sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Pudim de amêndoa



Encontrei esta receita de pudim de amêndoa no site do programa Chef's Academy e fi-lo por ocasião do aniversário do meu marido. De acordo com o site, é uma receita de família da Catarina Furtado, um sabor que a faz recordar a infância. Depois de fazer e provar, tenho a dizer que este pudim só pode trazer boas recordações seja a quem for porque é mesmo maravilhoso! Fica uma espécie de "pudim-bolo", espesso e consistente, absolutamente delicioso. Sabe mesmo muito a amêndoa e vale a pena experimentar!

Ingredientes:
500 gr de açúcar
250 gr de amêndoa moída (completamente triturada, em pó)
12 gemas
2 claras
sumo de uma laranja
1 colher de sopa rasa de manteiga (usei margarina líquida light para culinária)
1,5 dl de água

Preparação:
Ponha o açúcar e a água ao lume e deixe ferver até fazer um ponto fraco (calda fraca). Depois de pronta a calda, junte a amêndoa. Misture bem e deixe ferver um pouco. Retire do lume e junte a manteiga, os ovos e o sumo de laranja. Misture mais uma vez de forma a ficar tudo bem ligado. Unte uma forma com caramelo líquido e coloque nela o preparado. Leve ao forno a 180º cerca de 40 minutos ou até espetar um palito e ver que o pudim está cozido. A receita nada mais dizia, mas eu resolvi cozer em banho maria, ou seja, com a forma destapada e introduzida dentro de um tabuleiro com um pouco de água (dois dedos de altura no máximo).

Bom apetite!


quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Crepes de atum e sultanas com sementes de chia



Servi estes crepes como entrada num jantar com o nosso sobrinho. Ele adorou os crepes! Como vai ficar uns mesitos sem as paparocas da tia, tenho que lhe dar muito mimo para ele levar acumulado para onde vai ;)
A mistura dos ingredientes foi fruto da minha imaginação e palato. Costumo ter sempre em casa massa philo para "o que der e vier", principalmente para fazer entradas saborosas e muito rápidas, dado que esta massa precisa de poucos minutos no forno para ficar crocante. Se quiserem podem servir os crepes como prato principal, é uma questão de lhes juntarem um acompanhamento, como arroz selvagem ou uma salada mista.

Ingredientes para 12 crepes:
3 latas de atum 
3 colheres de sopa de sultanas douradas
3 cenouras
150 gr de espinafres
0,5 dl de azeite
1 embalagem de massa philo
2 colheres de sopa de sementes de chia
Azeite e mel qb para pincelar os crepes
2 gemas de ovo
Sal e pimenta qb

Preparação:
Descasque as cenouras e pique-as na picadora ou rale finamente. Leve o azeite ao lume num tacho e adicione as cenouras raladas. Deixe refogar um pouco. Junte o atum das três latas depois de desfeito com um garfo. Misture bem. Adicione os espinafres (folhas ou folhas e caules cortados em pedaços). Tempere com sal e pimenta, vá mexendo e deixe cozinhar um pouco até os espinafres "murcharem". Junte as sultanas. Por fim, já com o lume desligado mas ainda quente, junte as gemas de ovo para ligar tudo bem. Misture de forma a que todos os ingredientes fiquem bem envolvidos. Deixe arrefecer o recheio.
Disponha duas folhas de massa philo uma por cima da outra e corte pedaços com cerca de 15 cm x 5 cm. Coloque em cada folha uma colherada do preparado de atum e enrole as folhas de massa philo como se fosse um crepe (tipo "crepe chinês")
Leve ao forno a 200º por 10 minutos ou até ver que a massa está dourada e estaladiça sem queimar. Depois de retirar do forno, com os crepes ainda quentes, pincele-os com uma mistura de um pouco de azeite e mel e, logo de seguida, espalhe por cima as sementes de chia.

A introdução das sementes na alimentação humana é algo secular que talvez se tenha perdido nas últimas décadas, mas que agora se recupera com largos benefícios para a nutrição e saúde. As sementes de chia  são ricas em fibras, cálcio, magnésio,potássio e ómega 3. Saiba mais sobre este alimento AQUI.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Bifes de cebolada


Podemos dizer que esta refeição é um "clássico": bifes de cebolada. Pelo menos para mim é, pois trata-se daquele prato que como desde pequenina e que a minha mãe sempre fez de forma muito rápida. Como diz uma amiga, é do género de refeição "tudo para o tacho", os bifes ficam a cozinhar quase sozinhos e nem sequer demoram muito tempo. É tão rápido que bem podemos pôr o acompanhamento a fazer antecipadamente. Em menos de 30 minutos, um belo almoço ou jantar :)

Ingredientes para 4 pessoas:
1200 gr de bifes de novilho cortados não muito grossos
1,5 dl de azeite
2 cebolas grandes
3 dentes de alho
5 tomates maduros
1 raminho de salsa
4 cravinhos
sal e pimenta qb
picante qb (opcional)

Preparação:
Coloque o azeite num tacho e as rodelas de cebola cortadas grosseiramente por cima. Depois coloque os bifes previamente temperados com sal e pimenta. Por cima disponha os alhos esmagados. Depois os tomates pelados e cortados em pedaços pequenos de forma a que se desfaçam no molho. Adicione também as cabeças de cravinho, que vão dar um sabor especial (no fim tente retirá-las para que não sejam "apanhadas" no prato de alguém, pois pode ser desagradável morder uma inteira). Tempere ainda com um pouco de picante, se gostar, ou uma malagueta.
Deixe os bifes cozinhar cerca de 15 a 20 minutos. Como estes bifes eram relativamente grossos, cozinharam ao mesmo tempo que a cebola e tomate. Se os bifes forem mais finos, deixo a sugestão que façam primeiro a cebolada e, quando esta estiver a cozinhar há uns 10 minutos, juntem os bifes para que estes não cozinhem demais. Bifes de cebolada não são lombo de novilho frito ou grelhado, mas também "merecem respeito". Se os cozinharmos em demasia vão ficar secos e fibrosos, o que não é agradável. Para este prato escolham bifes saborosos e tenros, não menosprezem... a carne não vai ficar mais tenra por ser cozinhada assim. Se os bifes forem um pouco rijos, podem ser batidos, mas o ideal é que tenham mesmo alguma suculência.
Depois de prontos os bifes de cebolada, gosto de fazer tal como faço com as iscas fritas: polvilhar com salsa fresca picada finamente, pois dá muita frescura ao prato.
O acompanhamento que prefiro para este prato é arroz branco solto com o molho por cima. Mas desta vez foi ao gosto do maridão, com batatas fritas (sempre da Actifry).

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


domingo, 23 de fevereiro de 2014

Bifes de atum com molho de cogumelos e tagliatelle


Eu gosto de atum de todas as formas, de conserva ou em em bifes frescos, que podem ser grelhados, feitos de cebolada ou confecionados de outras maneiras diferentes e também saborosas. Desta vez tive a ideia de o fazer com um molho suculento e acompanhamento diferente, pelo que lhes juntei cogumelos e massa fettucinne. A combinação de todos os sabores ficou maravilhosa, ainda melhor do que eu imaginei...

Ingredientes para 4 pessoas:
4 bifes de atum
1 dl de azeite
3 dentes de alho ralados
pimenta, sal qb
Sumo de 1 lima
400 gr de cogumelos brancos frescos
3 dl de natas de soja
1 colher de chá de oregãos em pó
Tagliatelle para acompanhar

Preparação:
Tempere os bifes de atum com sal, pimenta e sumo de lima. Descasque os alhos e rale-os fininhos para uma frigideira onde também já colocou o azeite. Deixe o azeite aquecer e, quando os alhos começarem a "estalar", coloque os bifes de atum na frigideira. Deixe-os selar (tostar) 2 minutos de cada lado no máximo. O atum cozinha muito rapidamente e não deve ficar seco.
Retire o peixe e reserve no quente. Junte os cogumelos laminados e deixe-os saltear. Quando estiverem quase cozinhados, vá juntando as natas a pouco e pouco de forma a obter um molho espesso e homogéneo.
Por fim, junte novamente os bifes de atum. Sirva-os sobre a massa previamente cozida e com o molho por cima. Polvilhe levemente com oregãos em pó. Junte uma rodela ou um quarto de lima para decorar e para quem desejar espremer mais um pouco de sumo. A lima, os alhos e a pimenta dão sabores fortes, ácidos e picantes ao atum que fica muito apaladado desta forma.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

A Sericaia da minha amiga Ana


A Ana já andava a tentar fazer a Sericaia há umas semanas. Disse que as primeiras experiências não correram muito bem... não sei se acredito ou se foi desculpa para ficar com as primeiras só para ela ;)
Ao fim de várias tentativas de aperfeiçoamento, lá apareceu com a Sericaia cá em casa num jantar de amigos em que todos cozinharam algo delicioso. Não sei como estavam as primeiras Sericaias, mas esta não estava boa... estava DELICIOSA!!
Eu tinha um frasco de ameixas de Elvas em calda que, por acaso, comprei mesmo em Elvas e que estavam a aguardar o momento em que eu fizesse a Sericaia. Acabaram por ser usadas na Sericaia da Ana e que bem empregues foram! Tradicionalmente este doce leva a ameixa em calda, o que lhe dá mais doçura, mas sem a ameixa também fica muito bom, menos doce e mais leve. Neste caso até preferi comer sem a ameixa, pois o doce estava tão bom e apaladado que não precisava de mais nada.
Fiquem com a receita da forma como a minha amiga a fez e fiquem também com água na boca porque, sinceramente, acho que nunca comi uma Sericaia tão boa! Obrigada Ana Miguel :)

Ingredientes:
6 ovos
250 gr de açúcar
90 gr de farinha
meio litro de leite
1 pau de canela + raspa de meia laranja
Canela qb para polvilhar
Ameixa de Elvas em calda (opcional)

Preparação:
Coloque o leite ao lume com o pau de canela e a raspa de casca de laranja e deixe aquecer sem ferver. Misture as 6 gemas com o açúcar. Leve ao lume num tacho e vá mexendo. Vá juntando a farinha sem nunca deixar de mexer. Depois, pouco a pouco, vá juntando o leite quente e continue a mexer. O leite vai entrando aos poucos e, quando estiver todo incorporado e sinta que o preparado está a pegar ao tacho, retire do lume. Continue a mexer até arrefecer muito ligeiramente e, neste momento, junte as claras batidas em castelo.
Coloque o preparado num prato de barro fundo (ou pirex, se não tiver o prato de barro). Polvilhe toda a superfície com canela e leve ao forno pré aquecido (10 minutos antes) a 200º no tempo máximo de 30 minutos. Vá espreitando, mas não abra o forno pelo menos nos primeiros 15 minutos de cozedura. Quando o doce começar a abrir fendas, significa que está pronto.
Retire do forno, deixe arrefecer e sirva às colheradas com uma ameixa em calda por cima, se gostar, ou simplesmente assim. Delicie-se, é maravilhoso!

Bom apetite!


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Beringelas recheadas com carne e farinheira


Estas beringelas recheadas podem ser servidas como entrada ou terem o protagonismo de um prato principal, se lhes juntarmos um acompanhamento. Neste caso chegaram ao prato acompanhadas e fizeram parte de um jantar onde vários petiscos deixaram composta a mesa... e a barriga ;)

Ingredientes para 2 beringelas (4 metades)
2 beringelas
1 farinheira de boa qualidade
200 gr de carne picada de vaca ou porco, conforme o gosto (ou mesmo alguma carne que tenha sobrado de outra refeição)
1 cebola média
1 dente de alho
1 dl de azeite
meio molho de espinafres 
2 colheres de sopa de mozarella light ou outro queijo ralado
sal e pimenta qb
 
Preparação:
Lavamos as beringelas e cortamos cada uma ao meio no sentido horizontal de forma a ficarmos com 4 metades que vão depois ser recheadas. Levamos estas metades de beringelas ao forno a 225º por 10 minutos para que os legumes fiquem amolecidos. Depois deixamos arrefecer ligeiramente e, com uma colher, retiramos a maior parte da polpa das metades das beringelas, deixando as 4 metades inteiras. Reservamos.
Num tacho, colocamos o azeite, os alhos e a cebola picada. Deixamos refogar ligeiramente. De seguida, juntar a carne picada e a polpa das beringelas que foi previamente retirada. Temperar com sal e pimenta e deixar cozinhar. Quando este preparado estiver cozinhado, retiramos do lume.
No mesmo tacho colocamos a farinheira desfeita à qual retirámos previamente a pele. Não é necessário adicionar gordura porque o enchido já tem bastante. Vamos desfazendo a farinheira com um garfo e deixamo-la cozinhar, frigindo um pouco. Acrescentamos as folhas de espinafres. Se também quiserem acrescentar os caules dos espinafres, cortem-nos bem antes de colocar no tacho para que fiquem em pedaços pequenos e se misturem bem na farinheira. Deixamos cozinhar até os espinafres murcharem e estarem envolvidos na farinheira.
Por fim misturamos no tacho a mistura da carne com a mistura de farinheira, envolvemos tudo, mexendo bem. Retificamos de sal se necessário. Recheamos as metades de beringelas e colocamos por cima um pouco de queijo ralado. Levamos a gratinar ao forno a 200º até estar tostado (cerca de 15 minutos).

Servi estas beringelas com cogumelos brancos salteados e uns pãezinhos caseiros crocantes que fiz com massa de pizza. Moldei umas bolas, achatei e temperei com flor de sal e oregãos. A massa dos pãezinhos foi ao forno por 10 minutos enquanto as beringelas gratinavam.

Bom apetite! Comam  bem e de forma saudável!
  



terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Arroz de polvo do mais simples que há!


Cá em casa adoramos polvo, por isso confeciono-o de várias  maneiras e é uma refeição sempre muito apreciada. Às vezes compro o polvo congelado, mas normalmente compro-o fresco e congelo para ficar tenro, descongelando apenas no dia em que o quero cozinhar. Cozo o polvo numa panela comum (não uso panela de pressão) em água sem sal e o único truque que uso é retirar o "olhinho" na zona abaixo da cabeça para que a água circule melhor pelo polvo. Fica sempre tenro e sempre bom. O tempo de cozedura depende do tamanho do animal.
Para fazer este prato cozi o polvo com antecedência e reservei. Quando chegou a hora do jantar acabou por ser muito rápido. É um prato delicioso, que se faz bem mesmo durante a semana. Esta forma de fazer que apresento hoje é a mais prática e rápida de todas, não leva tomate, a cor é dada apenas pela água do polvo. Trata-se de um arroz malandrinho caldoso, fiz com arroz agulha para ficar solto, com molho e não "empapar". Assim, mesmo que sobre um bocadinho, fica bom no dia seguinte. Mas há que dizer que não sobrou nada...
Este prato feito com arroz carolino também fica delicioso (melhor ainda em minha opinião), mas tem que ser obrigatoriamente todo comido no momento. O arroz carolino é mesmo assim: saboroso, mas caprichoso, não admite "sobras" e temos que ter máxima atenção ao tempo de cozedura. Desta vez fiz com o agulha e com uma receita do mais simples que há!

Ingredientes para 4 pessoas:
1 polvo com cerca de 1 kg
2 chávenas de chá de arroz
1 cebola grande
3 dentes de alho
2 folhas de louro
1 dl de azeite
1 ramo de coentros
1 malagueta ou 1 pitada de picante moído (opcional)

Preparação:
Depois de cozido o polvo, reservei-o, bem como a água da cozedura. Num tacho refoguei a cebola e os alhos picados com o azeite e as folhas de louro. Assim que a cebola ficou transparente adicionei a água de cozer o polvo (6 chávenas de chá). Quando a água atingiu o ponto de fervura, juntei o arroz, mexi e retifiquei de sal. Adicionei o picante e deixei cozer até o arroz estar no ponto. Nos últimos minutos adicionei o polvo cortado em pedaços. No fim juntei os coentros frescos picados e servi de imediato.
Para quem tenha placa vitrocerâmica ou de indução: basta cozer o arroz por 5 minutos, desligar a placa e deixar a cozinhar no calor restante por mais 10 a 15 minutos com o tacho fechado. Garanto-vos que o arroz fica cozinhado no ponto! O arroz de polvo ou outro qualquer, pois as placas elétricas de indução ou vitrocerâmica mantêm todo o calor por muito tempo e o arroz dentro do líquido da cozedura continua a cozinhar. Se nos descuidamos até fica cozido demais... Fica a dica de poupança, importante na redução dos consumos energéticos.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Sopa de peixe e camarão na abóbora


Continuo a utilizar as abóboras provenientes do terreno dos meus pais de formas diferentes e deliciosas. Desta vez resolvi fazer uma sopa do mar, com peixe e camarão, mas com uma ligação à terra. Neste caso o elemento utilizado foi a abóbora, o legume que dá consistência e sabor à sopa. Isto porque gosto da sopa de peixe cremosa, feita com o peixe, mas também com uma base de creme de legumes.
Primeiro que tudo abri a abóbora e retirei a polpa, fios e sementes, deixando apenas umas "paredes" suficientemente grossas para que a abóbora não se desfaça. Assei a abóbora no forno a 200º por 50 minutos (tinha cerca de 3 kg). Assem a abóbora o tempo necessário conforme o tamanho, até que fique macia, mas sem se desfazer para que depois aguente servir de "terrina" para a sopa. Quando retirei a abóbora do forno ela tinha largado bastante suco. Convém escorrer todo este líquido para que a polpa da abóbora não se desfaça. Podem guardar o líquido para juntar à sopa.


Para a sopa usei meia cabeça de uma garoupa fresca grande porque as cabeças de peixe são normalmente muito saborosas e esta tinha sobrado de outro cozinhado, mas podem fazer com as postas de peixe que desejarem. Estufei o peixe (em cru) com azeite, 1 cebola cortada em meias luas, 2 tomates pelados maduros, alhos esmagados, um ramo de salsa e coentros e sal qb. Depois de cozinhado o peixe, reservei-o e cozinhei 400 gr de camarão no mesmo molho. Temperei o camarão com sal e uma pitada de picante Deixei cozinhar por uns minutos até o camarão estar rosado e ter largado sabor. Depois retirei, tirei cascas e cabeças e fiquei apenas com o corpo dos camarões, que cortei em pedaços. Reservei dois camarões inteiros para decorar.
Entretanto cozi a polpa de abóbora (cerca de 400 gr) com uma batata e uma cebola. Cozi tudo em água e sal, juntando o líquido que a abóbora largou da assadura no forno. Estes legumes devem ser cozidos com líquido apenas a cobrir ou até um pouco menos. Depois de cozidos, juntamos aos legumes todo o molho de estufar o peixe e os camarões (cebola, tomate, tudo o que resultou desse estufado, com exceção do molho de salsa e coentros que retiramos). Com a varinha mágica trituramos tudo até obter um creme homogéneo.
Por fim desfiamos o peixe, retirando cuidadosamente todas as peles e espinhas. Trituramos também com a varinha mágica (ou passamos pelo pass vite) as cabeças dos camarões. Coamos o suco das cabeças dos camarões num passador e juntamos à sopa. Juntamos também o peixe desfiado e os camarões em pedaços. Misturamos tudo, retificamos de sal se necessário, e adicionamos um pequeno fio de azeite.
Resta colocar a sopa cremosa na abóbora já assada, polvilhar com coentros frescos picados e decorar com os camarões inteiros e pedacinhos de pão tostados no forno. O resultado é uma sopa rica e cheia de coisas boas que pode servir perfeitamente como prato principal numa refeição.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!






sábado, 15 de fevereiro de 2014

Bifes de novilho com molho de chocolate branco picante

O nosso jantar do Dia dos Namorados, meu e do maridão, foi absolutamente achocolatado ;)
Chocolate negro no bolo, chocolate branco no prato principal. O chocolate derretido, cremoso e suculento ofereceu aos bifes um molho espetacular, doce e picante, uma combinação que ficou uma maravilha. Pesquisei várias receitas de molho de chocolate, mas só encontrei confeções com chocolate negro. Resolvi arriscar com o chocolate branco e fiz a minha própria versão do molho. O chocolate reagiu bem, ficou cremoso e deu uma consistência homogénea ao molho, uma delícia!! 

Ingredientes:
Bifes ou medalhões de novilho bastante tenros (200 a 250 gr de carne do lombo ou vazia por pessoas)
75 gr de chocolate branco para culinária
1 colher de sopa de pimenta rosa em grão + pimenta moída
1 colher de café de piri piri moído ou 1 malagueta
1 dl de rum
1 colher de sopa de manteiga
Alho em pó e sal qb

Acompanhamento: batatas fritas em forma de coração e espinafres salteados em alho e azeite.

Preparação:
Tempere os bifes com sal, pimenta moída (mistura de pimentas) e uma pitada de alho em pó. Frite-os na frigideira em manteiga apenas 30 a 60 segundos de cada lado para "selar" a carne. Depois deite o rum na frigideira e pegue fogo para flamejar e o alcool evaporar, deixando apenas um suave aroma a rum. Retire os bifes, reserve em folha de alumínio e acrescente o chocolate ralado, a pimenta rosa e o piri piri ou malagueta (algo picante e em quantidade ao gosto de cada um). Deixe o chocolate derreter e misture até obter um molho espesso e homogéneo. O chocolate vai derreter e encorporar rapidamente no molho porque as raspas derretem facilmente.
Para acompanhar fiz batatas fritas que cortei em forma de coração. É simples, basta descascar as batatas, cortá-las em rodelas grossas e depois usar um cortador em forma de coração. Usei dois cortadores, um coração maior e outro mais pequeno, para conseguir aproveitar as rodelas e pedaços de batata mais pequenos (ver foto em baixo). Ainda salteei espinafres em azeite e alho para ter uma verdura a acompanhar o prato.
Sirva os bifes com o molho por cima, salpique com mais uns grãos de pimenta rosa, junte os corações e os espinafres e bom apetite ;)


sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Porque é São Valentim: Bolo dos Namorados

Estou aqui à espera que termine o dia de trabalho para surpreender a minha cara metade com um jantar delicioso que vai finalizar com este Bolo dos Namorados ;)



Bolo dos Namorados (bolo de cacau, rum e bagas de goji)
Ingredientes:
2 colheres de sopa de bagas de goji
Rum para embeber as bagas (cerca de 1 dl)
75 gr de cacau magro em pó
75 gr de farinha Maizena
3 ovos inteiros
100 gr de açúcar
1 chávena de água (chicara de café)
chantilly ou recheio de queijo creme + cobertura de chocolate + 2 morangos para decorar

Preparação:
Comecei por bater os ovos inteiros juntamente com o açúcar com a batedeira de varas (como se fosse para as claras em castelo). Bati até formar um creme esbranquiçado que cresceu muito em volume. Depois de ter um preparado tipo mousse, bastante leve e fofo, adicionei uma chávena de café de água a ferver e voltei a bater com as varas. De seguida adicionei os elementos secos (farinha e cacau) peneirados. Adicionei aos poucos e cuidadosamente. Por fim juntei as bagas de goji que estiveram duas horas embebidas no rum para amolecerem. Envolvi e levei ao forno a 210º por 25 minutos.
Depois de cozido e frio, parti o bolo ao meio e recheei com creme de queijo (queijo creme magro + açúcar inglês do fininho). Este creme que uma amiga me ensinou a fazer e que já usei numa receita de cupcakes que aqui publiquei (ver aqui) fica delicioso e pode substituir o chantilly.
Para a cobertura de chocolate derreti meia tablette de chocolate negro para culinária com uma colher de sopa de manteiga e três de leite. Foi a quantidade suficiente para barrar o bolo por fora, pois não era muito grande. É um bolinho só para duas pessoas, mesmo para um jantar romântico, sem mais convidados ;)
Decorei com o resto do creme de queijo e morangos, mas também podem usar as próprias bagas de goji que são vermelhinhas, muito bonitas!

Bom apetite! Apaixonem-se! 


quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Lombos de pescada com ervilhas e puré de batata


Outra vez os lombos de pescada... pois é! Mas são tão simples e práticos de preparar ;) Ficam bem com tudo e de todas as maneiras e fazem uma refeição deliciosa e saudável que não nos ocupa muito tempo na correria do dia a dia. Se usarem lombos congelados até os podem pôr no tacho sem descongelar. Fica bom na mesma e serve para quando não sabemos o que fazer e não trouxemos para casa nenhum produto fresco do dia. Vamos ao congelador, tiramos os lombos de pescada e basta imaginar uma forma rápida de os confecionar. Esta é uma delas, espero que gostem!

Ingredientes para 4 pessoas:
8 lombos de pescada congelados
2 cebolas
4 dentes de alho
Sal qb
1,5 dl de azeite
0,5 kg de ervilhas
4 tomates frescos maduros ou uma lata pequena de tomate pelado
Batata, 1 dente de alho, leite, manteiga, sal e noz moscada para o puré

Preparação:
Coloque o azeite numa frigideira funda, tipo caçarola, ou num tacho largo. Adicione as cebolas picadas finamente. Por cima coloque os lombos de pescada temperados com sal. Deite os alhos por cima esmagados e picados. Adicione os tomates cortados em pedaços bastante pequenos para que se desfaçam no molho. Se for tomate pelado de lata, adicione também o suco. Por fim adicione as ervilhas e tempere-as com um pouco mais de sal.
Se gostar pode ainda juntar um raminho de coentros e salsa frescos para dar mais sabor ao cozinhado.
Isto vai estufar assim tudo "em cru" por alguns minutos. Quando a pescada estiver cozinhada, pode retirar para não passar demais e deixar as ervilhas a acabarem de cozer e o molho a apurar. No fim, junte novamente os lombos de pescada. Se não quiser ter este trabalho, deixe cozinhar tudo ao mesmo tempo.
Entretanto faça o puré, cozendo as batatas em água e sal com um alho esmagado. Passe a batata pelo pass vite, junte-lhe manteiga, leite e noz moscada ralada qb. Misture tudo e leve ao lume até o puré ferver e ficar cremoso.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Couscous de favas e chouriço

Favas e chouriço, nada mais português! Fui encontrar uma receita com estes ingredientes no livro do Chef Ramsay, "Cozinhar para os amigos", que o meu pai me ofereceu no Natal. O livro tem várias receitas com sabores mediterrânicos fabulosos e esta é uma delas. Às favas e ao chouriço, Gordon Ramsay juntou couscous e fez um prato que pode ser servido como refeição principal ou como acompanhamento de carne ou peixe. 
Devo dizer que ficou absolutamente delicioso e que a conjugação dos sabores é realmente muito boa. Eu servi como acompanhamento de uns bifinhos estilo "Saltimboca à la Romana", mas desta vez foi "Saltimboca à la Susana", pois fiz o prato com oregãos frescos em vez de salva, que não encontrei desta vez.
Trata-se de bifinhos ou escalopes de novilho apenas temperados com sal, pimenta, alho e salva, fritos em azeite e com um bocadinho de vinho branco para refrescar e fazer o molho. Depois enrolam-se os escalopes em fatias de presunto. Eu optei por tostar o presunto na frigideira e pôr por cima dos bifes em vez de os enrolar.
Como referi, são bifinhos à minha maneira, inspirados no "Saltimboca". A propósito, sabem de onde vem esta expressão? "Saltimboca" = "salta para a boca", de tão bons que os bifinhos são que até nos saltam para a boca ;) Os italianos têm coisas engraçadas e comida muito boa!
O melhor "Saltimboca" que comi foi num restaurante na zona de Trastevere, em Roma. Provavelmente nunca vou conseguir reproduzir exatamente aquele sabor, mas a minha receita também estava boa. O maridão e o sobrinho André gostaram :D



Receita do cuscuz de favas como acompanhamento para 4 pessoas
(se pretender servir como prato principal, dobre as quantidades)

Ingredientes:
250 gr de couscous
75 ml de azeite
2 cebolas finamente picadas
meia colher de chá de cominhos moídos
meia colher de chá de sementes de coentros moídos
uma pitada de paprika
200 gr de chouriço sem pele e me pedacinhos (cubos pequenos)
200 gr de favas escaldadas e peladas
uma mão cheia generosa de folhas de hortelã ou coentros picados



Preparação:
Ferva água com sal e prepare o couscous. Como já referi noutra publicação sobre este alimento, não coloco o couscous para dentro da água, mas ao contrário, ou seja, vou adicionando água ao couscous até obter a consistência desejada e assim o couscous fica sempre solto e não demasiado empapado. Reserve o couscous.
Aqueça o azeite numa frigideira e adicione as especiarias moídas no almofariz e depois a cebola picada. Deixe cozinhar por 6 a 8 minutos até a cebola estar macia. Adicione o chouriço em cubinhos e deixe fritar por mais 3 a 4 minutos. Junte as favas depois de terem sido escaldadas em água fervente e peladas e deixe cozinhar para ficar tudo uniformemente aquecido. Certifique-se de que as favas estão tenras. Retifique de sal.
Solte o couscous que reservou com um garfo e adicione aos restantes ingredientes. Mexa e aqueça tudo por breves momentos dentro da frigideira e sirva. Já na travessa ou prato, salpique com folhas de hortelá fresca picada (receita original). Eu optei pelos coentros porque acho que ficam muito bem com favas e porque os comensais que vieram provar esta receita não apreciam hortelã.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

Mousse de chocolate

Esta não é a receita tradicional da mousse, mas é uma receita muito prática, rápida e verdadeiramente deliciosa. Não temos que adicionar açúcar porque a receita se faz com leite condensado já cozido, não havendo necessidade de mais adição de doce. Fica uma maravilha. Quem me deu a receita foi um jovem primo, o Carlitos e, desde essa altura, faço sempre a mousse assim.
Depois da variante com chocolate branco, partilho esta receita a pedido de uma amiga que costuma seguir a Deliciosa Paparoca ;)



Ingredientes:
1 tablette de chocolate (200 gr) com 70% de cacau 
6 ovos
1 lata de leite condensado cozido 
1 colher de sopa de manteiga + 1 de leite

Preparação:
Misturara e mexer bem as gemas com o leite condensado. Derreter o chocolate em banho maria com uma colher de sopa de manteiga e outra de leite. Juntar os dois preparando, misturando muito bem. Por fim, bater as clatas em castelo firme e envolver cuidadosamente no preparado anterior.
Se gostarem, juntem amêndoas torradas em pedaços, nozes ou avelãs para enriquecer esta mousse. Deve ficar no frio até ser servida.

Bom apetite!

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Dia dos Namorados: Mousse de chocolate branco com morangos

Finalize de forma doce e suave o jantar do Dia dos Namorados com uma mousse de chocolate branco com morangos. Esta sobremesa é muito simples e prática de preparar. A receita apresentada é para uma taça grande, feita com uma tablette inteira (200 gr de chocolate). No entanto, servi em taças individuais para ficar mais bonito e apresentável. 

Ingredientes (para uma taça grande):
1 tablette de 200 gr de chocolate branco para culinária
6 ovos + 2 claras
1 lata de leite condensado cozido
1 colher de sopa de manteiga + 1 colher de sopa de leite
500 gr de morangos

Preparação:
Derreter a tablette de chocolate branco com uma colher de sopa de manteiga e uma de leite. Quando estiver tudo derretido, retiramos do lume e vamos misturando uma lata de leite condensado cozido, mexendo sempre muito bem para formar uma pasta homogénea. Reservamos um pouco do leite condensado e misturamos com 6 gemas de ovos. Juntamos os dois reparados e batemos bem com uma colher. À parte batemos 8 claras em castelo firme e envolvemos cuidadosamente no preparado anterior. Esta é a receita de mousse que costumo preparar com chocolate negro (nesse caso uso apenas 6 gemas + 6 claras para uma tablette). Neste caso adicionei mais duas claras porque o chocolate branco é muito doce e não queria uma mousse enjoativa.
Dividi a mousse por copos altos, tipo "tulipa", mas podem usar taças ou outro tipo de acessório que considerem bonito. Para finalizar coloquei morangos em pedaços por cima e levei ao frigorífico. Sejam generosos nos morangos, pois estes vão dar imensa frescura à sobremesa e equilibrar o doce do chocolate branco. Dizem que os morangos são afrodisíacos... Talvez sejam! Quando o amor anda no ar e pousa na nossa cozinha, qualquer alimento simples se torna delicioso e fonte de paixões ;)

Bom apetite e feliz Dia dos Namorados!


sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Dia dos Namorados: Tamboril com molho de mostarda e gratinado cremoso de legumes


Continuando com as proposta de uma refeição deliciosa para o Dia dos Namorados, hoje deixo-vos uma ideia de prato principal. Um prato de peixe, delicado e não muito pesado, mas suculento e delicioso. Espero que vos apaixone... Esta receita tem alguns ingredientes que são, normalmente, considerados afrodisíacos: a malagueta, a pimenta e a mostarda, elementos ideais para apimentar a comida e a relação ;)


Ingredientes (para duas pessoas)
500 gr de tamboril (2 a 3 lombos por pessoa)
Gordura para cozinhar o peixe (1 colher de sopa de manteiga ou margarina)
1 cebola pequena
Sal, pimenta e sumo de limão qb
1 malagueta (sem as sementes)
2 dl de leite + 0,5 dl de nata de soja
1 colher de sopa bem cheia de mostarda de Dijon
3 cenouras grandes
1 batata grande
6 tomates chucha mini (ou tomates cereja)
1 colher de sopa de salsa fresca picada
1 colher de sopa de mozarella light ralada
3 dl de molho bechamel

Preparação:
Tenha lombos de tamboril já arranjados ou um peixe grande de onde possa retirar uns lombos de tamanho razoável. Eu comprei o tamboril fresco e, como era grande, usei apenas uma parte, cerca de 500 gr para duas pessoas, aproveitando só os lombos para esta receita.
Temperei os lombos com sal, pimenta, umas gotas de sumo de limão e uma malagueta fresca muito picadinha à qual retirei as sementes, pois são demasiado picantes. Deixei marinar 30 minutos e depois tostei o peixe na frigideira. Podem usar manteiga, eu usei uma margarina light própria para cozinhar (Becel pró activ líquida). Cozinhei os lombos de ambos os lados, para ficarem tostados, mas não muito cozinhados (cerca de 6 minutos de cada lado). Retirei da frigideira e reservei. Juntei à gordura de cozinhar o peixe uma cebola pequena picada finamente que deixei cozinhar até ficar transparente. Depois juntei 1 colher de sopa de mostarda de Dijon, 0,5 dl de natas de soja e 1,5 dl de leite magro. Fui deixando o molho reduzir e apurar. Não juntei inicialmente o leite todo, fui depois juntando aos poucos de forma a obter um molho espesso e cremoso. Retifiquei de sal. Nos últimos 5 minutos do cozinhado, juntei os lombos do peixe para acabarem de cozinhar e ganharem o sabor do molho.


À parte arranjei as batatas e cenouras feitas em fios no ralador (fios mais grossos, como se fosse para uma salada). Temperei os legumes com sal e envolvi num bechamel feito com a margarina light, farinha, leite magro e uma pitada de pimenta e sal. O bechamel feito com leite magro fica igualmente saboroso desde que seja bem temperado. Não é necessário adicionar muita gordura a este molho para que fique bom. Misturei os legumes com o molho e uma colher de sopa de mozarella light ralada e levei ao forno cerca de 30 minutos num tabuleiro. Tenham em atenção não acamar muita altura de legumes para que fiquem homogeneamente gratinados.
Por fim empratei os legumes cremosos, coloquei os lombos de tamboril por cima, bem como o molho de mostarda, e decorei com os tomates mini e a salsa picada.

Bom apetite!


Dia dos Namorados: Salada de espargos e camarão

Cozinhar com carinho, confecionar o prato preferido de alguém ou escolher os ingredientes mais apreciados pelo nosso companheiro(a) é, realmente, uma forma deliciosa e amorosa de demonstrar sentimentos. Pelo menos para mim é! Como adoro cozinhar, é frequente demonstrar desta maneira o quanto gosto de alguém. Ter algo especial no prato é, tantas vezes, uma forma de dizer: "Amo-te", "Lembrei-me de ti", Gosto muito de ti". Oferecer um frasco de doce feito por nós, fazer o bolo de aniversário de alguém que nos é querido ou preparar aquela refeição que sabemos que vai deixar o nosso convidado feliz. Tudo isso são demonstrações de amizade e carinho!
Como está quase aí o Dia dos Namorados, quero apresentar-vos algumas sugestões de pratos saborosos e fáceis de confecionar com os quais possam surpreender a vossa cara metade no próximo 14 de fevereiro.
Para já, deixo-vos com uma ideia de entrada, uma receita do livro "Receitas Eróticas" que o meu marido me ofereceu há uns anos e de onde já sairam várias ideias inspiradoras para jantares românticos.
Em breve publicarei um prato principal e uma sobremesa para ficarem com a refeição completa ;) Todas elas são receitas leves, com alimentos delicados e alguns ingredientes afrodisíacos. Tudo fácil de encontrar em qualquer supermercado e possível de preparar em casa. Caprichem na apresentação e não se esqueçam de pôr a sala à meia luz e acender uma vela vermelha na mesa... Não  há quem resista! Bom apetite!


Salada de espargos e camarão (para duas pessoas)

Ingredientes:
1 molho de espargos verdes frescos
Sal qb
400 gr de camarão
2 dentes de alho
1 colher de sopa de salsa picada
0,5 dl de azeite
Sumo de meio limão

Preparação:
Descasque os camarões e tempere-os com sumo de limão e sal, deixando a marinar por 15 minutos. Arranje os espargos e saltei-os em alho e azeite. Reserve. Na mesma frigideira deite um pouco mais de azeite e frite os camarões. Depois de fritos, disponha-os num prato com os espargos, regue com um pouco do molho da fritura e refresque som a salsa picada e mais um pouco de sumo de limão.

Chegou o momento de abrir o espumante ou uma garrafa de bom vinho branco. Delicie-se e comece de forma deliciosa uma noite muito especial... Bom apetite!

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Polvo à lagareiro no forno (um dos pratos preferidos cá de casa...)


Polvo, confecionado de várias formas, é um dos alimentos preferidos cá de casa. E se for à lagareiro, quentinho, com umas batatinhas de forno e migas a gosto (couve, espinafres, grelos, etc), assim então, é do melhor!
Costumo fazer o polvo no forno. Apesar de ter churrasqueira a carvão, opto pelo forno para este prato porque fica sempre bom e posso fazer quando quero sem estar à espera que o tempo fique agradável para usar a churrasqueira no exterior.
Primeiro que tudo cozo o polvo só com água numa panela grande. Não ponho sal (o polvo já é bastante salgado) nem mais nada. Apenas uso um truque que li num livro do Chefe Cordeiro e que consiste em retirar o "olhinho" do polvo antes de o pôr a cozer para que a água circule melhor no interior do animal e este cozinhe mais depressa. De resto, é deixar cozer em lume alto até estar tenro, mas de forma a que não se desfaça e não perca as pequenas ventosas dos tentáculos. Espetem com a ponta de uma faca para ver quando está bom, vai depender muito do tamanho do polvo. Depois coloco bastante azeite de boa qualidade e alhos esmagados num tabuleiro e coloco as pernas do polvo já cozidas em cima. Levo ao forno por 20 minutos a 200º para tostar.


Num tabuleiro à parte, seco e sem azeite, coloco batatas de assar pequenas numa cama de sal. Deixo assar por 30 minutos a 200º, depois retiro-as, dou-lhes um murro e junto-as ao polvo para embeberem algum azeite.
Cozo também um ou dois pacotes (conforme e número de comensais) de couve em juliana como se fosse para o caldo verde. Depois de cozida, ainda a salteio em azeite e alho e junto broa de milho amarelo esfarelada. Deixo cozinhar e absorver os sabores.
No fim empratei em ardózias individuais, com as migas, as pernas de polvo por cima e as batatas. Reguei generosamente com o azeite e alhos resultantes da assadura do polvo.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Lulinhas com camarão


Costumava comer este prato num restaurante em zona de férias. O restaurante fechou. Ficou a receita. É simples e rápida, vale pela ideia de juntar estes sabores. Fica um prato saboroso e pode ser feito com lulinhas e camarão ou acrescentando ainda choquinhos dos pequenos. Gosto de servir com batatas fritas ou arroz branco de alho.

Numa frigideira, coloque um fio de azeite generoso e vários dentes de alho esmagados. Depois adicione os camarões temperados com sal e um bocadinho de picante. Frite os camarões, juntando um pouco de whisky. Cozinhe até o alcool evaporar e os camarões estarem cor de laranja. Depois retire-os da frigideira, reservando. No mesmo molho, deite as lulinhas (e/ou choquinhos) depois de limpos e arranjados. Deixe cozinhar. Refresque com vinho branco para ganhar um pouco de molho e deixe apurar até os muluscos estarem tenros, mas sem se desfazerem.
Por fim polvilhe com coentros frescos picados e sirva as lulinhas e camarões com batata frita ou arroz. É um prato muito suculento e com um certo sabor a verão, pode ser que "puxe" bom tempo ;)



segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Parabéns meu amor!

Amor expresso de tantas formas e expresso também no que se faz na cozinha. Este bolo foi feito com muito amor e carinho. Muito mesmo! Foi o culminar do fim de semana de aniversário do meu amor :)