatura média. Deixe cozinhar poucos minutos (2 a 4, conforme grossura das iscas) porque as iscas muito finas cozinham rapidamente. Se ficarem tempo demais ao lume ficam passadas demais e tornam-se secas.
Retire as iscas e reserve. Junte as natas ao molho e deixe engrossar. Retifique de sal. No fim sirva as iscas com o molho e deite salsa fresca picada finamente por cima de tudo. Na minha opinião a salsa dá uma frescura espetacular a este prato e a mistura dos sabores fica uma maravilha.
Resta servir com as batatas fritas, a verdura (neste caso era feijão verde cozido) e os ovos estrelados.

Bom apetite, deliciem-se!!



sábado, 5 de abril de 2014

Bacalhau cremoso com espargos em massa folhada



Este bacalhau foi servido num jantar para os nossos primos e afilhada. Eu tinha o bacalhau e a massa folhada, mas ainda não tinha decidido como o fazer. A receita foi de inspiração no momento. Ficou muito bom, cremoso e saudável, pois tem imensos legumes e vegetais a acompanhar o bacalhau. Os primos gostaram muito :)

Ingredientes para 6 pessoas
5 postas de bacalhau
1 embalagem de 400 gr de miolo de camarão congelado (do grande)
1 a 2 molhos de espargos (uma quantidade que totalize 500 a 600 gr em cru)
1 embalagem de massa folhada retangular (1 placa de massa grande)
2 cebolas
Meio alho francês (a parte branca)
0,5 dl de azeite
Cerca de 0,5 l de molho bechamel (margarina, farinha, água de cozer o bacalhau, leite, sal, noz moscada)
Sal e pimenta qb

Preparação
Coza os espargos por 5 minutos em água e sal. Não os deixe demasiado cozidos para não se desfazerem. Antes de os cozer arranjei-os, retirando a pele dos caules, depois cortei-os ao meio. As partes dos caules (mais rijas) entraram na água quando esta ferveu e as cabeças dos espargos (mais tenras) entraram 2 minutos depois. Deixe cozer e reserve já fora da água.
Coza o bacalhau em pouca água e depois lasque-o e retire todas as peles e espinhas. Reserve a água de cozer o bacalhau. Numa frigideira grande coloque o azeite, as cebolas em rodelas bem finas e o alho francês cortado finamente. Deixe refogar um pouco e junte o miolo de camarão. Tempere com sal e pimenta qb. Deixe cozinhar até a cebola e o alho francês estarem macios e transparentes. No fim junte o bacalhau lascado, envolva tudo e deixe cozinhar mais 2 minutos. No total este procedimento deve demorar cerca de 15 minutos.
Entretanto tenha o bechamel pronto. Coloque 2 colheres de sopa de margarina num tacho e deixe ferver, nesse momento adicione 3 colheres de sopa de farinha e mexa bem. Vá acrescentando, aos poucos, água de cozer o bacalhau e vá mexendo sempre para o preparado de farinha e margarina ir deslaçando e formando um molho cremoso. Vá acrescentando a água sempre em pequenas quantidades e termine com um pouco de leite. Tempere com noz moscada moída na alture. Retifique de sal. Envolva quase todo o molho bechamel no preparado do bacalhau com camarão e misture bem.
Num tabuleiro retangular disponha a placa de massa folhada. Por cima vá colocando colheradas de bacalhau e os espargos, espalhando bem para haver espargos em toda a superfície do folhado. Por fim termine com mais um pouco de molho bechamel. Leve ao forno a 190º até estar gratinado e a massa folhada estar cozinhada.
Sirva com salada. Eu optei por uma salada de alface e rabanetes, pois eu e a minha prima Margarida adoramos rabanetes!!
Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!







quinta-feira, 3 de abril de 2014

Panna cotta baunilhada com doce de abóbora e amêndoa


A panna cotta é outra daquelas invenções maravilhosas dos italianos. Maravilhosa porque é uma sobremesa boa, simples e muito rápida de fazer. Quem é que se lembrava de misturar apenas leite, natas e açúcar, sem ovos, sem mais nada, e fazer uma sobremesa tão boa? Só mesmo os italianos...
Considero a gastronomia portuguesa a melhor do mundo, mas confesso-me muito, muito fã da comida italiana, por isso não podia deixar de fazer panna cotta. Além de que o meu marido adora e diz que feita por mim é melhor do que nos restaurante. Ele é um querido!
A receita que apresento é a minha versão no sentido em que ajustei as proporções à minha maneira. De todas as receitas que tenho visto, considero que têm quase sempre açúcar a mais. Esta fica muito boa, doce, mas sem ser enjoativa. Não se esqueçam que este pequeno pudim é sempre acompanhado de um molho, creme ou doce, pelo que não é necessário ser demasiado doce por si só.

Ingredientes (rende 7 a 10 pudins conforme o tamanho das forminhas)
400 ml de nata (já fiz com metade de nata de soja e resultou)
250 ml de leite
70 gr de açúcar
1 vagem de baunilha
5 folhas de gelatina incolor 

Preparação

Demolhe as folhas de gelatina numa parte do leite (cerca de 50 ml). Coloque o leite à temperatura ambiente num prato de sopa ou numa tigela e adicione as folhas de gelatina que ficam a hidratar e amolecer enquanto fazemos o preparado ao lume.
Num tacho misture o restante leite com a nata e o açúcar. Junte o interior da vagem de baunilha (as sementes). Misture tudo e leve ao lume até ferver. Assim que ferver, desligue o lume e junte a este preparado as folhas de gelatina amolecidas e o leite onde estas repousaram. Vá mexendo bem para que a gelatina derreta totalmente.
Unte pequenas formas com óleo vegetal (também pode usar margarina em spray, é muito prático, vende-se em lojas de cake design, não é barato mas rende muito). Verta o preparado para as formas e leve ao frigorífico até solidificar e refrescar (4 horas no mínimo). Use formas de queques ou de pudins individuais.
Quando desenformar, faça-o com cuidado, colando o prato à forma para não escorregar. Se tiver dificuldade, aqueça ligeiramente as formas com um pouco de água quente ou um pano embebido em água quente. Disponha os pudins panna cotta em pratos individuais e sirva com doce de abóbora e amêndoas torradas laminadas. Normalmente a panna cotta é servida com molho de chocolate ou de frutos vermelhos, mas eu experimentei esta combinação e ficou ótimo e diferente. Se gostar, para terminar o empratamento, polvilhe com uma pequena pitada de canela, só mesmo um "cheirinho" para aromatizar, pois a canela fica bem com o doce de abóbora.

Espero que gostem da ideia :) Bom apetite!

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Feijoada de choco



O feijão branco é um alimento muito saudável. Além das propriedades que todas as leguminosas têm, este tipo de feijão ajuda a controlar açúcares e hidratos de carbono e aumenta a saciedade, diminuindo a fome e sendo recomendado para quem está a fazer dieta. E para quem não está, também é uma delícia ;)

Feijoada de choco

Ingredientes:
1 kg de tiras de choco (usei das congeladas)
2 cebolas
0,5 dl de azeite
3 dentes de alho
5 tomates chucha muito maduros
Meio chouriço de carne
4 cenouras
1 raminho de salsa
1 raminho de coentros
Sal qb
Picante qb se desejar
3 frascos de feijão branco cozido
Arroz branco para acompanhar

Preparação:
Deite o azeite num tacho, pique as cebolas e os alhos e junte ao azeite. Corte o chouriço em rodelas não muito grossas e deite também no tacho. Deixe refogar estes elementos até a cebola começar a ficar transparente e o chouriço ligeiramente frito. Nessa altura junte as tiras de choco cortadas em cubos e as cenouras cortadas em rodelas. Junte os tomates pelados e desfeitos ou cortados muito finamente. Por fim junte o ramo de salsa e um bocadinho de picante se gostar. Deixe cozinhar até o choco e a cenoura estarem macios.
Se estiver a secar, regue com um bocadinho de vinho branco.
Nos últimos minutos de cozedura junte o feijão branco (usei de fraco, já cozido) e retire o ramo da salsa.
Deixe acabar de cozinhar, retifique de sal e desligue o lume. Deixe repousar por 10 minutos antes de servir. Polvilhe com coentros picados e acompanhe com arroz branco bem soltinho.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!