quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Os descendentes da Tarte de Pera

Tenho feito tantas tartes como forma de treinar para a apresentação do prato no concurso, que me sinto uma autêntica Vóvó Donalda ;)
No meio de inúmeras tartes, tamanha quantidade de massa e quilos de peras, às vezes há sobras e estes "desperdícios de luxo" acabam por também dar origem a suculentas invenções. Ou seja, a Tarte de Pera Rocha do Avenal já tem descendentes!
Dos restos da massa da tarte fiz umas bolachinhas em forma de coração (com um cortador próprio, mas podem fazê-las redondas ou da forma que preferirem). Como a massa não é muito doce, polvilhei com canela e açúcar em pó antes de assar no forno a 190º por 10 a 12 minutos, conforme a espessura das bolachas.
As cascas e os caroços das peras também não foram para o lixo e deram origem a uma geleia de pera e vinho do Porto. Foi a primeira vez que fiz geleia e ficou uma maravilha, melada, no ponto, com uma cor âmbar lindíssima.
Coloquei as cascas e caroços numa panela cobertos de água e com uma casca e algumas gotas de limão. Cozeu por uma hora. Depois escorri tudo com um pano, apertando muito bem até que toda a água da cozedura e suco das peras fossem aproveitados. Espremi até que no pano ficassem apenas os desperdicios sólidos. Toda a água foi aproveitada. Depois pesei a água e adicionei 600 gr de açúcar para cada quilo de líquido (fazemos nesta proporção conforme a quantidade que tivermos). Juntei um pouco de vinho do Porto a olho (cerca de um cálice por quilo de líquido) e levei ao lume a ferver até ficar com a consistência pretendida.
A geleia deve ser guardada em fracos esterilizados, tal como fazemos com as compotas e doces.
Agora juntem um pedacinho de geleia às bolachas e digam-me se não é delicioso?...

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

2 comentários:

  1. Sim, desperdiçar é palavra proibida! E assim ganhámos mais uns docinhos ;)

    ResponderExcluir